X
X

Diário da Região

17/12/2016 - 03h18min

Alimentação

Saiba como funciona a dieta do DNA

Alimentação

Mara Sousa Em julho deste ano, a psicóloga Graziela Marin, 39 anos, deu início à dieta do DNA e viu em pouco tempo uma melhora muita grande, não só na balança, mas no seu estilo de vida. “Já havia tentado emagrecer de todas as maneiras possíveis. Fiz inúmeras dietas, mas nada dava certo”, diz ela, que, com o mapeamento do DNA, descobriu, por exemplo, que alimentos integrais não lhe fazem bem. “Também fiquei sabendo que tenho intolerância à lactose e ao glúten.” Em quatro meses, Graziela perdeu sete quilos. “Além do resultado na balança, melhorei minhas medidas. Meus manequins diminuíram de 46 para 42, 40. O tratamento também refletiu no meu estilo de vida. Antes tinha problemas digestivos, indisposição para atividades físicas; hoje me exercito todos os dias e me sinto outra pessoa”
Em julho deste ano, a psicóloga Graziela Marin, 39 anos, deu início à dieta do DNA e viu em pouco tempo uma melhora muita grande, não só na balança, mas no seu estilo de vida. “Já havia tentado emagrecer de todas as maneiras possíveis. Fiz inúmeras dietas, mas nada dava certo”, diz ela, que, com o mapeamento do DNA, descobriu, por exemplo, que alimentos integrais não lhe fazem bem. “Também fiquei sabendo que tenho intolerância à lactose e ao glúten.” Em quatro meses, Graziela perdeu sete quilos. “Além do resultado na balança, melhorei minhas medidas. Meus manequins diminuíram de 46 para 42, 40. O tratamento também refletiu no meu estilo de vida. Antes tinha problemas digestivos, indisposição para atividades físicas; hoje me exercito todos os dias e me sinto outra pessoa”

Genética e nutrição, qual a relação? Será que nosso DNA influencia no tipo de alimentação que devemos ter? "Cada indivíduo possui um organismo diferente e, consequentemente, respostas diferentes à alimentação, a um determinado medicamento e suplemento. Dietas da moda, então, estão fora de cogitação. O segredo está na dieta personalizada e individualizada: a dieta do DNA", destaca a médica especialista em nutrologia Ana Valéria Ramirez. 

Segundo a nutricionista e consultora para empresa de alimentação Caroline Gargantini, com as revelações que o Projeto Genoma fez, agora é possível esclarecer as informações contidas no DNA e, com isso, criar novas estratégias de emagrecimento ou para cuidados com a saúde. "Os cientistas podem entender como os genes interagem com cada nutriente ingerido na alimentação. Logo, a dieta do DNA é um método que promete cardápios personalizados voltados a problemas de saúde, como a obesidade ou a prevenção do câncer, que atenda cada indivíduo de forma única, segundo seu perfil genético", explica. 

É realizado um teste de DNA para determinar o perfil alimentar de cada pessoa. Esse teste, colhido por meio da saliva do paciente, vai fazer um mapeamento genético e mostrar o que é bom para seu metabolismo funcionar de forma harmônica. "Algumas pessoas acreditam que cortar o carboidrato é o segredo para o emagrecimento. Mas não é bem assim, pois se seu organismo metaboliza bem o carboidrato ele vai precisar dele para gerar energia", explica a médica, que já realiza o exame em São Paulo, Brasília e trouxe a novidade para Rio Preto. 

Resultado é obtido pela coleta da mucosa da bochecha

Ao contrário das demais dietas, em que basta ir ao consultório da nutricionista para sair com o cardápio na mão, a dieta do DNA precisa do resultado da coleta da mucosa da bochecha. Só depois do resultado do laudo é que é possível sentar e conversar com o paciente. "A coleta é realizada em consultório, pela raspagem com um cotonete da mucosa da bochecha. Esse material é enviado para o laboratório responsável por fazer as análises e, dentro de 30 dias, recebe-se o laudo com os resultados", explica Ana Valéria.

"A dieta funciona a partir de resultados baseados na resposta genética aos nutrientes e predisposições a polimorfismos do paciente, podendo-se, assim, planejar uma alimentação que silencie os genes e proporcione ao corpo todos os nutrientes de que ele mais necessita", explica. Segundo Ana Valéria, todas as características individuais do organismo são detalhadas neste relatório. "O laudo genético revela como a pessoa processa carboidratos, gorduras e proteínas, e isso é o que vai direcionar a dieta. Mostra também como tende a ser o comportamento da pessoa - se é mais ou menos compulsivo - e como é a postura dela diante dos doces e açúcares", explica a médica.

O laudo também indica se a pessoa tem facilidade em ganhar peso e aponta quais são as vitaminas que necessita em maior quantidade. Ele detecta sensibilidade a cafeína, lactose, frutose, álcool, sódio, entre outras substâncias, além de ser valioso para prevenção, já que aponta doenças para as quais o paciente pode ter predisposição, como diabetes, síndrome metabólica e pressão alta (doenças que mais atingem a população). "É importante ressaltar que esse exame é realizado apenas uma vez na vida, pois como ele trata de acordo com seu DNA o tratamento não muda nunca.

Ele mostra como você é, e não como você está. E isso faz toda a diferença", diz a especialista em nutrologia. Caroline Gargantini alerta que, por enquanto, a ciência não comprovou todos os benefícios dessa dieta. "Ainda há necessidade de estudos com um número maior de pessoas. Porém, não há relatos de riscos ou contraindicações. É uma dieta extremamente personalizada e individual, feita sob medida a cada indivíduo, logo, atende às necessidades de cada um", diz. 

Vantagens

  • Entender melhor a interação dos genes e nutrientes
  • A possibilidade de desenvolver um plano alimentar personalizado que atenda suas necessidades e previna doenças
  • Conhecer quais alimentos devem ser ingeridos e proporcionar o equilíbrio entre o corpo e a saúde
  • Com os testes sabemos quanto a dieta deve ter de gorduras, proteínas e carboidratos e ainda ter respostas para o metabolismo da cafeína, intolerâncias e alergias, dentre outros 

Desvantagens

  • Apenas alguns profissionais adotam essa estratégia e somente poucos laboratórios executam esses testes, além do custo ser alto
  • No dia a dia, as informações sobre sua dieta são restritas, então, as dúvidas poderão ser solucionadas apenas nos dias de consulta ou por meios eletrônicos e telefone
  • A dieta do DNA traz uma relação de alimentos que você pode consumir, de acordo com seu perfil genético. Alguns alimentos do seu cotidiano e gosto, podem ficar de fora
  • O alto custo do tratamento, profissionais especializados e acompanhamentos específicos podem se tornar um obstáculo

Fonte: Caroline Gargantini, nutricionista e consultora para empresa de alimentação 

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso