Grupo de rio-pretenses pede liberação de viaduto na BR-153

PROTESTO

Grupo de rio-pretenses pede liberação de viaduto na BR-153

Com cartazes, eles reclamam da demora e reivindicam a entrega do viaduto que dá acesso direto da avenida para bairros e chácaras da região do distrito de Talhado


Cerca de 60 pessoas participaram do protesto neste sábado, perto do viaduto: ele pedem providências em 15 dias
Cerca de 60 pessoas participaram do protesto neste sábado, perto do viaduto: ele pedem providências em 15 dias - Divulgação

Um grupo de moradores e comerciantes da região da avenida Danilo Galeazzi fizeram um protesto na manhã de sábado, 20, no trevo que dá acesso ao distrito de Talhado, na BR-153, em Rio Preto. Com cartazes, eles reclamam da demora e reivindicam a entrega do viaduto que dá acesso direto da avenida para bairros e chácaras da região do distrito de Talhado. Com a interdição do viaduto, os moradores, comerciantes e motoristas que passam pelo local têm que fazer um desvio de seis quilômetros, ou seja, dirigir cerca de 20 minutos a mais no trajeto.

Comerciantes alegam que houve uma queda de até metade do movimento nos estabelecimentos e assim muitos prejuízos financeiros. Os clientes, que passavam pela avenida Galeazzi em direção ao Distrito Industrial Carlos Arnaldo, aos bairros Lealdade e Amizade, Parque da Liberdade, Talhado e chácaras, deixaram de transitar pelo trecho. "Com a interdição do trevo, as pessoas passaram a ir nos comércios de outros bairros e o nosso movimento aqui caiu muito", afirma Aline Souza, que tem um estabelecimento comercial no bairro João Paulo II.

De acordo com Jorge Carlos dos Santos, que participou do protesto, os moradores e comerciantes, que dependem do trevo para se locomover, cobram a agilidade na liberação do viaduto que liga a vicinal do Distrito de Talhado e os conjuntos habitacionais Lealdade e Amizade à avenida Danilo Galeazzi. "Os participantes deram um prazo de 15 dias para a Prefeitura Municipal. O prefeito Edinho Araújo prometeu que vai resolver no prazo".

A obra total, com construção de avenidas marginais, terá 14 viadutos e oito passarelas. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) liberou os seguintes viadutos implantados sobre a BR-153: Avenida Nossa Senhora da Paz; Represa Municipal (km 61,53); avenida Murchid Homsi - Pista Norte e Pista Sul; avenida Augusto Signorini - Pista Norte; avenida Augusto Signorini - Pista Sul; e avenida José Munia; Av. Juscelino Kubistchek.

Um dos questionamentos do grupo que protestou neste sábado é sobre a liberação rápida de outros trechos da duplicação, como a do viaduto próximo ao Shopping Iguatemi. "Queria saber porque lá foi tão rápido e aqui está tudo muito lento", afirma o vendedor Paulo Silva, morador do João Paulo II.

Nesta sexta-feira, 19, o ministro da infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou em uma videoconferência com empresários do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) que "não vão faltar recursos para a obra de duplicação da BR-153" no trecho urbano de Rio Preto e que a entrega da rodovia duplicada deve acontecer até dezembro deste ano.

Orçada atualmente em R$ 260 milhões, a duplicação do trecho urbano da BR-153 começou em 2016 e soma 17,8 quilômetros de trecho urbano (entre o trevo do distrito de Talhado até o limite com Bady Bassitt). "No ano passado, nós tivemos muita dificuldade de orçamento. Tivemos de fazer vários remanejamentos e priorizamos essa importante obra para que o trabalho não parasse. Conseguimos, com isso, manter a obra em andamento. Agora nossa previsão é, de fato, concluir a duplicação no final deste ano", disse o ministro.