População de rua

Covid já infectou 31 moradores de rua de Rio Preto

Frei Bruno, de 36 anos, da associação de Jaci, morreu com a doença


Secretaria de Assistência Social distribuiu máscaras à população de rua
Secretaria de Assistência Social distribuiu máscaras à população de rua - Divulgação/Bruno Carvalho/Prefeitura

Foram confirmados 31 casos de coronavírus em moradores de rua de Rio Preto. Os casos foram detectados em frequentadores da Casa do Cirineu, no bairro São Francisco, que dá suporte à população sem teto. Eles apresentaram sintomas leves da doença ou foram assintomáticos. No total, foram realizados 90 testes.

Nas primeiras confirmações, os moradores de rua foram para a Santa Casa, pois não havia como fazer um isolamento adequado. Depois, em uma parceria com a Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, que também cuida da Casa de Cirineu, foram encaminhados para Jaci, para a Casa de Encontros, que não está sendo usada neste momento. Lá, estão recebendo assistência técnica e de enfermagem e podem ficar isolados.

A Casa do Cirineu, que está sendo ampliada para atender mais gente, começará a ser limpa com o objetivo de eliminar quaisquer foco de coronavírus. Primeiro será feita uma faxina pós reforma e depois a desinfecção.

Os outros 59 moradores de rua que foram examinados e não estavam contaminados foram levados para outra casa também em Jaci e estão isolados. De acordo com a Secretaria de Assistência Social, Rio Preto tem hoje um total de 789 moradores de rua. Na última semana, eles começaram a receber máscara de tecido para se proteger do coronavírus e estão sendo orientados sobre as medidas de prevenção.

Morte

No último sábado, 9, faleceu o frei Bruno, de 36 anos, um dos membros da Associação de Jaci. Ele estava internado no Hospital de Base desde 27 de abril e foi o primeiro religioso católico a falecer pela Covid-19 na Diocese de Rio Preto.

Nascido Paulo Fernando de Campos Meneses, frei Bruno veio de Aracaju (Sergipe) e estava na Associação desde janeiro 2018. Depois de um ano de formação, passou alguns meses no Hospital Padre Tiago, em Jataí (Goiás), e no ano passado retornou para Jaci.

Frei Bruno estava trabalhando junto aos moradores de rua na Casa do Cirineu quando apresentou os primeiros sintomas, em 23 de abril. Com febre e dor no corpo, ele se isolou em Jaci e fez o teste para coronavírus, que deu positivo. Alguns dias depois, no dia 27, acordou com falta de ar e foi encaminhado ao HB. Ele não tinha comorbidades, mas tinha histórico de obesidade e há algum tempo havia passado por uma cirurgia bariátrica.

O caso foi contabilizado como de Jaci porque, embora estivesse em Rio Preto, frei Bruno era morador de lá. De acordo com frei Eliseu da Silva, que acompanhava o trabalho do amigo, não é possível saber onde foi a contaminação. "Tanto em Jaci quanto em Rio Preto teve caso", diz. "Era uma pessoa muito disponível, tinha muita compaixão, era muito trabalhador e muito responsável com as missões. Deixa esse exemplo de humildade, de disponibilidade."

Jaci contabiliza 75 casos de coronavírus. Dezenove pessoas são consideradas recuperadas e duas estão internados no HB.

Assistência Social

O vereador Marco Rillo (Psol) enviou ofício ao prefeito, Edinho Araújo (MDB), pedindo para que se faça testes em todos os funcionários da Assistência Social, já que, segundo o vereador, duas servidoras estão com o coronavírus e outras têm sintomas. A secretária da pasta, Patrícia Lisboa, também testou positivo para a Covid.

"Há informações de que a secretária se dirigiu aos equipamentos, contrariando as orientações de segurança, e teve contato com servidores que prestam atendimento à população", consta em trecho do requerimento. "É preciso atitude imediata da Prefeitura para dar exemplo para toda a sociedade e garantir a saúde dos servidores e da população que diariamente tem contato com a rede de Assistência Social do município". Procurada, a Prefeitura não se manifestou sobre o ofício do vereador.

(Colaborou Rodrigo Lima)