X

Diário da Região

15/05/2015 - 00h28min

Rio Preto é Rock!

Humberto Gessinger, Nasi e Scandurra no mesmo palco

Rio Preto é Rock!

Divulgação Gessinger, o eterno “engenheiro do Hawaii”: “Acho que cada artista, com sua obra, cria um mundo próprio, uma ilha. O bacana é conectar essas ilhas, criar pontes entre elas
Gessinger, o eterno “engenheiro do Hawaii”: “Acho que cada artista, com sua obra, cria um mundo próprio, uma ilha. O bacana é conectar essas ilhas, criar pontes entre elas

O rock, o reggae e o rap agitam o fim de semana em Rio Preto, em eventos em dois clubes da cidade, espaços que cada vez mais têm sido palco de shows e festivais. Hoje, é dia do “Rio Preto é Rock”, no clube de campo do Monte Líbano. O evento traz dois nomes que fizeram história no rock nacional: Humberto Gessinger, eterno líder da banda Engenheiros do Hawaii, e o Ira!. Amanhã, é a vez do clube de campo do Automóvel receber a segunda edição do Zion Reggae Festival. Durante dez horas de música, o festival trará seis bandas, cinco de reggae e uma de rap, incluindo nomes de projeção nacional. A abertura dos portões será às 18 horas. Já no “Rio Preto é Rock”, os portões serão abertos às 21 horas.

O primeiro show, de Humberto Gessinger, está marcado às 23horas. O Ira! se apresenta à 1h30.Gessinger traz a Rio Preto o show da turnê do DVD/CD InSULAr ao vivo, lançado recentemente para comemorar seus 30 anos de carreira, com músicas do disco “Insular” (2013) e canções e sucessos de todas as suas fases. O multi-instrumentista, cantor, compositor e escritor gaúcho se apresenta com o power trio formado por com Rodrigo Tavares (guitarra) e Rafael Bisogno (bateria). Ontem, ele conversou com o Diário.

Música regional

“Desde o primeiro disco, Longe Demais das Capitais, a influência da música regional aparece no meu trabalho. O Insular só deixou mais explícito o que sempre existiu. Acho que cada artista, com sua obra, cria um mundo próprio, uma ilha. O bacana é conectar essas ilhas, criar pontes entre elas, sem que cada ilha/artista perca o que tem de mais particular.”

Carreira solo

“Foi muito natural. Enquanto compunha as canções do disco inSULar, de 2013, eu não pensava sob que formato eu as gravaria. Com o tempo fui sacando que elas pediam ambientes diferentes, várias formações, muitos convidados. Por isso lanço como disco solo: porque não há banda fixa me acompanhando. Fiquei surpreso com a rapidez do resultado. Talvez seja porque tenhamos, hoje, mais ferramentas para falar com o público. Ele acompanha todas as novidades de perto, todos ficam mais ágeis.”

Público

“É sempre misteriosa a relação com o público. Sou imensamente grato por esse carinho, fidelidade e renovação. Meu público vem se renovando desde sempre. Acho que agora fica mais explícito por eu estar usando o meu nome, e não um nome da banda. Não tenho dúvida de que Tavares, assim como Rafael Bisogno, contribuem. Mas não por serem mais jovens, ou virem de outras bandas, contribuem por serem excelentes músicos.”

Era digital

“Gostaria de ter tido, no início, as ferramentas de comunicação que se tem hoje e que me possibilitam um contato mais direto com quem se interessa pelo meu som.”

Velhice

“Cada fase da vida tem suas belezas - sejam as espinhas adolescentes no rosto ou a barba branca - não as comparo. Mas me sinto muito mais à vontade hoje. Não gostaria de voltar a outro ponto da minha trajetória. É coisa de capricorniano.”

 

Edgard Scandurra e Nasi Edgard Scandurra e Nasi voltam a Rio Preto com a turnê Núcleo Base menos de um ano desde o último show na cidade, em agosto

Estamos bem entrosados’, diz Nasi

O Ira! traz ao Monte Líbano show da turnê Núcleo Base, que marcou o retorno da banda, ano passado, depois de sete anos longe dos palcos. Será o segundo show por essa turnê em Rio Preto em menos de um ano. Em 2014, eles tocaram no festival Planeta Rock, em agosto. O retorno marcou a reaproximação de Nasi e Edgard Scandurra. “A convivência tem sido ótima. Estamos bem entrosados e muito parceiros, mais que nos melhores momentos que tivemos no passado”, diz Nasi, em entrevista ao Diário. Ele contou que a banda tem planos de produzir um álbum novo ainda neste ano. “Pensamos em composições e formatos neste momento.”


Desde que voltaram, na Virada Cultural, em maio do ano passado, foram mais de 100 shows. “Os espaços para divulgar uma banda de rock estão bem diminutos. Falam que o rock está assim, assado, mas está firme e forte. Temos grandes festivais em 2015, como o Rock in Rio.”

Serviço:
Rio Preto é Rock, hoje, no Clube de Campo do Monte Líbano. Abertura dos portões: 21h. Ingressos entre R$ 40 e R$ 90. Fone: (17) 3013-3372

 

banda Yute Lions Finalista do programa SuperStar, em 2014, banda Yute Lions é uma das atrações do Zion Reggae Festival

Dez horas de reggae music

Com expectativa de receber três mil pessoas em quase dez horas de música, amanhã, no clube de campo do Automóvel Clube, o 2º Zion Reggae Festival Rio Preto contará com seis bandas em sua programação, incluindo nomes da cena do reggae nacional. Duas delas já são conhecidas do público local - a banda Natural Mística, de Mirassol, que abre a programação, e a paulistana Planta & Raiz, que se apresenta pela turnê do CD/DVD de 15 Anos, gravado ao vivo, lançado em 2013. O grupo ainda deve incluir no repertório do show uma homenagem a Raul Seixas, com uma versão reggae da música “Tente outra vez”.


As outras quatro bandas da programação tocam em Rio Preto pela primeira vez. Entre elas, está a carioca Yute Lions, classificada entre as dez finalistas do Programa SuperStar, da Rede Globo, no ano passado. Também se apresentam a Família Imperial, de Ribeirão Preto, a Cidade Verde Sounds, de Maringá (PR), e o grupo de rap carioca Oriente. “Rio Preto tem um público forte de reggae, com um potencial que cresce a cada dia. O gênero tem ganhado mais espaço na mídia, e o público tem expandido”, diz Rhafa Man, um dos organizadores. 


O festival terá toda a estrutura necessária para o atendimento ao público, incluindo praça de alimentação e estacionamento.
No dia primeiro de fevereiro, o clube de campo do Automóvel já havia reunido duas mil pessoas numa festa inédita em Rio Preto, o Colors Festival, também realizado pela Aldeia Sonora. Na opinião do presidente do Automóvel Clube, Ronaldo Alcântara, eventos como esses vão ao encontro da vocação de entretenimento do clube. Ele adianta que, no dia 24, o espaço receberá outra festa, a Splash, também direcionada ao público jovem.

Serviço:
Zion Reggae Festival, amanhã, com abertura dos portões às 18 horas, no Clube de Campo do Automóvel Clube. Ingressos a partir de R$ 50 a R$ 130. Informações: (17) 3222-5742, 98205-8888 e www.aldeiasonora.com

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso