Rio Preto registra número recorde de pacientes internados

PANDEMIA

Rio Preto registra número recorde de pacientes internados

Com 6 mil casos de Covid e 174 mortes, Rio Preto tem 333 pacientes internados com suspeita ou confirmação da doença. Hospital de Base atingiu 94,8% de ocupação de leitos de UTI


Hospital de Base, em Rio Preto
Hospital de Base, em Rio Preto - Gilberto Marques/Divulgação/Governo SP

O Hospital de Base, referência para atendimento de pacientes com coronavírus em Rio Preto e região, tinha 94,8% dos 117 leitos da unidade de terapia intensiva (UTI) ocupados, conforme boletim divulgado nesta segunda-feira, 20. O número é o maior já registrado desde o início da pandemia, e coincide com a alta do número de casos na região. Somente em Rio Preto, na última semana, foram confirmadas mais 1,3 mil ocorrências da doença, totalizando 6.083. Entre domingo e segunda, dez pessoas morreram na cidade pela doença.

No Departamento Regional de Saúde (DRS), que abrange 102 municípios, a ocupação na segunda-feira, 20, era de 76,6% dos leitos de UTI, também a mais alta desde o início da pandemia, em março, com 67 novas internações em um dia. As vagas para pacientes de Covid-19 são um dos pontos levados em conta pelo governo do Estado para determinar qual o estágio das cidades. Atualmente, Rio Preto está na fase laranja, que permite a abertura de serviços não essenciais de maneira controlada.

A Santa Casa de Rio Preto também está bastante lotada. Na última semana, foram disponibilizados mais 14 leitos de enfermaria, totalizando 59. Nesta segunda, 53 (89,8%) estavam ocupados. A lotação na UTI era de 84,2%.

Em várias cidades da região, a ocupação dos leitos de enfermaria já ultrapassou os 100% e os pacientes estão sendo alocados em leitos de outros setores, respeitando-se o isolamento, ou sendo transferidos para outros municípios, via Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross). Isso já acontece, por exemplo, nas Santas Casas de Votuporanga e de Jales.

De acordo com a Secretaria de Saúde, havia neste, 333 pacientes internados com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Desses, 192 tinham coronavírus confirmado, sendo que 99 estavam em enfermaria e 93 em UTI. No restante a doença estava em investigação ou já havia sido descartada. "A representação dos casos Covid em UTI é grande. Esperamos que nos próximos dias a gente consiga ter uma redução dos números para que diminua os casos e a ocupação de leitos, que está acima de 80% e preocupa o município nesse momento", afirma Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.

A quantidade de mortos pelo coronavírus está crescendo. Entre domingo e segunda, Rio Preto confirmou mais dez óbitos, totalizando 174, com uma taxa de letalidade de 2,8%. "É consequência do número de contaminados", afirma Aldenis Borim, secretário de Saúde. Enquanto alguns pacientes evoluem com gravidade durante a hospitalização, outros sofrem paradas cardíacas já no momento da internação. "É um número alto porque estamos no pico, estamos dentro da faixa esperada de mortes", diz o médico.

Dentre os 174 mortos em Rio Preto, 24,1% tinham entre 20 e 59 anos. Segundo Andreia, a maioria dessas pessoas tinha alguma comorbidade e geralmente associada a outra - as principais são cardiopatias, diabetes, obesidade (uma das mais relevantes para complicações nos pacientes jovens), neurológicas, imunossupressão e asma.

"Eu diria que 60% da população estão cumprindo com a cidadania e fazendo as coisas certas; 40% não, e esses têm feito estrago, porque não fazem mal só para eles, propagam o vírus, esse é o problema, e acabam indo para os hospitais", afirma Borim sobre o isolamento social.

 

Além de Rio Preto, outras nove cidades confirmaram óbitos por coronavírus, que agora somam 566 na região. Mirassol confirmou o 11º óbito pela doença, de uma mulher de 62 anos, que desde o dia 15 de julho estava internada em um hospital particular de Rio Preto.

Votuporanga confirmou mais duas mortes, de um homem de 94 anos que estava hospitalizado em outra cidade e havia apresentado os primeiros sintomas em 22 de junho, e de uma idosa de 85 anos que estava hospitalizada em Votuporanga e cujos primeiros sintomas apareceram em 1º de julho. Ambos tinham outras doenças.

Nova Castilho registrou o segundo óbito nesta segunda-feira, 20. A vítima era um homem de 64 anos, com comorbidades, que estava internado na Santa Casa de Araçatuba há 11 dias.

O 12º óbito foi confirmado em Santa Fé do Sul no domingo, 19, em um idoso de 72 anos, com comorbidades, que faleceu um dia antes, no sábado, 18.

Nova Canaã Paulista teve a primeira confirmação de óbito por coronavírus no sábado, 18.

Mais duas mortes foram registradas em Itajobi - são seis no total. A Secretaria de Saúde da cidade não divulgou as informações dos pacientes.

Em Bady Bassitt, mais uma morte foi registrada, chegando a nove. O perfil da vítima não foi divulgado. Tanabi também registrou mais um óbito, chegando a 13. A Secretaria de Saúde da cidade não repassa as informações sobre sexo e idade dos pacientes. Estrela d'Oeste registrou o décimo óbito nesta segunda-feira, 20. As informações da vítima também não foram divulgadas. (Colaborou Ingrid Bicker)

 

Nesta semana, começam a funcionar os 23 leitos de unidade de terapia intensiva na UPA Jaguaré. Eles terão respiradores e a UPA se transformará em uma espécie de hospital voltado aos casos moderados e graves de síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Também haverá pelo menos dez leitos de enfermaria. Quando o paciente chegar, se não tiver diagnóstico de coronavírus, será colocado em um quarto isolado e somente depois encaminhado ao setor adequado - SRAG ou coronavírus.

De acordo com o secretário de Saúde, Aldenis Borim, uma das unidades respiratórias será colocada à disposição da população durante 24 horas para atender os casos leves de síndrome respiratória. Atualmente, as UBS Solo Sagrado, Anchieta, Estoril, Lealdade/Amizade, Vetorazzo, Caic/Cristo Rei, Santo Antônio e Anexo Faceres (exclusivo para atendimento infantil) dão assistência a pacientes com sintomas de coronavírus.

Segundo a Secretaria de Saúde, as UPA Tangará e Vila Toninho estão atendendo casos de síndrome respiratória e outros agravos; já as UPA Norte e Santo Antônio não estão atendendo pacientes com sintomas de gripe ou resfriado, apenas outros agravos de urgência e emergência.

Nesta quarta-feira, 22, também começarão a funcionar os dez leitos de UTI no Hospital de Jaci, que estão sendo montados em uma parceria da Secretaria de Saúde de Rio Preto e a Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, para atender pacientes rio-pretenses. Antes de receber internados, o frei Francisco Belotti, superintendente da entidade, fará a benção dos leitos. Nesta segunda-feira, 20, havia 17 moradores de Rio Preto internados na enfermaria. (MG)