Aumenta o número de acidentes com fogo em Rio Preto

CUIDADO COM O FOGO!

Aumenta o número de acidentes com fogo em Rio Preto

Só no primeiro semestre, número de vítimas de queimaduras graves em Rio Preto já é igual ao de todo o ano passado


Fisioterapeuta Priscila foi uma das vítimas a morrer após queimaduras
Fisioterapeuta Priscila foi uma das vítimas a morrer após queimaduras - Redes Social/Facebook

A pandemia do coronavírus provocou aumento do número de vítimas de queimaduras graves em Rio Preto. Foram 20 casos registrados de 1º de janeiro a 19 de julho de 2020, a mesma quantidade de ocorrências nos 12 meses do ano passado, conforme levantamento da base do Corpo de Bombeiros na cidade.

Somente em dez dias, os acidentes com fogo ceifaram três vidas - do serralheiro Enoque da Silva Nogueira, 31 anos, da fisioterapeuta Priscila Souza Cardoso, 32, e do sargento aposentado da PM Paulo César de Oliveira, 51.

Apenas no mês de junho, o crescimento de vítimas de queimaduras representou quase o dobro: seis ocorrências em 2019 e 11 neste ano. Em 19 dias de julho deste ano, foram seis ocorrências, enquanto em todo o mês do ano passado não houve um caso sequer, de acordo com os bombeiros. A elevação de casos coincide com o início da quarentena decretado pelo governo estadual, no final de março.

Segundo o tenente dos bombeiros Diego Moraes Silva Machado, a maioria das vítimas sofreram queimaduras em acidentes domésticos. "Os registros ocorrem no mesmo período da quarentena do coronavírus, mas somente os inquéritos policiais, munidos de laudos periciais, vão poder apontar com exatidão qual a principal causa dos acidentes domésticos", diz o tenente. Segundo Machado, em geral, as pessoas se machucam durante a realização de churrascos e preparação de alimentos em casa.

O aumento de vítimas de queimaduras também esbarrou no mais grave sintoma do coronavírus na rede pública de saúde, a superlotação de leitos de internação.

A família da fisioterapeuta Priscila Souza Cardoso, uma das vítimas mais recentes de acidentes com fogo, tentou por muitos dias transferir a jovem, que teve 70% do corpo queimado, para um hospital especializado, mas não conseguiram.

"Ligamos para o Hospital Padre Albino, de Catanduva, para o Hospital de Queimados de Bauru e outros em todo Estado de São Paulo, para conseguir a internação, mas nada disso deu certo. Chegamos a planejar sua transferência para um hospital especializado em outro Estado, mas não tivemos tempo. Ela morreu antes de conseguirmos", diz a mãe da moça, que preferiu não ter o nome divulgado.

Dificuldades

O diretor médico do Hospital Padre Albino, Luís Fernando Colla, afirma que a Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), que atende as vítimas da região de Rio Preto, ficou com a capacidade de atendimento comprometida. "O Serviço da Fundação Padre Albino recebe número elevado de solicitações de vaga, sendo a capacidade de atendimento desta muito menor que a demanda. A impossibilidade de atendimento de todas as solicitações é, em sua maioria, devido à gravidade dos casos que necessitam de muitos dias de internação para o tratamento integral", diz o médico.

Segundo Luis Fernando, o hospital também está com dificuldade para aquisição de medicamentos para tratamento de vítimas de queimaduras. "O desabastecimento dos medicamentos utilizados para sedação e analgesia também acabou por atingir o tratamento dos queimados, pois estes são imprescindíveis no tratamento desta patologia", diz o médico.

Cuidados

Técnico em segurança do trabalho, Paulo Chianezzi recomenda a substituição do álcool por produtos especializados para acender churrasqueira - um dos principais causadores de acidentes. "Existe cera de parafina usada para colocar na churrasqueira e outras fontes de calor para manter os alimentos. É muito mais seguro e não tem risco de explosão. São facilmente encontrados e lojas especializadas", recomenda. Confira no alto da página dicas do Corpo de Bombeiros para evitar acidentes com fogo.

