MAIS TESTES

Rio Preto recebeu 6,5 mil testes rápidos do Estado

Cidade recebeu 6,5 mil testes rápidos do Estado e está definindo como serão utilizados; exames rastreiam anticorpos produzidos pelo organismo e devem ser feitos após mais de uma semana do início de sintomas


Teste rápido é arma para
Teste rápido é arma para "medir" a contaminação - Air National Guard/Michael Schwenk

A Prefeitura de Rio Preto recebeu do governo do Estado de São Paulo 6,5 mil unidades de testes rápidos de coronavírus. De acordo com a Secretaria de Saúde, o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus está definindo como será a distribuição e quando vai começar a utilização. O protocolo, conforme a pasta, segue os parâmetros definidos pelo Ministério da Saúde.

Os testes rápidos identificam a presença de anticorpos (proteína produzida pelo vírus) em cerca de 15 minutos. Conforme o governo do Estado, serão usados em pessoas que tiveram contato com pacientes positivos de Covid-19, mas permaneceram assintomáticas por mais de 14 dias.

Independentemente de contato com infectados, poderão ser testados profissionais de saúde e segurança pública; população privada de liberdade; menores da Fundação Casa; doadores de sangue e pessoas que vivem em asilos, casas de repouso, orfanatos e comunidades terapêuticas. O teste rápido também é indicado para pessoas que manifestaram sinais leves da doença, após 14 dias do fim dos sintomas.

De acordo com Andreia Negri Reis, gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Preto, o teste rápido é utilizado no oitavo dia de aparecimento de sintomas. Já o PCR, considerado um dos mais seguros para detecção do coronavírus, é usado já nos primeiros dias. A Secretaria de Saúde utiliza o PCR na testagem atualmente, tanto no protocolo do Ministério da Saúde (casos graves e profissionais de saúde) quanto no Projeto Sentinela.

Segundo a pasta, são realizados na cidade em média 115 testes por dia, sendo que no Sentinela são de 40 a 50 exames nas unidades de saúde do município. Nesta semana, será feita a tomada de preço para a aquisição de mais mil exames, em um investimento de cerca de R$ 100 mil. São examinados pelo Projeto as pessoas com pelo menos dois sintomas leves (febre, tosse, coriza, espirros, dor de cabeça, perda de olfato e perda de paladar, por exemplo) e cujos sinais tenham surgido há menos de uma semana. Os convênios particulares também estão participando do Sentinela. Foi pactuado que eles testariam de 20% a 30% dos pacientes que passassem pelos prontos atendimentos.

Os testes estão sendo realizados pelo Instituto Adolfo Lutz, pelo Ibilce/Unesp e pela Funfarme/Famerp. O resultado sai em até 48 horas.

Havia em 17 de maio 92 pessoas internadas com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). São pacientes com a doença confirmada, suspeita ou descartada. O número é mais de três vezes maior do que o já registrado desde 2009 - o ápice para a Semana Epidemiológica 20, em que estamos agora, havia sido de 28. Dentre esses pacientes, 70 estão em enfermaria e 22 em UTI.

Isolamento social

Rio Preto tem hoje 455 casos confirmados e 15 mortes, além de 131 pacientes considerados curados. De acordo com o governo do Estado, neste sábado e domingo, 46% e 49% da população rio-pretense ficaram em casa e respeitaram o isolamento social. O índice é aquém dos 55% considerados como mínimos e bem abaixo do ideal, que é de 70%.

No domingo, na área de lazer na região do condomínio Quinta do Golfe, por exemplo, viam-se vários grupos de pessoas. O secretário de Saúde, Aldenis Borim, afirmou na última semana que havia a possibilidade de interditar locais públicos como esse e a Represa Municipal, onde estão se formando aglomerações. Esse assunto seria discutido pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, porém nada foi divulgado sobre o assunto ainda.

