X
X

Diário da Região

20/03/2016 - 00h00min

Sem chance, amigão

Não ofereça chocolate para seus cães e gatos

Sem chance, amigão

Stock Images/Divulgação NULL
NULL

Nesse período de Páscoa, a presença dos ovos de chocolate em casa acaba colocando muitos donos de pets numa saia justa. Resistir ao olhar insistente do bichinho ou dar um pedaço? Geralmente escolhe-se a segunda opção, mas chocolate faz mal para os animais de estimação, e muitos acabam adoecendo. Os vilões são a teobromina e a cafeína, que, em grandes quantidades no organismo do bicho, podem causar diminuição ou aumento dos batimentos cardíacos, problemas gastrointestinais, tremores, aceleração do ritmo respiratório, aumento da temperatura corporal, incontinência urinária e até hipertensão moderada.

"O chocolate contém uma substância chamada teobromina, que estimula o sistema nervoso e fluxo sanguíneo nos animais, podendo prejudicar pulmões, rins e até causar parada cardíaca ou convulsão", explica Andressa Felisbino, veterinária da Drogavet. Os pets não conhecem o sabor do chocolate, por isso os donos não devem, em hipótese alguma, oferecê-lo ao animal. Assim como um diabético não pode ingerir doces, cães e gatos também não podem comer chocolate. O grande problema é que o sabor adocicado é, em geral, agradável ao paladar dos animaizinhos de estimação.

Ou seja, se o dono ceder e o animal ingerir o alimento, muito provavelmente ele irá gostar e sempre pedirá mais: é quando o perigo se instala e o proprietário perde a noção da quantidade concedida ao bichinho. "Os alimentos humanos mais prejudiciais aos cães são os doces, pois eles podem prejudicar o desenvolvimento dos dentes induzir o aparecimento de cáries, levar a um aumento de glicemia se consumidos constantemente, o que poderá induzir ao desenvolvimento da diabetes, além de um sério problema, bastante comum hoje em dia, que é o aumento de peso e a obesidade", explica o veterinário Francis Magno Flos. 

E dentro do universo dos doces, o mais utilizado como agrado para os cães é justamente o chocolate. "A manteiga de cacau, ingrediente de maior quantidade presente no chocolate, possui teobromina, que humanos podem metabolizar e eliminar eficientemente, ao contrário dos cães", diz Flos. "Os sinais clínicos podem surgir entre seis a 12 horas após a ingestão do alimento e persistir até três dias", avisa a veterinária Francielly Arenazio, especialista em fisioterapia veterinária. 
Caso ocorra uma ingestão acidental de qualquer tipo de chocolate, ela recomenda que se procure imediatamente um veterinário para realizar o procedimento mais indicado.

 

ovo de páscoa - 20032016

Hábito de dividir é ancestral

Compartilhar alimento é um hábito ancestral e instintivo dos cães, por isso, eles querem dividir este momento com seus donos. Mesmo assim, fazer o animal passar vontade não prejudica a saúde dele. "A dica é ter cuidado redobrado com os alimentos que ficam disponíveis e deixar algo permitido para eles, como biscoitos caninos, petiscos ou algumas frutas separadas caso eles tenham interesse pela comida", diz o veterinário Marcelo Quinzani, diretor clínico do Petcare. Os chocolates, explica Quinzani, podem causar graves intoxicações, já que os cães possuem grande deficiência em metabolizar seus componentes.

Opções específicas

Para os donos que querem fazer um agrado para seus pets, já existem diversas opções de chocolates específicos para consumo animal. É possível encontrar no mercado até mesmo petiscos em formato de ovo de Páscoa, com cara de chocolate, cheiro de chocolate e até gosto de chocolate, mas que são desenvolvidos para não afetar o sistema digestivo dos cães. Se você não quer comprar o ovo, encontra também bombons e outros petiscos com sabor de chocolate.

São produtos disponíveis em lojas especializadas ou na internet. A Chocodog (www.chocodog.com.br), por exemplo, tem diferentes tipos. Os ovos de 50 gramas para cães podem ser encontrados na loja virtual da Pet Love (www.petlove.com.br) por R$ 7,90. "se quiser presentear seu animal nesta Páscoa, compre chocolates específicos para cães que não causam nenhum dano a sua saúde", explica a veterinária Francielly Arenazio.

Efeitos

Nos cães

A reação pode variar entre aumento da temperatura corporal e dos batimentos cardíacos até diarreia e vômito. "A teobromina não é digerida no organismo do animal e acaba ativando o sistema nervoso central por mais tempo, provocando diversos efeitos colaterais. O risco pertinente é que os sintomas demorem entre seis e 12 horas para se manifestar, aumentando o risco à saúde do pet", diz a veterinária Andressa Felisbino
 
Nos gatos

Os problemas podem ser mais graves e levar até à morte. "Os gatos, por não serem muito fãs de alimentos adocicados, tendem a preferir pelo chocolate meio amargo, e esses são justamente os que possuem maior concentração de teobromina", explica Andressa Felisbino

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso