SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUARTA-FEIRA, 18 DE MAIO DE 2022
Internacional

EUA: A 10 meses para eleições de meio mandato, agenda de Biden está estagnada

Estadão Conteúdo
Publicado em 23/01/2022 às 18:11Atualizado em 23/01/2022 às 18:18

O presidente Joe Biden começa seu segundo ano no cargo com uma agenda estagnada no Congresso e um público votante que azedou os rumos do país, faltando dez meses para as eleições de meio de mandato.

O senador Bernie Sanders disse pela manhã que os democratas no Congresso precisam de "uma nova direção, uma nova abordagem no Senado" para aprovar medidas como o pacote Build Back Better de quase US$ 2 trilhões de gastos sociais, saúde e educação de Biden.

Muitas das provisões de gastos, como preços mais baixos de medicamentos prescritos e promoção de energia limpa, têm amplo apoio. Mas Biden admitiu na semana passada que o projeto de lei pode ter de ser desmembrado e aprovado em partes para obter os votos necessários.

Dois democratas no Senado, Joe Manchin e Kyrsten Sinema, ficaram do lado dos 50 republicanos contra a mudança das regras da Câmara para aprovar a legislação de direitos de voto, bem como opondo-se a partes da conta de gastos sociais. Isso foi visto como uma sentença de morte para o amplo projeto de lei de gastos, sobre o qual os legisladores passaram meses regateando.

Pesquisa

Uma pesquisa da NBC News divulgada neste domingo aponta que 72% dos americanos dizem que o país está indo na direção errada, e 61% disseram que a renda de sua família está ficando abaixo do custo de vida. O índice de aprovação do emprego de Biden fica em torno de 43%, inalterado em relação a outubro, segundo a NBC.

O levantamento, que ouviu 1.000 adultos entre 14 e 18 de janeiro, descobriu que 39% dos entrevistados tinham uma visão positiva de Biden, enquanto 48% tinham uma visão negativa.

Em entrevista pela manhã, Sanders disse que o Senado tem de parar as "intermináveis negociações de bastidores" sobre o projeto de gastos sociais. Ele quer que a legislação seja encaminhada para votação no plenário do Senado para "deixar o povo americano ver o que está acontecendo". Para ele, Biden e os democratas "começaram muito, muito fortemente", aprovando a lei de alívio da covid de US$ 1,9 trilhão no ano passado, bem como a Lei de Infraestrutura e Empregos de US$ 1 trilhão.

Ao não levar o projeto de lei de gastos sociais ao plenário e forçar os republicanos a votarem publicamente contra suas disposições, "permitimos que os republicanos se safarem do assassinato", disse. "Os republicanos estão rindo até o dia da eleição", disse Sanders à CNN. "E nós temos de mudar isso."

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por