Diário da Região

06/09/2001 - 00h05min

Relacionamento

Hora de reagir

Relacionamento

Editoria de Arte NULL
NULL
Quantas vezes já presenciamos uma pessoa amiga que saiu de um relacionamento conturbado e doloroso dizendo que nunca mais vai amar alguém da mesma forma ou que jamais gostará de uma pessoa com a mesma intensidade? Ninguém está livre de passar por uma experiência complicada na vida a dois, o que acaba dificultando a chegada de um novo amor. Atualmente, é possível observar que existem muitas relações bem-sucedidas, com altos e baixos, perfeitamente normais. Outras, porém, não evoluem e o desfecho, às vezes, é trágico, sendo que a saída é cada um seguir seu rumo. Segundo terapeuta de casal Sebastião Alves de Souza, essa sensação de não acreditar mais no amor após uma relação problemática, acontece porque depois da experiência negativa a pessoa está com a auto-estima em baixa e com uma sensação de vazio, que podem levar ao desânimo e à depressão. “É comum que este indivíduo curta uma fase de melancolia, mas a capacidade de amar ainda está presente”, explica.

Geralmente, os problemas têm início quando ainda no relacionamento os parceiros fazem acusações e cobranças do tipo “você prometeu muito e não cumpriu”, que conflitam com uma resposta do outro negando a culpa e transferindo a responsabilidade para a outra parte. Com isso, a raiva vai se acumulando e normalmente a reação é caracterizada por uma retração, o que faz com que um negue afeto ao outro ou até maltrate o companheiro. Nesse ponto, a relação torna-se o que a sexóloga Maria Helena Matarazzo chama de “infecção crônica”, que pode persistir por vários anos, mesmo após o término de uma relação. Dessa forma, os problemas continuam individualmente, o que pode afetar novos relacionamentos.

A psicóloga rio-pretense Fabíola Zancaner Arvati, acredita que seja necessário pelo menos um ano para que o ex-amante tenha condições de partir para uma nova relação. “A pessoa tem de reavaliar sua postura diante dos fatos e não utilizar recursos falhos já testados na relação anterior”, aconselha. Ela explica que há uma tendência natural de a pessoa repetir seu comportamento, mas que é preciso buscar novas alternativas de convivência para procurar um novo amor e estabelecer uma vida a dois diferente da primeira experiência. Se a pessoa não abandona seus velhos hábitos, mais tarde, palavras banais e gestos insignificantes revivem antigas feridas e estimulam novas lutas internas e externas. Isso faz com que a mente seja envenenada a ponto de manter vivas as mágoas que impedem a pessoa de amar outra vez.

No entanto, existem também as pessoas que imediatamente substituem a relação anterior como forma de evitar o sofrimento causado pela solidão. É nessa hora que deve existir cuidado extra. “Todo mundo tem um grande medo de ficar sozinho, mas também não se deve ‘embolar’ o meio de campo e tomar atitudes impensadas”, diz a psicóloga. Ela sugere aceitar o apoio de amigos e parentes nesta nova fase ou até mesmo a ajuda de um especialista. Quando o ex-amante toma consciência de que sua relação acabou e que reviver o passado a todo momento só vai piorar a situação, ocorre em sua mente um “clic”, o que possibilita que ele consiga enxergar e pensar de forma diferente. Dessa maneira, pode-se dizer que a pessoa liberta-se do passado e recupera a capacidade de se abrir para o outro. Ou seja, de agora em diante, passa a buscar novamente a reciprocidade, o amor e o prazer.

Comprometimento

O terapeuta Sebastião Alves de Souza diz que a primeira atitude de uma pessoa quando sai de um relacionamento deve ser a de analisar o que estava comprometido. “De repente, o parceiro era muito idealizado e a pessoa se decepciona porque constata que o príncipe encantado não existe”, explica. A psicóloga Fabíola Zancaner recomenda a quem tem dificuldade de mudar de comportamento diante do seu parceiro, refletir bastante sobre o que querem de uma nova relação, para não sofrer os mesmos problemas. “É preciso clareza nos interesses de cada um e no projeto comum de vida, para tornar

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso