Rio Preto vai suspender aulas pela TV Câmara

CANCELADO

Rio Preto vai suspender aulas pela TV Câmara

Contrato com produtora venceu e não há previsão de renovação; programa feito pela rede municipal de Educação é transmitido todos os dias, pela manhã, como forma de complemento às aulas remotas


Gravação de um dos programas que foram transmitidos
Gravação de um dos programas que foram transmitidos - Divulgação/Prefeitura

A Secretaria de Educação de Rio Preto vai suspender o programa "Rio Preto Educ Ação na TV", transmitido pela TV Câmara. O contrato com a empresa responsável pela produção das videoaulas venceu, sem previsão de renovação. As últimas gravações vão ao ar na semana que vem. O programa foi lançado em maio, como uma ferramenta de acessibilidade para cerca de 40 mil alunos dos ensinos infantil e fundamental da rede municipal, durante a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia de coronavírus.

Keila Daneluz Rosa, 36 anos, é mãe de Isis, 4 anos, e Yann, 10. As crianças estudam na escola municipal Professora Iêda de Seixas Souza, no Parque das Amoras, e acompanham as aulas semanais do programa na TV desde o início das atividades televisivas. "Eu sempre acompanho com eles. No dia da Isis (ensino infantil), a gente senta os três para ver as propostas lúdicas, as brincadeiras, as contações de histórias", conta a mãe. Yann está no quinto ano do ensino fundamental.

Transmitidos em sinal digital aberto da TV Câmara (canal 28.2) e pela NET (canal 4), os episódios começaram a ser divulgados em junho com conteúdos lúdicos para todas as idades escolares, sala de leitura, brincadeiras, artes e um bate-papo com especialista, chamado de aprender, cuidar e amar. As aulas são transmitidas durante a manhã com reprise durante a tarde. "Acho que o principal do programa é não perder o vínculo com a escola. Na cabeça das crianças, é a escola porque têm professoras e tem o compromisso de assistir a aula", analisa a mãe.

O contato das crianças com os professores acontece também por meio de conteúdos gravados pelos professores das turmas e compartilhados pelas redes sociais. De resto, o ensino em casa está sendo continuado por meio das apostilas e livros didáticos de papel distribuídos pelo programa Rio Preto Educ Ação. "Se parar o programa da TV, vai ficar complicado. Não que os professores não estejam se esforçando, não é isso", lamenta a mãe.

O programa da TV é voltado para todos os alunos da rede municipal de Educação - 21 mil alunos do fundamental e 19 mil do ensino infantil. "Essas aulas são muito interativas, de fácil entendimento e prendem a atenção das crianças. Falo isso pelos meus alunos, todos que assistem gostam", afirmou a professora do 5º ano Bianca Leão, da escola Iêda. "Nos sentimos representados ali na TV. Farão muita falta", completa a educadora.

A diretora da unidade, Juliana Ruiz, analisa a transmissão das aulas pela TV como uma forma de redução das desigualdades de acesso à internet pelos alunos da rede - há relatos de pais que possuem um único aparelho celular para a família toda. "A gente estava começando a construir um trabalho que poderia ser ampliado para um aproveitamento em frentes diferentes", afirma.

Desse "entrelaçamento", segundo Juliana, poderia ser produzido conteúdos mais densos, e "com mais imersão, o que traria um aprendizado mais valoroso", afirma. A produção e gravação das videoaulas, de acordo com a diretora, trouxe um envolvimento dos educadores, "engajamento numa perspectivava de construção do conhecimento", finaliza. "O programa Educ Ação na TV completava um hall de estratégias que melhoram a efetividade das aulas remotas."

 

Nesta terça-feira, 21, a Secretaria da Educação não confirmou a continuidade do projeto. "Atualmente, a Educação avalia a necessidade de renovação do programa de TV, considerando também a análise feita por cada escola com sua comunidade."

A pasta, no entanto, reconheceu a importância das transmissões do ponto de vista da democratização dos conteúdos durante as aulas em casa. "A veiculação televisiva deu maior alcance aos conteúdos da Educação municipal", diz nota.

Ainda segundo a Secretaria, o programa na TV integrava uma série de atividades do Programa Rio Preto Educ Ação. "As escolas passaram a ter autonomia na elaboração desses conteúdos, que começaram a ser enviados aos alunos em julho, por meios digitais ou impressos, da maneira que melhor atendesse a cada família", completa o comunicado.

Na última semana, a Educação criou um comitê para planejar o retorno das escolas presenciais, mas não há previsão de retorno. No Estado, a intenção é voltar no dia 8 de setembro.

A Secretaria não informou o valor pago à produtora que fez as filmagens dos programas. A transmissão na televisão era por meio de uma parceria com a TV Câmara. (FP)