SÃO JOSÉ DO RIO PRETO | QUINTA-FEIRA, 18 DE AGOSTO DE 2022
Política

Arthur do Val é agredido por ex-deputado 'Boca Aberta' no Paraná

Estadão Conteúdo
Publicado em 30/06/2022 às 09:59Atualizado em 30/06/2022 às 10:04

O ex-deputado estadual Arthur do Val (União Brasil-SP) e João Bettega, uma das lideranças do MBL no Paraná, foram agredidos durante visita à cidade de Londrina, no Paraná. Em vídeo divulgado por eles, o ex-deputado federal Emerson Miguel Petriv, conhecido como "Boca Aberta", aparece dando chutes, tapas e socos na dupla, enquanto acusa "Mamãe Falei" (Arthur do Val) de ser um "estuprador".

A dupla estava no município para promover a pré-candidatura de Bettega à Assembleia Legislativa do Paraná junto a outros membros do MBL, como Renan Santos. Na ocasião, Arthur do Val e João Bettega procuraram "Boca Aberta" para apresentar uma "nota fiscal do povo", como forma de provocar seu filho, o deputado estadual Matheus Petriv (PROS-PR). O MBL cobra Petriv por supostos gastos parlamentares feitos por seu gabinete, com aluguel de veículo, divulgação de mandato e insumos de informática. O modo de atuação com abordagens provocadoras é comum do MBL e, como mostrou o Estadão, ajudou a impulsionar o nome de Arthur do Val na vida política.

Abordado, "Boca Aberta" pegou um microfone e passou a atacar Arthur do Val. "Aqui Mamãe Falei, vem cá, você vem de São Paulo… você vai levar tapa na cara rapaz. Vai estuprar ucraniana, vagabundo, aqui, estuprador, chama a polícia", disse, enquanto dava tapas e chutes no grupo. Bettega e o filho de "Boca Aberta" já vinham trocando acusações em meio à proximidade do período eleitoral. Os dois devem concorrer a um cargo na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná

Nos ataques, ele retomou a cassação de Arthur do Val na Assembleia Legislativa de São Paulo por quebra de decoro parlamentar após ter áudios divulgados em que dizia que mulheres ucranianas são "fáceis porque são pobres''.

"Boca Aberta" também perdeu o mandato, mas na Câmara dos Deputados. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o considerou inelegível por ter sido cassado, em 2017, pela Câmara Municipal de Londrina, também por quebra de decoro parlamentar. Ele chegou a ser condenado em segunda instância por denunciação caluniosa.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, Arthur do Val disse ter sido "espancado na rua" e diz que o filho de "Boca Aberta" "engana pessoas que não tem instrução para perceber o que ele está fazendo".

 
Grupo Diário da Região.© Copyright 2022É proibida a reprodução do conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por