Inscrições para o Fies começam nesta terça-feira, 21

EDUCAÇÃO

Inscrições para o Fies começam nesta terça-feira, 21

Programa oferece financiamento do valor de cursos de graduação em faculdades particulares; início do pagamento pode ser após a formatura; prazo para tentar vaga no processo seletivo vai até sexta-feira, 24


Fies pode ser solicitado pelo site do programa na internet
Fies pode ser solicitado pelo site do programa na internet - Divulgação

A partir desta terça-feira, 21, estão abertas as inscrições para os estudantes que planejam fazer o Financiamento Estudantil, o Fies, no segundo semestre. Até o próximo dia 24, os estudantes que planejam iniciar os estudos no ensino superior em uma instituição particular poderão pleitear o financiamento por parte do governo, que fez alterações no funcionamento do programa.

Quem tiver interesse pode fazer a inscrição no site www.fies.mec.gov.br. Na página destinada especialmente para o Fies, haverá um redirecionamento para que o estudante faça o cadastro no sistema GOV, do Governo Federal, para, aí sim, poder seguir. Quem já tem o cadastro basta fazer o login.

As mudanças no Fies, programa que permite o financiamento estudantil e que possibilita o pagamento da mensalidade após o término do curso, foram anunciadas no final de 2019. O principal motivo, segundo o Ministério da Educação (MEC), foi a inadimplência. De acordo com o órgão, os números chegaram a 50%. O P-Fies, programa que possibilita o financiamento estudantil junto aos bancos, também foi modificado.

A partir de agora, para que o Fies seja aprovado, o estudante terá que alcançar uma nota mínima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): 400 pontos. Antes, o programa exigia, apenas, que o candidato não zerasse a redação. Segundo o Ministério da Educação, a nota média nacional na redação é 522,8. Além disso, o candidato ao financiamento precisa ter 450 pontos de média nas cinco provas de múltipla escolha.

Outro ponto alterado foi a renda máxima para que os estudantes participem do Fies. Agora, somente quem tem renda familiar de até três salários mínimos poderá ter acesso ao programa.

As transferências de curso também tiveram mudanças. Quem desejar mudar de carreira durante a faculdade só poderá fazê-lo se tiver uma nota no Enem superior à do curso almejado. Segundo o MEC, a nova norma tem o intuito de evitar fraudes.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), esta seria uma das irregularidades praticadas pela Universidade Brasil, de Fernandópolis, que é alvo de investigações por parte da Polícia Federal (PF).

Não podem participar

Não podem participar do Fies os candidatos pré-selecionados em processo seletivo anterior, enquanto perdurar situação de pendência. Aqueles que ainda não tenham quitado financiamento anterior pelo Fies ou pelo Programa de Crédito Educativo (Creduc) ou que ainda estejam em período de utilização do financiamento do Fies ou treineiros.

As inscrições são desta terça-feira, 21, a sexta-feira, 24. Para se inscrever no processo seletivo, acesse o Sistema de Seleção do Fies - FiesSeleção, no endereço: http://fies.mec.gov.br

O que é?

É uma ação do Ministério da Educação que financia cursos superiores não gratuitos com avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

Quem pode participar?

Poderá se inscrever no processo seletivo o candidato que participou do Enem, a partir da edição de 2010, e tenha obtido média aritmética das notas nas provas igual ou superior a 450 (quatrocentos e cinquenta) pontos e nota superior a 0 (zero) na redação. Também é necessário possuir renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até 3 (três) salários mínimos.

Taxas e pagamento

Os financiamentos concedidos com recursos do Fies, para estudantes com renda familiar per capita de até 3 salários mínimos, terão taxa real zero de juros.

Durante o curso, o estudante financiado deve pagar, mensalmente, o valor da coparticipação, que corresponde a parcela dos encargos educacionais não financiada, diretamente ao agente financeiro.

O pagamento

Deve ser iniciado no primeiro mês após a conclusão do curso, desde que o contratante tenha renda

O valor do financiamento será retido na fonte, ou seja, diretamente da renda do contratante

O prazo para quitar o financiamento pode chegar a 14 anos - dependendo do valor a ser descontado e do valor do curso