SUSPEITA

Prisão de homem com suspeita de Covid-19 gera tensão em delegacia

Em comunicado à Polícia Civil, a Saúde informou que o teste deu negativo


Faixa e cadeiras separam público do balcão na Central de Flagrantes
Faixa e cadeiras separam público do balcão na Central de Flagrantes - Marco Antonio dos Santos 31/3/2020

A prisão de um serralheiro de 43 anos - por não pagar pensão alimentícia - gerou tensão na tarde desta quinta-feira, 15, na Central de Flagrantes de Rio Preto. Isso porque o homem aguardava o resultado do exame para saber se tinha ou não coronavírus. Ao saber disso, a Seccional chegou até a cogitar o afastamento da toda a equipe que estava de serviço naquele plantão. A medida foi descartada, segundo o delegado seccional Silas José dos Santos, após a Secretaria Municipal de Saúde informar que o teste do homem deu negativo para o vírus.

"Graças a Deus. Fomos informados pela Secretaria de Saúde que deu negativo o teste do homem detido. Caso contrário, como medida preventiva, teríamos de afastar todos os policiais que tiveram contato com ele no plantão", disse delegado seccional. Por precaução, todas as salas e cadeiras do setor de atendimento foram higienizadas.

Desde o início da pandemia, policiais e pessoas que frequentam o plantão são obrigadas a usar máscara. De forma improvisada, os policiais de plantão colocaram cadeiras no entorno do balcão de atendimento para evitar aproximação excessiva. As delegacias só atendem casos de urgência.

A Vigilância Sanitária de Rio Preto informou que monitora todas as pessoas com suspeita de ter coronavírus, mas não há punição para quem não cumpre os 14 dias de isolamento.

Segundo o advogado do serralheiro, Mario Guioto Filho, cinco dias antes da prisão o homem teve de ser socorrido em casa com febre e falta de ar. Foi encaminhado para a UPA Jaguaré, onde foi classificado como suspeito de ter Covid-19 e orientado a ficar 14 dias em quarentena, isolado em casa. Foi colhida amostra para teste. Em comunicado à Polícia Civil, a Saúde informou que o teste deu negativo - informação que o advogado de defesa afirmou que o cliente desconhecia.

Nesta quinta-feira, 14, em posse de um mandado de prisão expedido pela Vara da Família, dois policiais localizaram e detiveram o serralheiro, enquanto ele fazia o conserto do madeiramento do telhado de uma residência - desrespeitando, portanto, o isolamento.

Nem durante o trajeto até a Central de Flagrante e nem no atendimento pela equipe de plantão, o serralheiro teria revelado estar em com suspeita da doença. "Assim que ele foi preso, sua atual mulher me ligou, pedindo para ir até a Central de Flagrantes. Quando cheguei na delegacia, avisei da suspeita", diz o delegado.

Após o comunicado, o homem foi colocado em local isolado dentro da delegacia. Enquanto isso, o advogado conseguiu entrar em contato com um juiz da Vara da Família que, ao saber da condição do capturado, permitiu que ele fosse liberado. Norma do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) recomenda que temporariamente os capturados por atraso de pensão alimentícia não sejam encarcerados, para evitar o risco de que eles levem para o sistema prisional o coronavírus.