A enfermeira Andreia reforça a necessidade de manter o isolamento social. "E quem tem algum sintoma seja febre, tosse, dor de garganta, coriza, não vá trabalhar, conversa com seu patrão, não visite parente idoso. É importante conseguir preservá-los. A gente pode achar que está super bem e estar transmitindo o vírus", afirma. Quem tiver dúvidas sobre sintomas e qual conduta adotar pode ligar para o 0800 77-22-123. O serviço de orientação funciona de segunda a sábado das 7h às 23h.

"Ruim é pouco. Ele nunca pousou sozinho, nunca gostou de ficar sozinho, sempre tinha um filho com ele. É uma sensação muito horrível enterrar sem poder abrir o caixão." É assim que o zelador José Antônio Vicente, de 58 anos, define os dias em que não pôde visitar o pai, o aposentado José Vicente, de 84 anos, que faleceu no último domingo, 17, vítima de coronavírus. Ele é uma das duas pessoas que faleceram no domingo, 17, por causa da infecção pelo vírus. A segunda é uma idosa de 60 anos, que tinha comorbidades e estava internada após apresentar os sintomas em 26 de abril.

José Vicente sofria de problemas pulmonares. "Agravou na segunda-feira, 11. Foi internado com pneumonia na Santa Casa. Fizeram exame de Covid-19. Ele sempre foi meio fraquinho, meio magrinho. Mas andava normal, comia normal, não tinha nenhuma outra doença", conta o filho.

O idoso deixou cinco filhos e cinco netos. Desde a internação, ninguém da família pôde mais ver José, que morava no bairro São Francisco com um filho - o bairro fica na região com maior incidência de casos da doença até o momento, de acordo com a Secretaria de Saúde. Ninguém da família apresentou os sintomas de infecção por coronavírus por enquanto. "Ele nunca foi de gostar de sair muito de casa. Muita gente ia visitar. Fica a lembrança do homem bom que sempre foi", diz José Antônio, que não faz ideia de quem pode ter transmitido a doença para o pai.

Segundo a Saúde, seis das 15 vítimas de Rio Preto morreram entre quatro a dez dias após apresentarem os primeiros sintomas da doença; quatro deles faleceram de 11 a 17 dias após os primeiros sinais; quatro das vítimas foram a óbito 18 a 25 dias após ficarem doentes e um morreu de 26 a 32 dias após os primeiros sintomas.

Não há informações sobre comorbidades de dois deles. Os outros possuíam doenças cardiovasculares, obesidade, pneumopatias, demência senil, anemia e outros agravos.

Catanduva também confirmou mais uma morte por Covid-19. A vítima é um idoso de 85 anos, morador do Juliatti de Carvalho, que estava internado no Hospital Unimed São Domingos. São oito mortes na cidade.

Barretos confirmou o óbito de um idoso de 77 anos, sem comorbidades, que estava internado no Hospital Nossa Senhora, referência no tratamento de Covid-19 na cidade, que tem sete vítimas. (MG)

RIO PRETO

  • 455 casos confirmados
  • 15 mortes
  • 92 internados (incluindo casos positivos e suspeitos)
  • 133 recuperados

Fonte: Secretaria Municipal de Saúde

REGIÃO

  • 1.171 casos confirmados
  • 48 mortes
  • 544 recuperados

Fonte: Secretarias de Saúde dos municípios

ESTADO

  • 63.066 casos confirmados
  • 4.823 mortes
  • recuperados: não divulgado

Fonte: governo do Estado

BRASIL

  • 254.220 casos confirmados
  • 16.792 mortes
  • 100.459 recuperados

Fonte: Ministério da Saúde

MUNDO

  • 4.758.937 casos confirmados
  • 316.277 mortes
  • 1.754.891 recuperados

Casos confirmados e mortes

  • Estados Unidos: 1.525.646 e 90.263
  • Rússia: 290.678 e 2.722
  • Espanha: 278.188 e 27.709
  • Brasil: 254.220 e 16.792
  • Reino Unido: 246.406 e 34.796
  • Itália: 225.886 e 32.007
  • Alemanha: 177.213 e 8.096
  • Turquia: 150.593 e 4.171
  • França: 142.903 e 28.239
  • Irã: 122.492 e 7.057