Em uma semana, Rio Preto registra 742 casos de CovidEm uma semana, Rio Preto registra 742 casos de Covid

CRESCIMENTO MAIS RÁPIDO

Em uma semana, Rio Preto registra 742 casos de Covid

Rio Preto chegou nesta segunda-feira, 29, a 2.601 casos positivos de Covid. São 742 ocorrências a mais em relação à segunda anterior - maior crescimento de uma semana para outra desde o início da pandemia


coronavírus
coronavírus - Freepik/Banco de Imagens

Em uma semana, Rio Preto confirmou 742 novos casos de coronavírus e 18 mortes pela doença. É o maior crescimento de ocorrências de uma semana para outra desde o início da pandemia. Apenas nos últimos três dias - de sábado, 27, para segunda-feira, 29 - foram confirmados 358 casos da doença, o que representa 48% dos registros do período, quase metade dos casos confirmados nos últimos sete dias na cidade.

O levantamento feito pelo Diário sobre a evolução dos casos de Covid-19 em Rio Preto considera desde o primeiro caso confirmado até a atualização do último boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde, divulgado durante coletiva de imprensa transmitida pelas redes sociais nesta segunda-feira, 29.

Em relação às mortes, o número só não foi maior do que do penúltimo período, quando 20 pessoas morreram pela doença no período de sete dias - de 15 a 22 de junho.

De acordo com a última atualização da Secretaria da Saúde, Rio Preto contabiliza 2.601 casos positivos de coronavírus e 78 mortes pela doença. Foram oito óbitos por Covid-19 registradas entre a noite de sábado, 27, e essa segunda, 29. As vítimas são três idosas na faixa etária de 70 a 79 anos, outras duas idosas acima de 90 anos; um homem de 42 anos e outros dois idosos entre 70 e 79 anos, cuja a idade exata não foi informada pela prefeitura - todos os pacientes tinham alguma comorbidade.

"Dos 78 óbitos [registrados em Rio Preto], 39 foram vítimas do sexo feminino e 39 do sexo masculino. No sexo feminino, as pessoas que tiveram na faixa etária entre 20 e 59 anos correspondem a 18% do total de mortes. E no sexo masculino a 28%. Então na faixa etária mais jovem são os homens que estão sendo mais acometidos pela doença. E claro que nesses casos, as vítimas, normalmente, tinham alguma comorbidade", explicou a gerente da vigilância epidemiológica de Rio Preto, Andréia Negri.

Durante a coletiva de imprensa, Andréia também mostrou um gráfico que revelou que a cada nova semana vem aumentando na cidade o número de pessoas com algum tipo de sintoma gripal leve, o que tem acarretado em mais casos positivos de Covid-19. Na semana passada, por exemplo, das 4.030 pessoas com sintomas leves que procuraram atendimento na rede municipal e particular da cidade, 21% testaram positivo para coronavírus. "O número de notificações vem aumentando. Nas últimas semanas com maior número de notificações para casos leves, esse percentual de positivos também foi maior, por isso tivemos um aumento no número de casos positivos para a doença", disse Andréia.

Segundo a última atualização da Secretaria da Saúde, 212 pessoas de Rio Preto estão internadas, sendo 76 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e 136 em enfermarias. "Fiquem alertas e façam a prevenção. Uma doença que a gente ainda desconhece e que o tratamento dela é muito difícil", alertou. Até o momento, 1.598 pacientes são considerados curados da doença.

Leitos

Hospitais de Rio Preto também já estão sentindo o crescimento do número de casos positivos de coronavírus nas enfermarias e UTIs. Na Santa Casa, de acordo com dados levantados pela reportagem, a enfermaria operava com 80% da capacidade e 66% na UTI até o final da tarde desta segunda-feira, 29. Já no Hospital de Base, a enfermaria especializada em coronavírus estava com 69 leitos ocupados, cerca de 24,6% do total, enquanto a UTI Covid estava com 54 leitos ocupados, cerca de 46,1%.

Além de Rio Preto, a região confirmou entre o final de semana e essa segunda-feira, 29, mais 22 mortes por coronavírus. Os óbitos aconteceram em Novo Horizonte, Cardoso, Fernandópolis, Votuporanga, Barretos, Catanduva, Mendonça, Santa Fé do Sul, Estrela d'Oeste, Pirangi, Ibirá e José Bonifácio.

Em Novo Horizonte e Cardoso, foram confirmados no final de semana as primeiras mortes por Covid-19. Em Cardoso, a vítima é um homem de 75 anos que morreu no sábado, 27. Já em Novo Horizonte, a paciente é uma idosa de 68 anos que estava internada na Santa Casa. Os dois pacientes apresentavam comorbidades.

