"Com 60 dias, nós podemos afirmar que conseguimos achatar a curva. Na realidade, se nós não tivéssemos achatado a curva, hoje estaríamos em Rio Preto com cerca de 2 mil casos", diz o secretário da Saúde de Rio Preto, Aldenis Borim.

Em entrevista ao Diário, Borim afirma que em questão de saúde, os 60 dias de quarentena foram muito importantes para Rio Preto, tanto para não colapsar o sistema, bem como para evitar que a doença fizesse um número maior de vítimas na cidade. "Da saúde com certeza, o que foi feito até o momento tem funcionando adequadamente, o número, embora continue aumentando, está num ritmo muito aceitável", declarou o secretário.

Até a tarde desta sexta-feira, 22, Rio Preto contabilizava 518 casos confirmados da doença. "Isso é sinal que o plano de contingência está funcionando. Conseguimos cumprir com a demanda da rede por materiais necessários e estamos tendo resultado", declarou o secretário.

Sobre os próximos passos, de abertura ou não do comércio, ele é cauteloso: "tudo depende de como vai ser o isolamento social dessa semana". (RC)