X

Diário da Região

26/05/2015 - 01h00min

Ushuaia 365 dias

A capital da terra do fogo

Ushuaia 365 dias

Stock Images/Divulgação A cordilheira dos Andes, vista do voo de helicóptero
A cordilheira dos Andes, vista do voo de helicóptero

Apesar do dia cinzento e fechado, lá embaixo a paisagem da Cordilheira dos Andes não me fazia ter vontade de afastar o rosto da janela do helicóptero. Estava hipnotizada por seu relevo sinuoso de picos nevados e recortado por geleiras, rios e lagos de cores impressionantes, quando o piloto perguntou: "que tal pousarmos um pouquinho?". Pousou suavemente, mesmo com todo o vento comum àquela região, no topo achatado do monte Le Cloche. E convidou a sair por alguns minutos e com os pés firmes nos Andes contemplar Ushuaia lá embaixo.

Não à toa os passeios de helicóptero estão, apesar dos preços elevados, entre os tours mais disputados por turistas que visitam a capital da Terra do Fogo, no extremo sul argentino. A beleza geográfica e natural da cidade e seus entornos é mais hipnotizante vista do alto - durante o passeio, vemos com extrema nitidez e proximidade toda a Baía de Ushuaia, o porto, as casas se espalhando horizontalmente até os pés das montanhas, o vale do Rio Olívia, os icônicos montes Olívia e Cinco Hermanos.

E, convenhamos, pousar e descer do helicóptero, mesmo que por breves minutos, no topo de uma montanha andina, não é um passeio corriqueiro, certo? Visitar Ushuaia tem gosto especial para o turista. Afinal, sair de casa com o propósito de "chegar ao fim do mundo", alcançar o último pedacinho de terra do continente americano antes da Antártica, é mesmo excitante. Recorda aventureiros e desbravadores de outros tempos. Basta sentir o vento no rosto ao descer do avião no diminuto aeroporto local para se certificar que toda a jornada para chegar até lá valeu a pena - é preciso enfrentar conexão em Buenos Aires e, algumas vezes, uma escala em El Calafate.

Pelo Canal de Beagle

Com extrema beleza natural, entre montanhas, parques, geleiras, lagos e vales super férteis, a cidade mais austral do mundo (fato que lhe conferiu o aposto de "Fim do mundo") fica às margens do mítico Canal de Beagle, batizado assim porque por ali navegou o HMS Beagle, que levava a bordo o lendário capitão FitzRoy e o cientista Charles Darwin. 

Assim, tomada pela História, Ushuaia é ao mesmo tempo uma cidade jovem, fundada oficialmente só em 1884. Curiosamente, ficou conhecida dos próprios hermanos apenas no século 20, quando o governo decidiu construir ali, longe de tudo e todos, uma prisão. 

Hoje, turisticamente adotada pelo mundo, dá ao visitante a chance de desfrutar de mar, montanhas, lagos, geleiras e florestas, tudo ao mesmo tempo, pelos 365 dias do ano. Da primavera ao outono, é um paraíso para amantes da natureza e esportes de aventura; no inverno, seu Cerro Castor é uma das maiores e mais conhecidas estações de esqui da América do Sul.
 

Oservação de pássaros e 16 mil pinguins

 
Apesar de extremamente turística, a capital da Terra do Fogo não dá ao visitante a sensação de destino abarrotado de gente, superlotado, nem no auge das temporadas de inverno e verão. A infraestrutura turística não para de se desenvolver. Vizinho ao centro, há um pequeno polo tecnológico. Mas Ushuaia segue sendo uma pequena cidade argentina, com a cativante atmosfera comum a esse tipo de destino.

A paisagem tão dura e os ventos constantes propagam a sensação de silêncio e isolamento natural durante quase todos os passeios. E, nos fins de tarde e início de noite, caminhar pelas encantadoras ruas do centro da cidade - entre seus cafés, restaurantes, lojas de chocolates e artigos esportivos e bares - é um enorme prazer. Não importando a estação.

Para os aventureiros, não faltam ofertas de atividades como trekking, mergulho, cavalgada, mountain bike e caiaque. Já para os mais sossegados, birdwatching, safáris fotográficos, navegação e pesca também estão fartamente disponíveis. De qualquer forma, o passeio mais procurado nas agências locais é a navegação pelo mítico Canal de Beagle que, com o estreito de Magalhães e a passagem de Drake, forma o trio que conecta os oceanos Atlântico e Pacífico na América do Sul.

Ao longo de pouco mais de três horas e meia de passeio, é possível avistar, com clareza e em grande quantidade, inúmeras aves patagônicas e leões-marinhos preguiçosamente tomando banhos de sol sobre ilhotas de rocha. Com sorte, dizem que é possível avistar alguns pinguins durante o passeio também. Após pequena parada para caminhada light em uma das diminutas ilhas do itinerário, o barco alcança o Farol de Ushuaia, também conhecido como o Farol do Fim do Mundo, localizado bem no meio do canal.

Passeando pela pinguineira

Para ver pinguins com fartura e calma, o melhor programa é a chamada excursão à pinguineira, como é conhecida a Ilha Martillo, nos arredores de Ushuaia. Ali vive uma das maiores colônias de pinguins do Hemisfério Sul, e os turistas podem caminhar entre seus mais de 16 mil integrantes. Seguindo uma trilha previamente determinada, vemos de pertinho, ao longo de quase uma hora, pinguins de três espécies diferentes - Magalhães, gentoo e rei - que se movem curiosos entre nós.