Em Catanduva, no sábado, foi confirmada a morte por Covid de uma idosa de 64 anos. Já nesta segunda-feira, 29, a vítima foi um idoso de 65, que estava internado no Hospital São Domingos. Ao todo, Catanduva já tem 24 mortes pela doença.

Barretos também viu o seu número de mortes saltar nos últimos três dias. A cidade confirmou mais 10 mortes e chegou 38 óbitos pela doença desde o início da pandemia. O perfil dos pacientes não foi informado pela prefeitura.

Em Votuporanga, no domingo, 28, a Secretaria da Saúde registrou o 13° óbito. Segundo a pasta, a vítima é um homem de 49 anos, que apresentava comorbidades. Ele estava hospitalizado e apresentou o início dos sintomas no dia 24 de junho.

Já em Santa Fé do Sul, a terceira vítima de Covid-19 é um idoso de 83 anos. Também foi confirmado nesta segunda-feira, 29, a segunda morte por coronavírus em Ibirá. A vítima foi uma mulher de 36 anos, que tinha câncer, e estava no Hospital de Base de Rio Preto. Ela morreu no domingo, 28.

Mendonça, que na semana passada decretou toque de recolher, confirmou a terceira morte. A vítima foi um idoso de 79 anos, que estava internado há 30 dias após ter testado positivo para a doença. A esposa dele também morreu no último dia 3 de junho por Covid-19.

Segundo a Secretaria da Saúde, a terceira vítima de coronavírus em José Bonifácio foi um idoso de 79 anos, que tinha comorbidades. Já em Estrela d'Oeste, a sexta vítima foi o professor de basquete João Baptista Siqueira, conhecido como Zan. Ele tinha 83 anos e estava internado com Covid-19 desde o dia 20 de junho. Considerado uma lenda do basquete regional, o professor Zan foi um dos responsáveis por popularizar o esporte no interior paulista na década de 1970.

Foram confirmadas mortes em Fernandópolis e Pirangi, mas o perfil dos pacientes não foi informado até o fechamento desta reportagem. (RC)

RIO PRETO

  • 2.601 casos confirmados
  • 78 mortes
  • 212 internados (incluindo casos positivos e suspeitos)
  • 1.598 recuperados

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde

REGIÃO

  • 8.518 casos confirmados
  • 278 mortes
  • 4.752 recuperados

Fonte: Secretarias municipais até 16h30

ESTADO

  • 275.145 casos confirmados
  • 14.398 mortes
  • 43.855 recuperados

Fonte: Governo do Estado

BRASIL

  • 1.368.195 casos confirmados
  • 58.314 mortes
  • 757.462 recuperados

Fonte: Ministério da Saúde

MUNDO

  • 10.199.798 casos confirmados
  • 502.947 mortes
  • 5.169.421 recuperados

Casos confirmados e mortes

  • Estados Unidos: 2.630.264 e 128.007
  • Brasil: 1.368.195 e 58.314
  • Rússia: 641.156 e 9.166
  • Índia: 567.536 e 16.904
  • Reino Unido: 311.965 e 43.575
  • Peru: 282.365 e 9.504
  • Chile: 275.999 e 5.575
  • Espanha: 248.970 e 28.346
  • Itália: 240.436 e 34.744
  • Irã: 225.205 e 10.670

Aos 94 anos de idade, Joaquim dos Santos conseguiu vencer a Covid-19 em Rio Preto. Internado há cerca de 20 dias no Hospital de Base, ele recebeu o "certificado de coragem" ao vencer a batalha contra a Covid nesta segunda-feira, 29. O neto Marcos Renato Abreu, 35 anos, compartilhou a imagem do avô em suas redes sociais e a família aguarda Joaquim em casa.

Marcos conta que há 60 dias o avô caiu em casa e quebrou a cabeça do fêmur. Ele foi para o hospital, onde passou por uma cirurgia e voltou para casa. Ele chegou a passar pelo teste da Covid, mas deu negativo. Seis dias depois, Seu Joaquim começou a ter febre e foi levado novamente para o hospital, onde passou mais uma vez pelo teste, que deu negativo.

"Há 22 dias ele sentiu os sintomas do coronavírus, como febre, um pouco de falta de ar e voltou para o hospital. Passou pelo exame e desta vez deu positivo para o vírus", conta o neto.

Ele explica que a família ficou apreensiva, pois o avô chegou a receber os cuidados paliativos, devido à idade. Joaquim é cego e precisava de cuidados especiais.

"Quando recebemos as fotos de que meu avô tinha vencido a Covid, ficamos muito emocionados. Estamos muito felizes", ressalta Marcos. Mesmo com a alta, Seu Joaquim vai precisar do equipamento de oxigênio ainda por alguns dias.

(Colaborou Luna Kfouri)