X

Diário da Região

28/06/2015 - 00h00min

Problema

Estresse animal

Problema

Stock Images NULL
NULL

Gregório, cachorro da raça Shih Tzu, de 8 anos, foi diagnosticado recentemente com lágrima ácida, um aumento na secreção lacrimal que causa mau cheiro e manchas nos pelos ao redor dos olhos. Após fazer o tratamento para eliminar o problema, o proprietário resolveu investigar a causa e descobriu que a doença foi desencadeada por estresse. A família tinha acabado de mudar de casa e o cãozinho demorou para se acostumar com o novo lar. 

Territorialista e diante do ambiente desconhecido, ele teve de lidar ainda com a presença de um novo integrante na família: uma gata cheia de marra. "Ele também começou a fazer xixi em lugares errados e a latir muito durante a madrugada. Agora, dois meses depois, ele ainda está se adaptando ao local. Para amenizar o problema, está tomando florais e fazendo mais caminhadas na rua para gastar energia. A gata ainda é problema. Até hoje, eles não se entendem", conta o dono, Adriano Nogaroto. 

 

cãozinho da raça Shih Tzu, Gregório Mudança de casa e contato com novos animais desencadeou no cãozinho da raça Shih Tzu, Gregório, de 8 anos, uma doença chamada lágrima ácida, que é relacionada ao estresse

O que aconteceu com Gregório é muito comum. "O psicológico rege o corpo. Então, qualquer mudança que abale a mente faz com que a imunidade caia e doenças oportunistas surjam", afirma a veterinária Juliana Gabarron, do Pet Dog Café. Assim como humanos, os animais também ficam estressados e demonstram isso do jeito deles, ou seja, por meio de latidos diferentes do habitual, lambedura ou mordedura da patas ou outro lugar do corpo, apatia, anorexia, mudanças no sono, e alterações fisiológicas, como vômito e diarreia.

Ricardo Cabrera, veterinário do Mundo Animal, afirma que, além da mudança de casa, o animal de estimação pode sofrer com a troca de alimentos (ração e petiscos), estada em hotelaria especializada, viagens, primeiro banho e tosa e convivência com outros animais. "Enfim, tudo que é considerado novo." Dono estressado também pode causar estresse no animal. 
O problema é que esse estresse pode alterar a imunidade e gerar novas doenças. Os animais costumam desenvolver problemas comuns de acordo com cada faixa etária e predisposições genéticas. "No entanto, as mais comuns são pancreatites, IRA (insuficiências renais), hepatopatias, artropatias, dermatopatias de toda forma, cardiopatias e imunodeficiências pós-infecções", diz Cabrera. 

 

gato_Stock Images

Alivie a tensão 

A tensão canina pode ser tratada com medicamentos e florais. No entanto, apenas um veterinário poderá receitar o tratamento adequado de acordo com o histórico do animal.

"Ele vai detectar quais os elementos essenciais para tratá-lo", explica a veterinária do Pet Dog Café, Juliana Gabarron. Suplementos nutricionais com função antiestresse também já estão disponíveis no mercado. 

"Além dos medicamentos, outras formas de reverter o quadro de estresse no animal são por meio de vacinas, vermifugação, ração de boa qualidade, não deixá-lo muito tempo sozinho, consultas periódicas ao veterinário, carinho e passeios", elenca Juliana. 

 

cachorra_Belinha Com consultas periódicas ao veterinário e terapias à base de florais de Bach, animais estressados como Belinha podem levar a vida de forma mais saudável e equilibrada

Trabalho de base

O estresse em animais pode ser prevenido. E tudo de forma simples. Precisa-se apenas que o bicho seja cuidado desde o início da amamentação, por pelo menos 30 dias, após vermifugação e vacinação em clínicas veterinárias, com profissionais da área e avaliação prévia. Também é recomendado que seja feito o acompanhamento pediátrico por um ano, oferecendo a melhor qualidade possível de ração e prevenção de ectoparasitas. 

Animais jovens, de 1 a 6 anos, precisam fazer check-up no mínimo um vez ao ano, com acompanhamento odontológico. A partir de 7 anos, os animais precisam de ração própria para a idade e condições especiais, como castrados e animais geriátricos. Ricardo Cabrera, veterinário do Mundo Animal, afirma que, assim como os humanos, os animais também podem fazer tratamento especializado, "com o consumo de vitaminas (antioxidantes) e boa ração", explica o profissional. 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso