Chuva e frio frustram lojistas do Calçadão de Rio Preto

MINI-LOCKDOWN

Chuva e frio frustram lojistas do Calçadão de Rio Preto

Reabertura do comércio aos sábados atraiu poucos consumidores


Consumidores caminham pelo Calçadão na manhã de sábado
Consumidores caminham pelo Calçadão na manhã de sábado - Marco Antonio dos Santos 27/6/2020

O tempo chuvoso e a baixa temperatura prejudicaram o primeiro dia de permissão de funcionamento do comércio central de Rio Preto aos sábados. Os lojistas calculam redução de 40% de clientes. Domingo, segunda e terça-feira, as lojas ficarão fechadas, como parte do mini-lockdown contra o coronavírus.

Antes da nova regra, as lojas podiam manter as portas abertas por quatro horas, para atender os clientes de segunda a sexta. Agora, é permitido ao comércio abrir por seis horas, mas com fechamento em três dias.

Os consumidores tiveram um problema extra neste sábado: pisar na lama formada nas proximidades dos trechos em obra.

A baixa presença de clientes fez com que a imagem mais vista nas lojas fosse de vendedores de braços cruzados ou na arrumação das mercadorias nas prateleiras.

Apenas as grandes lojas de eletrodomésticos tinham pequenas filas, compostas por pessoas à espera da vez para pagar o carnê ou permissão para entrar no estabelecimento comercial para fazer suas compras.

Os comerciantes reclamaram que o fato da Prefeitura ter divulgado os novos horários de funcionamento só no final da tarde de sexta-feira obrigou muitos a avisarem os funcionários de última hora, que teriam de vir trabalhar no sábado.

Para o comerciante Anderson Martins, 32 anos, proprietário de uma loja de bolsas na rua General Glicério, o fraco faturamento neste sábado traz frustração aos lojistas. "O problema é que vamos ficar sem poder faturar na segunda e na terça-feira, justamente nos últimos dias do mês, quando parte dos clientes recebem seus pagamentos e vêm fazer suas compras", lamenta o lojista.

Outro comerciante, Flávio Júnior Cavalcante, 47 anos, tinha até colocado produtos em oferta, para impulsionar as vendas neste sábado.

"A Prefeitura mandou a gente fechar pelos próximos dias para evitar aglomeração, mas é justamente o que vai acontecer aqui no Calçadão, quando reabrimos as portas", critica o lojista.