Em Rio Preto, profissionais da saúde vão receber vacina contra Covid em fase de testes

PESQUISA

Em Rio Preto, profissionais da saúde vão receber vacina contra Covid em fase de testes

Famerp aguarda protocolo do estado para definir as regras de seleção dos voluntários em Rio Preto


Médico virologista Maurício Nogueira Lacerda coordenará testes em Rio Preto
Médico virologista Maurício Nogueira Lacerda coordenará testes em Rio Preto - Divulgação/ Famerp

Profissionais de saúde serão selecionados para receber as doses da vacina contra a Covid-19 que será testada pela Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp). A instituição aguarda protocolo do governo do Estado de São Paulo para definir as regras de seleção dos voluntários e ainda não decidiu se abrirá para testes na população. Em um primeiro momento, apenas os profissionais de saúde serão submetidos aos testes.

Em Rio Preto, os testes serão coordenados pelo médico virologista Maurício Nogueira, que guiará os profissionais da Famerp na aplicação das doses nos voluntários. Em seguida, os vacinados serão acompanhados por médicos e pesquisadores da instituição para verificar a eficácia da vacina. A expectativa do governo de São Paulo é que os testes em humanos comecem na semana que vem. O estudo só aguarda aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que, segundo o Instituto Butantan, deve sair até o fim da semana.

"Vacinação é a maneira mais eficaz para evitar doenças, por isso a importância do desenvolvimento da imunização para a Covid-19. Já estamos estudando, em outra pesquisa, os efeitos dessa doença no organismo humano", disse Maurício.

A vacina que será testada em Rio Preto foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech - o mesmo que, em 2009, foi um dos primeiros do mundo a lançar uma vacina eficaz contra a gripe suína. Segundo o laboratório chinês, os testes realizados com cerca de mil pessoas na China, nas fases 1 e 2, indicaram que 90% das pessoas produziram anticorpos contra a doença após duas semanas da aplicação e não foram identificados efeitos colaterais. Resultado positivo que possibilitou a continuação dos estudos para a última fase, que será realizada em 12 centros de pesquisa do Brasil - incluindo Rio Preto.

Não foi divulgado o número de pessoas que serão vacinadas em Rio Preto, apenas que metade dos voluntários será vacinada com a nova imunização e a outra metade com doses placebo - medicamento sem efeito. O objetivo é que nem o pesquisador nem o paciente saibam o que recebeu para que isso não interfira no resultado do estudo. Ao todo, serão nove mil voluntários no País. A partir da próxima semana serão divulgados os critérios para seleção de voluntários e quem poderá ser "cobaia" nos testes.

Os testes que serão feitos em Rio Preto fazem parte da última fase exigida por agências regulatórias antes da aprovação de um medicamento ou terapia contra a Covid-19. A vacina que será testada na cidade é uma das mais adiantadas do mundo. O governo do Estado de São Paulo investiu R$ 85 milhões para a realização do estudo e a expectativa é de que a vacina batizada de Coronavac esteja disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) até junho do ano que vem, com a produção de 60 milhões de doses na primeira fase.

Além da Famerp, no Estado de São Paulo as doses serão testadas pelo Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Hospital Israelita Albert Einstein, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, Hospital das Clínicas da Unicamp e Centro de Saúde da USP de Ribeirão Preto. Outros cinco estados também testarão a vacina: Núcleo de Medicina Tropical da Universidade de Brasília (DF); Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fiocruz (RJ); Centro de Pesquisa de Desenvolvimento de Fármacos (UFMG); Hospital São Lucas da (PUC-RS) e Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR).