Grupo faz 'vaquinha' para idosa e reforma casa destruída em incêndio, em Rio Preto

DONA LURDES

Grupo faz 'vaquinha' para idosa e reforma casa destruída em incêndio, em Rio Preto

Aposentada teve a casa destruída pelo fogo no início de maio


Rio Preto
Após campanha, Dona Lurdes tem casa atingida por incêndio reformada por voluntários
Após campanha, Dona Lurdes tem casa atingida por incêndio reformada por voluntários - Colaboração/Leitor

Em maio, um grupo de amigos criou uma "vaquinha" online para ajudar Lurdes Mázaro Serafim, idosa que teve a casa destruída por um incêndio na Estância Jockey Club, em Rio Preto. Em menos de um mês, a reforma do local foi concluída, graças à arrecadação de R$ 8.785,44, quantia conseguida com a doação de 116 apoiadores.

A obra teve início no dia 25 de maio, enquanto Dona Lurdes aguardava pela revitalização do espaço na casa de uma vizinha. Na segunda quinzena de junho, as paredes e estruturas já estavam erguidas, bem como os pisos e outros detalhes, com exceção da pintura, que não foi realizada por ausência de verba.

No último final de semana, Dona Lourdes, então, voltou para sua casa e foi surpreendida com doações de roupas, móveis e produtos, obtidos também durante a campanha.

O caso

Aposentada e vive com o filho em uma casa, que pertence a uma chácara para qual ela presta serviços há 15 anos. Acumuladora de objetos, sua residência acabou em chamas, o que fez com que ela perdesse totalmente os objetos, móveis, objetos pessoais e dinheiro, além de ter parte da estrutura da casa atingida, danificando inclusive os telhados.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e compareceu ao local, bem como a Polícia Civil, a Secretaria de Serviços Gerais e a Defesa Civil. A iniciativa de ajudar a idosa surgiu da advogada Crycia Bartolomei Mussi, que ficou sabendo do ocorrido e pensou em uma ação para ajudar a reerguer o imóvel. Com a ajuda de amigos, ela arrumou profissionais para avaliar a casa e trabalhar na reconstrução e lançou a vaquinha online.

O grupo - que conta também com o auxílio de Larissa Oliveira, Eric Carvalho Martins, José Rodolfo Biagi M. Mussi, Cris Ferreira, Marcela Bueno Carvalho, Edinei Rosa Florencio, Breno Baldin e Gislaine Bartolomei - conseguiu, além do dinheiro, doações de materiais para construção como tijolo, cal, parte elétrica, madeira e ferragem.

Antes de iniciar as reformas, foi preciso retirar tudo que restou da casa, que acumulava diversos pertences. "A empresa de caçamba não conseguiu acessar devido à rede elétrica e também pelo tipo de material que não se enquadra como entulho, então vamos amontoar e retirar pra poder começar os trabalhos de uma vez", explicou a voluntária na época do incêndio.