X
X

Diário da Região

17/12/2016 - 03h57min

Artigo

Faça sua parte

Artigo

Divulgação Beth Valentim é consultora em comportamento e desenvolvimento pessoal e autora de livros como Essa Tal Felicidade
Beth Valentim é consultora em comportamento e desenvolvimento pessoal e autora de livros como Essa Tal Felicidade

Quantas manias existem espalhadas por aí. Amar demais. Sofrer demais. Lamentar-se demais e por aí vai. A cada dia é o despertar da justificativa para não realizar, sequer fazer uma escolha benéfica e que dê um novo formato na vida. Será que as pessoas valorizam mais desculpas, medos, intransigências do que alegrias?

Pois é, com certeza sim. Até porque ser feliz dá muito trabalho. Investimento do bolso e da alma. Reflexões constantes, trocas, perdão... E como é difícil ser alguém que aceite erros, se recupere com eles, transforme dificuldades em oportunidades.

No passado, as desculpas eram a falta de recursos e obviamente recursos emocionais também. Atualmente podemos ter contato com as pessoas de inúmeras maneiras, mas o esconde-esconde da alma hoje em dia é maior do que se pode imaginar. Temos transportes rápidos, mídias sociais, mas não importa: o que notamos é que as pessoas cada vez mais preferem suas cavernas.

Os caminhos são árduos, claro. Tropeçamos. Vivemos às vezes aos trancos e barrancos com uma equipe de trabalho ou mesmo em família. Que dirá relacionamento amoroso. No entanto, as possibilidades também são muitas. Procurar ajuda. Voltar atrás. Fazer diferente. Sair do seu caminho e experimentar o do próximo.

Sinto muito, mas se você continuar a virar a face para uma questão, daqui a pouco outras tantas faces irão fazer o mesmo. Sabe o que acontece? O vazio toma conta, a secura do coração espalha-se e a vida torna-se úmida, mofada e sem luz.

Somos pessoas que temos o dom de transformar o mundo, acredite. Ser gentil não custa nada, apenas algumas atitudes mínimas diante de tantas outra que existem por aí. Podemos fechar os olhos para certas coisas, como por exemplo para uma dificuldade alheia. Esses pequenos detalhes perpetuam-se, deixam marcas benéficas e, pode apostar, um exemplo magnífico.

Faça sua parte e pare de apontar o dedo para a ferida dos outros quando a sua está mais do que escancarada. Viver é mesmo uma arte e é melhor começar agora, porque o tempo... Ah, ele é do tipo que daqui a um segundo já não existe mais e você perdeu uma grande oportunidade de ser feliz em vez de magoar, insistir em ser desagradável e mesquinho.

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso