50 cidades da região de Rio Preto dobram números de casos de Covid

EM 15 DIAS

50 cidades da região de Rio Preto dobram números de casos de Covid

De 10 a 24 de junho, região saltou de 3.182 para 6.737 pacientes com coronavírus. Os casos dobraram em 50 cidades - em algumas, aumento foi ainda maior. Em Rio Preto, crescimento foi de 91,55%


Os picos na borda externa das partículas do vírus dão aos nomes dos coronavírus, em forma de coroa
Os picos na borda externa das partículas do vírus dão aos nomes dos coronavírus, em forma de coroa - Niaid-RML/Fotos Públicas

Em 15 dias, mais do que dobrou o número de casos confirmados de coronavírus na região. De 3.182 registros de Covid-19 no último dia 10 de junho, a região passou para 6.737 na última quarta-feira, 24, segundo levantamento feito pelo Diário - nesta quinta, número foi para 7.015 casos. O crescimento foi de 112%. Em alguns municípios, como Ouroeste, o aumento de casos positivos chegou a seis vezes mais do que o registrado há duas semanas.

Entre 120 cidades analisadas no levantamento, em 50 o aumento foi igual ou superior a 100% (veja na tabela). Na análise, não foram levados em consideração municípios que tinham um caso e passaram para dois em 15 dias, como foi o caso de Paulo de Faria e Paranapuã.

Em Rio Preto, o aumento de casos positivos em 15 dias foi de 91,5%. Já em Ariranha, esse crescimento foi ainda maior: 19 vezes mais casos do que o registrado há 15 dias. A cidade passou de dois para 40 no período. "Acreditamos que esse aumento foi porque testamos todos os profissionais de saúde e pacientes sintomáticos que procuravam atendimento. Desses 40 casos confirmados, 18 eram profissionais da saúde", disse a diretora de higiene e saúde de Ariranha, Letícia Ayusso Baldini.

Outras cidades que também viram o número de casos "explodir" nos últimos dias foram Estrela d'Oeste e Tabapuã. A primeira foi de 23 a 104. "Digo que quanto mais testes, mais aparece (casos) e isso que estamos fazendo. Muitos dos casos são de pessoas que tiveram contato com os primeiros pacientes que testaram positivo, e na cidade estamos testando essas pessoas com sintomas após ter o contato", declarou a secretária da Saúde de Estrela d'Oeste, Elisabete Campanholo Ruiz Moro.

Em Tabapuã, o comércio estava funcionando durante o mês de maio e teve que retroceder e fechar as portas. O município passou de 42 para 124 casos nos últimos 15 dias. "Estamos realizando de 20 a 30 testes por dia, e isso reflete no número de casos", afirmou a secretária da Saúde, Karyna Camilo.

Todas as secretarias ouvidas pela reportagem disseram que um dos fatores de maior transmissão da doença em cidades pequenas tem sido festas em família nos finais de semana. "Aumentamos a fiscalização. No último final de semana, por exemplo, flagramos várias festas em chácara e isso é preocupante", disse Karyna. Nesses casos, se uma pessoa está infectada pode contaminar diversas outras da família. Foi o que aconteceu em José Bonifácio, onde sete pessoas foram contaminadas no começo do mês após uma reunião de família.

Entre os municípios maiores, com hospitais de referencia, Fernandópolis foi o que teve maior aumento de casos (176%); seguido por Votuporanga (160%) e Catanduva (133%). Enquanto isso, Mirassol e Santa Fé do Sul tiveram um aumento menor do que o dobro de casos, com 81 e 79% de aumento, respectivamente.

Em Barretos, que estava na fase amarela na primeira quinzena de junho - podendo abrir um maior número de estabelecimentos comerciais - e teve que retroceder para a fase vermelha - funcionando apenas serviços essenciais - o crescimento foi de 115%, de 385 para 830 casos.

Para a especialista em ciências da saúde Nathalia Zini, os números comprovam o avanço da doença pelo interior. "A grande diferença desse vírus é que a Covid-19 possui uma alta taxa de transmissibilidade. Tem uma forma de transmissão muito rápida, e com o aumento da locomoção das pessoas vemos que o vírus está circulando mais. Por isso, da importância de usar a máscara e evitar aglomerações."

A especialista também destaca a importância da conscientização para conter o avanço da doença e evitar um colapso no sistema de saúde. "Tivemos várias fases. Em um primeiro momento, o fato das pessoas terem medo do vírus gerou a fase do pânico, a fase da melancolia de não aguentar mais ficar em casa, e, quando a gente começa a aumentar mais os casos, começamos a relaxar as nossas atitudes. Quando a doença ganha rosto, as pessoas acabam percebendo como ela evolui de maneira rápida."

Clique aquitabela com os casos em Rio Preto e Região

A região registrou mais dez mortes por coronavírus nesta quinta-feira, 25. e chegou a 234 mortes pela doença. Há 15 dias eram 123 mortes no Noroeste paulista. Apenas em Rio Preto, foram mais cinco óbitos por Covid-19 nesta quinta e a cidade chegou a 65 mortes.

A primeira morte por Covid-19 em Rio Preto foi anunciada durante a coletiva de imprensa na manhã dessa quinta-feira, 25. Segundo a Secretaria da Saúde, a paciente é uma idosa de 79 anos que tinha comorbidades. No final da tarde, por meio de nota, a Prefeitura confirmou mais quatro óbitos. Os pacientes eram homens de 59, 60, 77 e 90 anos e apresentavam comorbidades.

Nesta quinta, Rio Preto também superou a marca de 2 mil casos positivos de coronavírus. Foram 20 novos registros da doença entre quarta e a manhã de quinta-feira, 25. A atualização também mostrou que 1.266 pessoas (63%) já se encontram curados da doença.

Segundo a gerente da Vigilância Epidemiológica de Rio Preto, Andréia Negri, o tempo de permanência de pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e enfermarias da cidade é de 9 dias em média. A variação é de 1 a 37 dias. "A pessoa quando tem um sintoma mais intenso, além da febre e coriza, e interna, percebemos em relação aos últimos casos que a probabilidade de ser coronavírus aumenta", afirmou Andréia.

Mortes na quinta

Rio Preto: 5

  • Homens de 59, 60, 77 e 90 anos
  • Mulher de 79 anos

Barretos: 2

  • Perfis não divulgados

Tabapuã: 2

  • Idoso de 93 anos
  • Idosa de 77 anos

Estrela d’Oeste: 1

  • Idosa de 86 anos

Nova Aliança: 1

  • Mulher de 25 anos, com síndrome de down

Região

Quatro cidades da região também confirmaram mortes por coronavírus nesta quinta. Tabapuã, Estrela d'Oeste, Nova Aliança e Barretos confirmaram mortes pela doença.

Nova Aliança, cidade que não tinha caso há 15 dias, chegou a 28 casos confirmados e registrou a primeira morte pela doença. A vítima é uma jovem de 25 anos, que tinha síndrome de down.

A sexta morte por coronavírus em Tabapuã foi de uma idosa de 77 anos de um asilo da cidade. A sétima vítima na cidade é um idoso de 93 anos. Já em Estrela d'Oeste, a vítima é uma idosa de 86 anos, que tinha diabetes e hipertensão e morreu no último dia 6 de junho na Santa Casa de Fernandópolis. É a quinta morte por Covid-19 na cidade.

Barretos também confirmou mais duas mortes por coronavírus e chegou a 28 óbitos confirmados da doença. O perfil dos pacientes não foi informado até o fechamento da reportagem. (RC)

Após mais de três meses de pandemia, foi nesta quinta-feira, 25, que Riolândia, Pontes Gestal e Marinópolis confirmaram os primeiros casos de coronavírus. As três cidades integravam a lista de municípios que não haviam registrado casos positivos. Agora são apenas seis municípios no Noroeste Paulista sem casos da doença.

Avanço no interior

Pelo segundo dia consecutivo, o Estado de São Paulo registrou mais de nove mil novos casos de infecção pelo coronavírus, chegando a 248.587 pessoas com Covid-19. Nesta quinta-feira, 25, o Estado obteve o segundo pior recorde do número de mortes confirmadas em 24 horas: 407. O total de mortes passou de 13.352 para 13.759 nesta quinta.

Pelo primeiro dia, o acumulado de mortes no interior do Estado, 6.677, ficou maior do que o da capital, 6.675.

O secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann, afirmou que os números estão dentro das projeções do governo feita para este mês.

(RC com Agência Estado)

RIO PRETO

  • 2.016 casos confirmados
  • 65 mortes
  • 206 internados (incluindo casos positivos e suspeitos)
  • 1.266 recuperados

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde

REGIÃO

  • 7.015 casos confirmados
  • 235 mortes
  • 3.733 recuperados

Fonte: Secretarias de Saúde dos municípios

ESTADO

  • 248.587 casos confirmados
  • 13.759 mortes
  • 40.859 recuperados

Fonte: Governo do Estado

BRASIL

  • 1.228.114 casos confirmados
  • 54.971 mortes
  • 673.729 recuperados

Fonte: Ministério da Saúde

MUNDO

  • 9.494.571 casos confirmados
  • 484.155 mortes
  • 4.782.910 recuperados

Casos confirmados e mortes

  • Estados Unidos: 2.452.276 e 124.133
  • Brasil: 1.228.114 e 54.971
  • Rússia: 613.994 e 8.605
  • Índia: 491.170 e 15.308
  • Reino Unido: 307.980 e 43.230
  • Peru: 268.602 e 8.761
  • Chile: 259.064 e 4.903
  • Espanha: 247.486 e 28.330
  • Itália: 239.706 e 34.678
  • Irã: 215.096 e 10.130