X
X

Diário da Região

27/03/2016 - 00h00min

Brasil

Experiências no Vale do Café

Brasil

Agência O Globo A caráter: casal recebe visitantes na Fazenda Paraíso
A caráter: casal recebe visitantes na Fazenda Paraíso

Na entrada da propriedade histórica, um corredor de palmeiras imperiais indica que, no lugar, vivem personalidades com títulos de nobreza. Em seguida, surgem o barão do Rio Preto, acompanhado de sua mulher, Maria das Dores, caminhando entre as árvores que simbolizam a importância da propriedade centenária. Os personagens, interpretados pelo guia de turismo e historiador Adriano Novaes, e Samanta Souza, também guia, aguardam o visitante para um passeio na residência da família, a Fazenda Paraíso.

A construção, erguida entre 1845 e 1853, fica no município de Rio das Flores, a cerca de 170 quilômetros do Rio de Janeiro. A casa guarda a imponência de uma época em que a região foi responsável por produzir 75% do café exportado pelo país durante os anos 1860, dentro do ciclo brasileiro da commodity, que durou de 1800 a 1930. São 58 cômodos, sendo 24 quartos e 12 alcovas (cômodos sem janela, onde os mercadores passavam a noite) distribuídos em quatro alas: íntima, comercial, social e serviço.

Outra experiência simbólica - no caso, disponível na Fazenda Florença, em Valença (a 160km do Rio) - é o 'Jantar da imperatriz' (ao custo de R$ 290), generoso banquete oferecido 'pelo imperador Dom Pedro 2º e sua mulher, Teresa Cristina': três quitutes de entrada, seis pratos principais e três sobremesas, entre outras delícias. O menu inclui canja de galinha, prato favorito do imperador.

Para ser fiel à época representada, os pratos escolhidos para o jantar foram definidos após pesquisa sobre os preparos típicos dos banquetes oferecidos pelos imperadores, sempre servidos com ingredientes existentes na época e respeitando, também, o modo de preparo disponível. Para compor o cenário, dois bonecos do nobre casal são postos sentados à mesa durante o jantar.

Essas são algumas das propostas temáticas oferecidas pelo Tour da Experiência Caminhos do Brasil Imperial do Vale do Café, projeto certificado pelo Sebrae em setembro do ano passado. São 18 estabelecimentos, entre fazendas, hotéis e lojas numa região integrada por cinco municípios fluminenses: Barra do Piraí, Piraí, Rio das Flores, Valença e Vassouras.

À mesa, título de nobreza

O roteiro do Vale do Café é vasto em experiências gastronômicas e de lazer, especialmente em família. São opções que vão de recitais musicais a apresentação de saraus, passando por oficinas de bordado da época das baronesas, entre outras atividades que resgatam hábitos da sociedade brasileira. A região teve influência de europeus, africanos - que chegavam ao país como escravos - e ainda de tropeiros.

Alguns serviços de propriedades da região agregam em uma única atividade a mistura de raças ocorridas no país durante este período. Em Vassouras, o Hotel Santa Amália oferece 'a cozinha da baronesa e o batuque do quilombo' (R$ 130). No cardápio, o creme de palmito pupunha e azeite aromatizado é uma das opções de entrada. O prato principal é composto por filé mignon ao molho de mostarda rústica, batatinhas com alecrim, crocante de bacon e mini legumes salteados na manteiga. 

Já a sobremesa fica por conta de chocolate meio amargo com café, chantilly e nozes. Antes do jantar, os hóspedes assistem a uma apresentação feita pelo grupo Abadá Capoeira, que inclui jongo, capoeira e maculelê. E como a essência do roteiro é a experiência, os convidados são recepcionados em suas mesas com um cartão de identificação que traz o nome de cada um acompanhado da denominação de 'barão' ou 'baronesa'. 

Do café para outras culturas

A década de 1880 marcou o declínio das grandes fazendas produtoras de café na região. Apesar de o esgotamento da terra ser citado como um dos fatores para a queda de produtividade, a bancarrota dos proprietários chegou definitivamente com a assinatura da Lei Áurea, em 1888. Na época, os escravos correspondiam a 70% do patrimônio dos donos das fazendas, de acordo com historiadores. Com o fim da escravidão, muitos fazendeiros, endividados, perderam suas terras.

Hoje, apesar de o turismo ser a principal aposta da região, algumas famílias proprietárias resolveram diversificar as atividades econômicas. Na mesma família há 103 anos, a Fazenda Paraíso vira sua decadência começar em 1870, apesar de ter sido uma das primeiras propriedades a importar maquinário para beneficiamento de grãos dos Estados Unidos. Hoje, a fazenda - que recentemente foi cenário da novela Além do Tempo, da TV Globo - tem na produção de gado para leite e corte sua principal fonte de receita. 

A pecuária não é, porém, exclusividade da Paraízo. A criação de gado para corte aparece, também, na Fazenda São João da Prosperidade, em Barra do Piraí. A fazenda foi fundada entre 1820 e 1830, por Antônio Gonçalves de Morais. Além do gado, a atual proprietária, Magid Breves Muniz, investe no reflorestamento de eucalipto. O visitante pode conferir a estrutura da casa de vivenda (onde a família morava), que hoje tem 15 quartos e seis salas, divididos em áreas íntima, social e comercial.

O passeio (R$ 44) termina nas ruínas da senzala, promovendo um encontro com o legado cultural dos escravos. Outras fazendas do Vale do Café buscam mercados alternativos, conectadas com exigências contemporâneas. A fazenda Alliança, em Barra do Piraí, cultiva uma horta orgânica. Lá, o visitante pode comprar itens como alface, rúcula e couve, entre outros, no estilo "colha e pague", em uma adaptação do consagrado "pesque e pague", em que o visitante escolhe o produto diretamente da horta. Mas a preocupação com uma alimentação sem químicos não fica restrita aos hortigranjeiros.

A fazenda conquistou, há seis anos, o certificado Ecosert, que atesta um modelo agrícola baseado em processos orgânicos: todas as atividades desenvolvidas na fazenda são orgânicas, incluindo o seu carro-chefe: o leite de búfala. São 200 cabeças, tratadas sem o uso de remédios. A visita culmina em um banquete que mistura a contemporaneidade dos produtos da fazenda em uma releitura dos jantares oferecidos a Dom Pedro II (R$ 240). A Alliança planeja a realização de workshops de gastronomia que tenham foco no uso alimentos orgânicos. Em meio a fazendas históricas, há espaço para referências externas. 

O Empório dos Arcos, loja em Barra do Piraí, vende queijos e vinhos importados, e recebeu o selo de "fornecedor oficial da casa imperial", em uma associação histórica como refúgio para quem busca produtos dessa natureza na região. Ainda em Barra do Piraí, a Casa do Manequinho oferece uma feijoada de tilápia, "acompanhada" por uma pitada de história, inclusive curiosidades, por exemplo, sobre a origem da própria feijoada. Sai por R$ 70. E o Condomínio da Arte ministra oficina de cerâmica, por R$ 50. Em Vassouras, a Santa Eufrásia ainda produz piqueniques, que custam R$ 70. E em Valença, na Vista Alegre, há um show de violeiro, com visita guiada, com o tíquete valendo R$ 150.

Serviço

Como chegar

  • Os municípios do Vale do Café ficam a cerca de 100 quilômetros do Rio de Janeiro. As principais rotas de acesso são as rodovias BR-040, cidades como Rio das Flores, ou pela Via Dutra, para Piraí e Barra do Piraí. Outras informações pelo valedocaferio.wordpress.com.

 
Onde ficar

  • Vista Alegre (Valença). Diárias desde R$ 300 (casal, com café da manhã). fazendavistaalegre.wordpress.com
  • Fazenda Florença (Valença). Pacote com duas diárias: R$ 1.558 (casal, pensão completa). hotelfazendaflorenca.com.br
  • Santa Amália (Vassouras). Diárias saem a R$ 502 (para casal, com pensão completa). hotelsantaamalia.com
  • Mara Palace Hotel (Vassouras). Diárias a R$ 181, para duas pessoas, com café da manhã. marapalace.com.br
  • Cachoeira Grande (Vassouras). Chalé com duas suítes a R$ 400 (para casal, com café da manhã). fazendacachoeiragrande.com.br
  • Fazenda União (Rio das Flores). Pacote de sexta a domingo: R$ 1.500 (para casal, com pensão completa). fazendauniao.com.br.
  • Fazenda Ponte Alta (Barra do Piraí). Diárias de R$ 480 (para casal, com pensão completa). pontealta.com.br
  • Pousada Brisa do Vale (Barra do Piraí). Diárias a partir de R$ 250 (para casal, com café da manhã). brisadovale.com.br

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso