X
X

Diário da Região

09/05/2016 - 18h58min

Alimentação

A solução está no pomar

Alimentação

Stock Images/Divulgação Rico em flavonoides, o mirtilo é uma das frutinhas que ajudam a reduzir o risco do homem falhar na hora H, segundo demonstrou estudo de universidades inglesas e norte-americanas
Rico em flavonoides, o mirtilo é uma das frutinhas que ajudam a reduzir o risco do homem falhar na hora H, segundo demonstrou estudo de universidades inglesas e norte-americanas

Você come frutas diariamente? Se sim, saiba que está prevenindo um dos problemas mais temidos pelos homens, a impotência sexual. Cientistas da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, e de Harvard, nos Estados Unidos, analisaram os hábitos de homens e concluíram que o consumo de frutas como mirtilo, morango, amora e framboesa, que são ricas em flavonoides, pode reduzir o risco deles falharem na hora H. As análises foram feitas com homens na meia idade que consumiam ou não alimentos ricos de três tipos de flavonoides (antocianinas, flavonas e flavanonas).

Ao cruzar as informações, eles descobriram que os fãs de frutas como pera e maçã, e cítricas, como laranja e acerola, eram 14% menos propensos a sofrer disfunção erétil. O número subiu para 21% no caso daqueles homens que também realizavam exercícios físicos.  Rui Nogueira Barbosa, chefe da clínica urológica do Hospital Beneficência Portuguesa e professor de urologia da Faculdade de Medicina da Unilago, afirma que o consumo destas frutas é benéfico contra a disfunção erétil porque possuem antioxidantes que neutralizam os radicais livres, que são substâncias tóxicas ao organismo e prejudicam todo o processo de vida da célula. 

Segundo ele, os flavonoides têm propriedades anti-inflamatórias, o que reduz o risco de processos inflamatórios nos vasos, uma das causas da disfunção erétil. O urologista diz ainda que uma dieta rica em frutas, legumes, chá e vinho, moderadamente, ajuda a reduzir o risco de disfunção erétil, conforme demonstrou recente pesquisa publicada no periódico The American Journal of Clinical Nutrition. "O manjericão, rico em betacaroteno, magnésio, potássio e vitamina C, além dos flavonoides, foi altamente recomendado nos estudos nutricionais americanos. O consumo regular de melancia também se demonstrou eficaz no combate à disfunção erétil e à hipertensão arterial, melhorando também a sensibilidade a insulina e a degeneração macular."

Rui Nogueira afirma ainda que uma recente publicação no Journal of Agricultural and Food Chemistry, da Sociedade de Química Americana, relatou os benefícios do mirtilo (blueberry), além de melhoras em testes de memória. Somados ao consumo de frutas, outros hábitos saudáveis ajudam a prevenir a disfunção erétil. Segundo Rui Nogueira, uma dieta balanceada, praticando exercícios físicos regularmente, evitando ingestão de álcool em excesso e abolindo o tabagismo, mantendo controladas doenças como diabetes e hipertensão arterial, com visitas periódicas ao médico, proporcionam melhora na qualidade de vida e na expectativa de vida do indivíduo.

A impotência e o álcool

A Sociedade Brasileira de Urologia revela por meio de estudos que existe uma relação entre a impotência sexual e o álcool. Sabe-se que pequenas quantidades de álcool promovem um leve incremento da ereção a partir de sua ação calmante ou ansiolítica. Essa ação leva a pessoa a um relaxamento, diminuindo os níveis no corpo de adrenalina e, assim, melhorando a ereção.

Com o aumento da dose, o álcool eleva-se na corrente sanguínea. Como consequência, deflagra-se lentamente sua função depressiva no sistema nervoso central. Isto é, se no começo há ereções, com o incremento da concentração do etanol no corpo a flacidez peniana e a impotência irão predominar. Portanto, a mesma droga possui efeitos diferentes na parte da ereção masculina, depenendo exclusivamente da sua concentração no sangue. 

Causas orgânicas ou psicológicas

A disfunção erétil é a incapacidade de manter o pênis ereto para que ocorra a penetração durante uma relação sexual, o que configura a chamada impotência sexual. Geovanne Furtado Souza, urologista do Instituto de Urologia e Nefrologia (IUN), de Rio Preto, afirma que a dificuldade de atingir ou de manter uma ereção pode ter causas orgânicas e/ou psicológicas. Dentre as orgânicas, incluem as doenças cardiovasculares e diabetes, que podem ser agravadas pela obesidade, fumo e falta de atividade física, e entres as causas psicológicas podemos citar ansiedade, depressão e estresse.

Segundo o urologista rio-pretense, o estudo publicado pela Universidade de Harvard, lançado em fevereiro, analisou 25.096 pessoas por 10 anos, e ficou evidente que aquelas pessoas que tinham uma dieta rica em flavonoides apresentaram menor incidência de impotência sexual, quando comparadas com aquelas que não tinha uma dieta rica destas sustâncias. Outros estudos, segundo ele, demonstraram que uma dieta rica em grãos, legumes, frutas e castanhas podem, sim, ajudar a evitar a impotência sexual. 

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso