Decreto obriga uso de máscaras e proíbe aglomerações em atividades ao ar livre

ISOLAMENTO QUEBRADO

Decreto obriga uso de máscaras e proíbe aglomerações em atividades ao ar livre

Mesmo com o estacionamento proibido, pistas de caminhada e áreas de lazer de Rio Preto continuam a receber grande quantidade de pessoas, muitas delas sem máscara


Idoso sem máscara com bebê no colo na praça do Vivendas
Idoso sem máscara com bebê no colo na praça do Vivendas - Johnny Torres

No lugar de carros, o estacionamento da pista de caminhada da avenida Philadelpho Gouveia Neto, bem na frente de base da Guarda Civil Municipal (GCM), agora recebe grupos de pessoas para a prática de treino funcional - sem obedecer completamente ao distanciamento e ao uso de máscaras como forma de prevenção ao coronavírus. O ponto foi interditado para veículos para evitar aglomerações nas pistas de caminhada, mas a ação não surtiu efeito: no início da manhã e no fim de tarde, tradicionais pontos de lazer e esportes de Rio Preto lotam.

A interdição dos estacionamentos se tornou ineficaz, porque os frequentadores estacionam seus veículos em ruas próximas. Nesta quarta-feira, 24, o Diário flagrou aglomerações na Philadelpho, na Represa e no Vivendas.

O fechamento dos estacionamentos das pistas da Philadelpho e da Represa Municipal ocorreu no dia 16 de abril deste ano, por determinação do secretário municipal de Saúde, Aldenis Borin, que ficou assustado com a quantidade de frequentadores. Pouco tempo depois, também para evitar aglomeração, a Prefeitura interditou o estacionamento na avenida Waldemar Haddad, na região do Quinta do Golfe.

Como a lotação permanece, o Comitê de enfrentamento ao coronavírus informou que analisa a possibilidade de fechar as pistas de caminhadas.

Segundo a Prefeitura de Rio Preto, a prática de exercícios físicos não está proibida, porém, decreto estadual sobre o isolamento social diz que é obrigatório o uso de máscaras em todo o estado de São Paulo. A Prefeitura reafirma o pedido para que a população use máscaras e que fique em casa quando puder para evitar a transmissão do coronavírus na cidade - nos últimos dias, o índice de isolamento social na cidade tem ficado entre 42% e 43% durante a semana.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que a reunião de três ou mais pessoas num mesmo local já é considerado aglomeração. E a fiscalização cabe à GCM. As atividades físicas ao ar livre estão permitidas com no máximo dois alunos. "Caso estejam ocorrendo aglomerações, o munícipe deve denunciar à Guarda Municipal, que tem a competência para fazer a abordagem".

Com 15 anos de experiência em corridas de rua, o professor de educação física Rodrigo Iouye diz que o uso de máscara é fundamental para evitar a contaminação pelo coronavírus. "Precisa usar máscara para não correr o risco de entrar em contato com o rastro de até quatro metros de distância feito por partículas da respiração da pessoa que podem conter vírus da Covid-19", alerta o treinador.

Segundo Danilo Venâncio Hermógenes, especializado em fisiologia esportiva pela Famerp, é necessário tomar muito cuidado com o tipo de tecido usado nas máscaras para correr. "O melhor é usar uma máscara com tecido de poliéster ou tactel, que permitem respirar melhor, sem abrir mão da proteção contra o vírus", diz o especialista.

Mas Danilo recomenda aos corredores fazer testes em pequenas distância com as novas máscaras, para ver se consegue se adaptar. "Corra por até dois quilômetros, para observar se consegue respirar. Nunca usem máscaras de tecido comum, porque, além de dificultar a entrada de ar, vai fazer com que a pessoa aspire mais gás carbônico do que ela acabou de exalar. Isso pode causar sentir tontura e desmaio", afirma.