Outra vítima de acidente foi o sargento aposentado da PM Paulo César de Oliveira, que morreu aos 51 anos após dez dias de internação. Ele sofreu queimaduras ao tentar acender uma churrasqueira.

Cuidados básicos com as crianças:

  • Não prepare alimentos quentes com a criança nos braços ou no colo;
  • Mantenha-as crianças longe da cozinha, principalmente na hora do preparo das refeições. A maior parte das queimaduras causadas por líquidos superaquecidos ocorrem nesse intervalo de tempo;
  • Não deixe ao alcance das crianças substâncias inflamáveis utilizadas para limpeza, como o álcool. Guarde-as em local seguro. Por produzirem chama quando em combustão, essas substâncias servem de atrativo para as crianças, especialmente na época das festas juninas;
  • Não deixe crianças soltarem fogos de artifício, principalmente do tipo explosivo. Além das queimaduras, eles causam lesões graves nas mãos, nem sempre passíveis de recuperação;
  • Não deixe fios e tomadas descobertos, porque podem causar lesões graves nas mãos e boca das crianças;
  • Não exponha a criança ao sol por muito tempo, principalmente entre 10h e 15h.

Cuidados gerais:

  • Evite fumar, principalmente deitado;
  • Utilize cinzeiros fundos e com proteção lateral;
  • Em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral. Nunca toque na vítima enquanto ela estiver em contato com a eletricidade. Toda vítima de queimadura elétrica deve ser levada ao hospital;
  • Evite manipular álcool próximo a cigarros, charutos, fósforos acesos, churrasqueiras e fogueiras;
  • Investigue vazamentos de gás. Feche a válvula do botijão antes de sair de casa e antes de ir dormir;
  • Mantenha o botijão de gás longe do calor direto e sempre na vertical;
  • Manipule os fogos de artifício com cuidado;
  • Evite o uso de bronzeadores caseiros;
  • Nunca considere uma queimadura um acidente sem importância;
  • Fogo e bebida não combinam. Evite.

Churrasqueira

  • Coloque a churrasqueira em um local arejado, nunca dentro de uma casa
  • Prefira usar barra de ceras para acender o fogo
  • Caso opte por utilização do álcool, não despeje grande quantidade sobre o carvão
  • Mantenha o frasco com álcool bem longe da churrasqueira
  • Nunca jogue álcool sobre o carvão para aumentar as chamas
  • Afaste as crianças das proximidades da churrasqueira

Como acender churrasqueira sem álcool

  • Pegue papel higiênico e óleo
  • Faça uma pequena bola com papel higiênico e coloque no meio da churrasqueira
  • Despeje óleo de cozinha por toda a bola de papel
  • Coloque pedaços grandes de carvão em cima da bola
  • Risque o fósforo e deixe o fogo queimar o papel e o carvão até ficar em brasas
  • Com cuidado vá colocando mais carvão na churrasqueira
  • A mesma técnica pode ser usada com os bastões de cera

Como lidar com vítimas de queimaduras

  • Despeje grande quantidade de água corrente caso a queimadura seja em pequena área da pele
  • Nunca passe pasta de dente, pomadas, ovo, manteiga, óleo de cozinha.
  • Não fure as bolhas;
  • Não retire a pele danificada;
  • Nunca arranque a roupa grudada na área queimada;
  • Não pressione o ferimento
  • Chame imediatamente o Corpo de Bombeiros

Tipos de queimaduras

1º grau: atinge a camada superficial da pele, a epiderme, não forma bolha.

2º grau: atinge a epiderme e parte da derme . Há presença de bolhas e a dor é acentuada;

3º grau: atinge todas as camadas da pele, músculos e ossos. Ocorre necrose da pele, que se apresenta com cor esbranquiçada ou escura. Curiosamente, esse tipo pode não ser doloroso, já que as terminações nervosas, que geram a dor, são destruídas junto com a pele.