DE ALMANAQUE A BLITZ

Região de Rio Preto aposta em estratégias de combate ao coronavírus

Para conter o avanço do coronavírus, cidades da região apostam em diferentes estratégias, que vão desde a distribuição de informativos sobre a doença a barreiras sanitárias na entrada dos municípios


Almanaque para idosos ( Urupês e Cedral )
Almanaque para idosos ( Urupês e Cedral ) - Divulgação/ Prefeitura de Urupês

Para conter o avanço do coronavírus pelo interior de São Paulo vale tudo. E as prefeituras da região estão adotando desde blitze nas entradas dos municípios até a doação de máscaras gratuitamente para a população através de varais solidários. Distribuição de almanaques e monitoramento de idosos também fazem parte das estratégias de combate à doença nas cidades. Outro método é a desinfecção de espaços públicos com água sanitária - algo que se tornou rotina em diversas cidades do Estado de São Paulo.

Em Guapiaçu, nesta segunda-feira, 18, a Secretaria da Saúde iniciou uma blitz nas três entradas da cidade com o objetivo de evitar o avanço da doença. "Acho muito importante essa medida, passo por essa barreira duas vezes ao dia", contou a médica veterinária Sueli Aparecida de Souza. Na barreira sanitária, que funciona no horário comercial, funcionários da saúde aferem a temperatura dos condutores que chegam à cidade. A mesma ação já havia sido tomada por outras cidades da região. Desde a semana passada, em Jaci, cidade que contabiliza 79 casos confirmados da doença, quem chega também está recebendo orientações e, caso tenha algum sintoma da doença, é encaminhado para o hospital local para tratamento e exames.

Além de barreiras sanitárias, ações municipais também estão voltadas ao público mais suscetível ao contágio da doença - os idosos. Em Votuporanga, um projeto monitora o estado de saúde de todos os idosos do município por meio de telefonemas feitos por profissionais da saúde. Já em Urupês, a Secretaria de Assistência Social desenvolveu um almanaque. "Com a pandemia, muitos acabam ficando sem nada para fazer em casa. Foi daí que surgiu a ideia de produzir o almanaque", contou a coordenadora do grupo da melhor idade de Urupês, Erica Roque.

O kit distribuído aos idosos possui lápis de cor e uma revista com diversas atividades para a terceira idade desenvolver durante o período de isolamento social. "Pensamos no almanaque de uma forma geral, ou seja, desde a pessoa que não é alfabetizada, onde desenvolvemos atividades de pintura, até mesmo para quem concluiu os estudos e pode fazer palavra-cruzada. É um almanaque para todas as idades", destacou.

Em Ouroeste e Fernandópolis, é a confecção e doação de máscaras que faz parte das medidas tomadas pelas prefeituras para conter a disseminação da doença. Nas duas cidades, um varal solidário foi montado nas praças centrais. Moradores que não possuem condição de comprar uma máscara conseguem adquirir o seu equipamento de proteção, que é obrigatório, desde o último dia 7, em todo Estado de São Paulo.

Outras cidades tiveram medidas mais drásticas e interditaram espaços públicos. É o caso de Potirendaba, que interditou a praça do bairro Jardim do Bosque 2, na sexta-feira, 15, com o intuito de evitar aglomerações. A mesma medida já havia sido tomada em Tanabi e Bady Bassitt.

Guilherme Baffi 15/5/2020

Apesar das recomendações das autoridades de saúde e do avanço do coronavírus em cidades menores, a movimentação de pessoas era intensa na região central de Guapiaçu nesta segunda-feira, 18. A cidade viu o número de casos confirmados de Covid-19 triplicar em menos de uma semana, passando de cinco na terça-feira, 12, para 17 casos confirmados da doença nesta segunda-feira, dia 18.

Outra cidade que também encara um aumento do número de casos confirmados de coronavírus é Bady Bassitt, que tem ainda três mortes pela doença. A cidade contabiliza 22 casos.

Tanto Guapiaçu quanto Bady fazem divisa com Rio Preto, cidade que concentra o maior número de casos de coronavírus da região. Em Bady Bassitt, a Prefeitura não fez barreiras, mas reforçou as campanhas de conscientização sobre a importância das pessoas cumprirem o isolamento social. Locais públicos, como parques que reuniam idosos aos finais de semana foram interditados na cidade. (RC)

Almanaque para idosos

Em Urupês e Cedral, idosos receberam em casa um almanaque com atividades para que possam desenvolver durante a quarentena. O kit possui lápis de cor e uma revista com diversas atividades para que utilizem a criatividade e também possam dar ideias de como se exercitar em casa nesse período de isolamento social. O almanaque oferece exercícios de memorização, como palavras-cruzadas, jogo dos cinco erros e caça-palavras. Conta também com passo a passo para atividades como alongamentos, artesanato e outras atividades

Monitoramento de idosos

Em Votuporanga, um projeto com profissionais da saúde liga para idosos que residem no município, no objetivo de reduzir os casos de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de pessoas do grupo de risco para o coronavírus. O projeto busca a detecção precoce dos sinais da Covid-19 para a agilidade na implantação de ações de saúde, além de evitar o deslocamento do idoso até unidades de saúde, reduzindo os riscos de contaminação

Barreiras sanitárias

Para evitar que pessoas entrem contaminadas nas cidades, prefeituras adotaram barreiras sanitárias nas entradas dos municípios. Guapiaçu, Jaci, Cardoso, Guaraci, Santa Fé do Sul, Mesópolis e Cardoso foram algumas das cidades que fizeram barreiras sanitárias durante a quarentena. Nelas, os motoristas precisam responder a um questionário e é realizado a aferição de temperatura do condutor. Caso tenha algum sintoma suspeito, o paciente é levado para receber atendimento e, em caso mais grave, até
fazer o teste de Covid-19

Espaços públicos fechados

Prefeituras também estão interditando espaços públicos na finalidade de evitar aglomerações de pessoas durante a quarentena. Na última sexta-feira, 15, Potirendaba entrou para essa lista e interditou todas as vias que dão acesso a uma praça do bairro Jardim do Bosque 2. A medida foi tomada após várias denúncias sobre aglomerações na praça no período da noite e aos finais de semana. Na cidade, não usar máscara ao entrar em estabelecimento comercial pode render multa de R$ 258,38

Doação de máscara

Diversas cidades da região estão com projetos de confecção de máscaras para serem doadas. Ouroeste e Fernandópolis realizaram campanhas de distribuição gratuita dos equipamentos de proteção em praças públicas. Nos dois projetos, os interessados que passavam por um varal solidário podiam pegar uma máscara. Outra cidade que também inovou foi Poloni, onde a estátua do Cristo Redentor - na entrada da cidade - ganhou máscara, na finalidade, de conscientizar a população sobre a importância do uso do equipamento

Desinfecção de áreas públicas

Outra medida que continua a ser amplamente praticada pelas prefeituras do Noroeste Paulista é a da desinfecção das áreas públicas com água sanitária. Em Novais, que não possui nenhum caso confirmado da doença, nesta segunda-feira, 18, funcionários públicos fizeram a limpeza com solução de água sanitária na praça municipal e nas ruas da região central da cidade. Pereira Barreto, Santa Fé do Sul e Olímpia também realizam a limpeza com o produto nos espaços públicos