Webinar com juiz de Rio Preto discute violência infantil

ENCONTRO ONLINE

Webinar com juiz de Rio Preto discute violência infantil

Números de Rio Preto também serão apresentados e servirão de base para analisar a situação da região em relação ao restante do País


Juiz Evandro Pelarin usará discussão para desenvolver planos com o município
Juiz Evandro Pelarin usará discussão para desenvolver planos com o município - Johnny Torres 9/1/2020

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ) promove, no próximo dia 31 de julho, um encontro online para discutir a violência contra crianças e adolescentes. O seminário será transmitido pela internet e contará com a presença do juiz da Vara da Infância e Juventude de Rio Preto, Evandro Pelarin, e o secretário Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, Maurício Cunha.

O objetivo é ter um conhecimento maior e melhor dos dados nacionais sobre a violência infantil e das ações programadas pelo governo federal, e um panorama geral do País, para a elaboração de planos para abordar tema na cidade. Os números de Rio Preto também serão apresentados e servirão de base para analisar a situação da região em relação ao restante do País.

"Essa discussão servirá de base e como subsídio para um projeto maior que estamos desenvolvendo com o município, para criar um instrumento de monitoramento e controle permanente de dados de violência, o que nos ajudará na construção de políticas públicas", afirmou Pelarin.

Segundo levantamento da Vigilância Epidemiológica de Saúde de Rio Preto, entre janeiro e maio, 340 crianças foram vítimas de violência na cidade e em 16,7% destes casos as vítimas foram abusadas sexualmente.

Segundo dados da Ouvidoria Nacional do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, quase 90% dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil são registrados no ambiente familiar o que dificulta a denúncia.

Problema que foi intensificado durante a pandemia, já que a subnotificação da violência infantil subiu pela dificuldade das vítimas serem identificadas e denunciarem os casos. Em Rio Preto, a avaliação é que a Prefeitura tem uma cobertura satisfatória para atender as vítimas de violência infantil, mas a quantidade de casos ainda gera apreensão. "Temos uma boa rede de atendimento. Nossos números estão na média nacional, sem desconsiderar que temos maior número de notificações que a média geral", pondera o juiz.