Dois policiais militares foram agredidos dentro do Hospital Assistencial de Potirendaba por parentes de um homem esfaqueado, que estava sendo atendido na madrugada de domingo, 10. Um dos agressores chegou a pegar a pistola do policial e apertou o gatilho, mas a arma estava travada.

Segundo informações do boletim de ocorrência, os policiais militares foram até o pronto-socorro averiguar uma briga no hospital. Quando foram tentar conversar com o homem para saber como teria ocorrido a agressão, o pai da vítima, sem qualquer explicação, segundo os PMs, tentou agredir os policiais, mas acabou sendo contido.

Nesse momento, o homem esfaqueado também teria entrado em luta corporal com os policiais militares. No meio da confusão, o pai da vítima conseguiu pegar a pistola automática de um dos policiais, mirou contra eles e chegou apertar o gatilho, mas a bala não saiu porque a arma estava com trava de segurança. Os policiais conseguiram dominar pai e filho, depois de contar com apoio de dois guardas municipais.

Pai e filho foram levados para a Central de Flagrantes de Cedral, mas foram liberados após o depoimento. Os policiais tiveram de passar por atendimento médico por causa das lesões.