X
X

Diário da Região

10/07/2016 - 00h00min

Aventura radical

Rapel no Salto do Utiariti, com seus 98 metros de altura

Aventura radical

Agência O Globo Parque aquático: salto nas cachoeiras do rio Sacre.
Parque aquático: salto nas cachoeiras do rio Sacre.

São poucos metros de caminhada até a paisagem se abrir em quedas d'água de diferentes alturas, mas todas muito refrescantes. O turismo indígena sempre termina num banho ao lado dos nativos que têm nos rios e nas cachoeiras o maior parque de lazer para crianças e adultos. Depois que se avança pelas dezenas de quilômetros de estrada de terra, as trilhas são até fáceis. O mais impressionante é o Salto do Utiariti, que fica a poucos metros da aldeia de mesmo nome.

São 98 metros de queda livre no Rio Papagaio. Ao chegar perto da margem, a nuvem d'água forma belíssimos arcos-íris. Quem quiser se aventurar, pode descer de rapel ao lado da forte queda, com cinco metros de descida negativa. A subida de volta, num caminho íngreme, acidentado e escorregadio, provoca mais medo que a própria descida de rapel.

Quem não quiser descer pela corda pendurado, a outra opção é deliciosa. Aproveitar os poços formados pouco antes da queda, onde há ondas de água quente e fria, como uma hidromassagem natural, sob as árvores.

Ver a cachoeira de frente é outra forma de conhecer o Salto do Utiariti. O caminho também é escorregadio, sinuoso e cheio de pedras. Uma chuva constante acompanha o visitante pelo caminho. Leve alguma proteção para máquina fotográfica ou celular, se quiser registrar a paisagem exuberante.

Chegar à aldeia requer uma viagem longa. São 98km para quem parte de Campo Novo do Parecis. Como as distâncias são longas, é melhor evitar conhecer mais de uma aldeia ou cachoeira por dia, para aproveitar melhor o dia no cerrado e não se cansar demais. Repelente e filtro solar são indispensáveis nessa viagem. Vacina contra febre amarela também é recomendável. Deve ser tomada dez dias antes da viagem.

BE30 Tirolesa que parte da Cachoeira Serra Azul é alternativa à descida de 200 degraus.

Complexo aquático

Na aldeia Quatro Cachoeiras, o Rio Sacre forma quatro quedas, uma ao lado da outra. Um complexo aquático que é uma festa para as crianças da aldeia. O pé de menino, galho de árvore que avança para o rio, serve de trampolim para a criançada que enfrenta a correnteza sem medo.

Para os turistas, o melhor é descer um pouco pela trilha e chegar a pequenos poços para se banhar sem sustos de ser levado pela correnteza.

O mais divertido é brincar com as crianças que aproveitam os visitantes para pular de um galho para o outro. Floresta, rios e crianças ao redor, difícil encontrar cenário semelhante, sem sinal de celular ou internet.

Na aldeia Wazare, não há quedas, somente margens plácidas para banhos calmos, também juntamente com os índios. Se quiser conhecer melhor o Rio Verde, um pequeno barco a motor leva os turistas para um agradável passeio.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso