RIO PRETO MOVIMENTADA

Rio Preto tem a menor taxa de isolamento social do Estado: 39%

Algo facilmente comprovado pela movimentação intensa pelas ruas e avenidas comerciais e no Terminal


Movimentação intensa no Terminal Urbano: média de passageiros está em 33 mil por semana
Movimentação intensa no Terminal Urbano: média de passageiros está em 33 mil por semana -

Os rio-pretenses voltaram às ruas. Pelo quinto dia útil consecutivo a taxa de isolamento social na cidade - medida pelo governo estadual por meio do sinal de celular dos moradores - ficou abaixo dos 40% - o ideal é 70%. Situação que é facilmente constatada em avenidas e Calçadão movimentados e Terminal Urbano lotado.

São muitas as reclamações de aglomeração no entorno de bares instalados nos bairros de periferia e até churrasco e festas em residências e chácaras com grande concentração de pessoas. Nos pontos comerciais, mesmo com máscaras, as pessoas estão se aglomerando e deixando de manter o distanciamento necessário. As saídas de casa ficaram mais constates.

Junto com Araçatuba, Catanduva e Limeira, Rio Preto tem o menor índice de isolamento do Estado: 39% registrado nesta segunda. Na terça-feira, 5, registrou 39% e repetiu a taxa na quarta e na quinta. Na sexta, o índice foi o menor desde o início da quarentena: 37%. No último fim de semana, também os menores índices para o período: 43% no sábado e 47% no domingo.

A dona de casa Cristina Mello, 30 anos, teve de se submeter a uma grande fila sem distanciamento mínimo, na porta de uma padaria, na avenida Mirassolândia, na manhã de terça-feira, 12. "Tem uma parte da população que respeita a quarentena, mas o que a gente mais vê aqui na zona Norte é aglomeração nas filas dos supermercados e gente fazendo churrasco em casa. Pode ser com pessoas da família, mas isso não está certo", reclama a moradora do bairro São Tomas.

Já a adolescente Simone de Praz, de 15 anos, que veio de Palestina para pagar uma conta no Calçadão, estranhou o grande número de pessoas na região central da cidade, em claro desrespeito a quarentena. "Pra mim, aqui está com mais gente nas ruas do que vejo em minha cidade. Lá o pessoal está respeitando mais o isolamento. Lá o pessoal sai nas ruas, mas não é tanto assim", comenta a jovem, que esperava por atendimento na frente de uma loja na rua General Glicério.

Mesmo com as obras de revitalização do Calçadão, há aglomeração de pessoas que nem ligam de andar em meio aos trechos de terra.

No Terminal Urbano, até os funcionários estavam espantados da forma rápida como aumentou o número de passageiros, mesmo fora dos horários de pico. "Quem está dentro do Terminal, às 10h, não está a caminho do trabalho, mas está batendo perna. Não deveria estar aqui neste momento", comentou um servidor, que preferiu não ser identificado.

O aumento de pessoas no Terminal é confirmado com dados da Emurb. A média semanal de passageiros era de 20.953 no final de março, com o início da quarentena. Saltou para 33.124 entre os dias 3 e 9 de maio, o que significa um aumento de 58% na utilização do transporte coletivo.

O trabalhador autônomo Jonathan Paulo Gonçalves, de 31 anos, afirma que basta entrar nos ônibus nos horários de pico, das 6h às 7h e das 17h às 19h, para perceber que a maior arma contra a contaminação - o distanciamento - é impraticável dentro dos veículos lotados. "Tem horário que os ônibus estão muito lotados, principalmente à tarde. Já passou da hora da Prefeitura colocar mais veículos pra evitar isso, senão a doença só vai espalhar" comenta o morador do Jardim Nunes.

Sem qualquer fiscalização da Prefeitura por perto, o maior ponto de concentração de pessoas fica na frente do Bom Prato, com uma fila que começa na rua Pedro Amaral e vira na rua Bernardino de Campos - em muitos momentos sem o respeito do distanciamento.

Outro ponto de grande movimentação de pessoas e veículos é na avenida Potirendaba, na zona Sul de Rio Preto. É fácil ver longas filas, bem próximo aos bancos e lotéricas.

Isolamento ideal segundo o governo do Estado: 70%

Menor taxa do Estado na segunda-feira, 11: 39%. Índice registrado em:

  • Rio Preto
  • Catanduva
  • Araçatuba
  • Limeira

Isolamento em outras cidades da região

  • Barretos: 45%
  • Bebedouro: 53%
  • Votuporanga: 53%
Rodrigo Lima 11/5/2020

Uma semana após o Diário mostrar flagrante de um grupo de jovens reunidos à noite para jogar futebol de salão em uma quadra no bairro São Jorge, na zona norte de Rio Preto, a cena se repetiu. Nesta segunda-feira, 11, grupo furou novamente o isolamento social imposto pelo período de quarentena.

Como ocorreu no dia 4, houve aglomeração de pessoas na quadra e nenhuma medida foi adotada pela Prefeitura ou Secretaria de Saúde. A reportagem acompanhou o jogo a distância, e ao menos 20 pessoas estavam na quadra - algumas delas na arquibancada para acompanhar a partida.

Segundo a Prefeitura, a fiscalização de locais públicos é realizada por diversos fiscais da Vigilância Sanitária, do comércio, de posturas e conta ainda com apoio da Guarda Civil Municipal e da Polícia Militar. "Casos como o relatado devem ser denunciados para os órgãos competentes. Pedimos aos moradores que se conscientizem e que respeitem o isolamento social," informou em nota.

A engenheira sanitária da Vigilância Karina Elias de Souza garante que a fiscalização tem sido feita em locais de comércio. "Do dia 24 de março ao dia 11 de maio, foram autuados 164 estabelecimentos por descumprimento do decreto. Inclusive tivemos quatro casos de lacração dos estabelecimentos", afirma. "Com relação ao restaurante Bom Prato, está sendo negociado junto ao governo do Estado a descentralização da distribuição das refeições para evitar a aglomeração, mas por enquanto, não há previsão disto acontecer", diz a engenheira.

O secretário de trânsito, Amaury Hernandes, afirma que a pasta tem monitorado o aumento de passageiros de ônibus, mas alega não ter como, legalmente, impedir que as pessoas usem o transporte coletivo. "Não podemos cassar o direito de ir e vir das pessoas. Infelizmente, falta bom senso em muitos, que deveriam sair de casa apenas quando necessário."

(MAS com Rodrigo Lima)