Mas olho vivo na hora de contratar esta excursão: o passeio de barco até a ilha não permite que o turista desembarque e faça a caminhada entre os pinguins. Essa aproximação só acontece no tour feito por terra, em veículos 4x4, em que se toma uma pequena lancha que chega ao ponto adequado da ilha.

Esqueleto de baleia gigante

O passeio por terra também inclui uma parada no Museu Marítimo Acatushún da Estância Harberton, que reúne inúmeros esqueletos de vida marinha - de tartarugas a gigantescas baleias. Os pesquisadores, aliás, estão ali mesmo, disponíveis, para responder dúvidas e dar informações aos visitantes.

Entre um passeio e outro pelos arredores, vale reservar um tempo para conhecer a antiga prisão de Ushuaia, bem no centrinho, atualmente convertida no Museu do Presídio - um excelente lugar para entender o processo de formação e colonização pelo qual passou a região.

Parque Tierra dek Fuego

A maior atração de Ushuaia, claro, é seu Parque Nacional Tierra del Fuego, um dos mais importantes do continente. Com exuberantes fauna e flora - incluindo encantadoras orquídeas selvagens que só podem ser encontradas ali -, a área é um constante convite para caminhadas de todos os níveis de dificuldade.

Mas há uma imensa oferta de passeios em jipes 4x4, para quem quiser poupar o físico, com paradas consideradas estratégicas nos principais mirantes e pontos panorâmicos, de onde são vistas montanhas e lagos, assim como o fim da icônica Ruta Nacional 3 - cujos 3 mil quilômetros cruzam o país de norte a sul, a partir de Buenos Aires.

Em geral, é possível ver a Baía Lapataia, a Laguna Negra, o Lago Roca, o Rio Pipo, a Baía Ensenada, entre e outros. Alguns tours, como o da empresa Tierra Turismo, incluem uma esticada ao "País de la Isla Redonda", uma ilhota - de meio quilômetro quadrado - localizada dentro no parque, que abriga a estação de correios mais austral do continente.

A vantagem de optar pelas excursões com caminhadas está em poder ver de pertinho a vida selvagem tão particular ao parque - das orquídeas selvagens e demais espécies de vegetação típica aos pássaros, castores e raposas comuns por ali. A ida ao imenso Lago Fagnano, por exemplo, costuma reunir a aventura do passeio em jipe 4x4 pela floresta (entre muito barro e solavancos), a aproximação de lagos como o Escondido e a observação das raposas.

Castores e passeio panorâmico

Além de disso, durante esse tour, é possível ver ainda algumas das muitas castoreiras espalhadas pelo parque. Nesse ponto, descobre-se que os castores - originários da América do Norte e introduzidos na Terra do Fogo pelo homem - destroem árvores nativas para fazer diques de proteção para as suas casas. Também é do Parque Nacional Tierra del Fuego que sai o passeio panorâmico no Trem do Fim do Mundo, que atravessa parte do parque e alcança - por supuesto! - a "mais austral estação de trens do mundo". Uma boa alternativa de passeio, aliás, para quem viaja com crianças ou ainda para turistas que tenham menos mobilidade de locomoção.

Inverno de pura neve em Cerro Castor

No inverno, os passeios de aventura, trekkings e 4x4 dão lugar ao esqui. Entre os meses de junho a setembro, a estação de Cerro Castor, uma das maiores e mais populares da América do Sul, se converte na principal atração da cidade. Mais austral e mais jovem entre as estações de esqui do continente (foi inaugurado em 1999), o Cerro Castor vem atraindo mais turistas a cada temporada. Este ano, realiza a primeira Copa do Mundo de FreeStyle na América do Sul (28/8 a 6/9) e será também sede do congresso Interski (5/9 a 12/9).

Localizada a 26km do centro de Ushuaia, com excelente acesso por estrada asfaltada, a estação tem uma das temporadas de esqui das mais longas da América do Sul: a deste ano, por exemplo, vai começar em 26 de junho e deve terminar só na primeira semana de outubro. São 28 pistas e dez meios de elevação para todos os níveis de esquiadores, inclusive iniciantes, distribuídos em mais de 600 hectares - e um snow park para quem quer fazer esqui e snowboard fora das pistas, aproveitando a fama de paraíso de neve "powder", como é conhecida a neve recém-caída, nova e intocada. 

A infraestrutura garante ainda cinco restaurantes diferentes e wi-fi liberado na base da estação e na vila, além de providenciais lojas de aluguel de equipamentos, que são encontradas logo na entrada do complexo. Quem não esquia também curte o contato com a neve durante os meses de inverno, seja nos passeios panorâmicos guiados para ver a região toda nevada ou ainda em atividades que acontecem inclusive no próprio complexo do Cerro Castor. Entre elas, estão caminhadas em raquetes de neve e tours aos pés da cordilheira em trenós puxados por huskies siberianos, raça de cães conhecida por suportar longas trilhas em temperaturas baixíssimas. 

 

COMO CHEGAR

:: A Aerolíneas Argentinas a LAN têm tarifas a partir de R$ 1.807,45. Preços pesquisados para a primeira semana de junho.
 

ONDE FICAR

:: Arakur Ushuaia Resort&Spa: A diária, para duas pessoas, custa a partir de US$ 241. arakur.com

:: Los Cauquenes Resort&Spa: O hotel oferece diárias para casal a partir de US$ 345. loscauquenes.com

:: Hostal del Bosque: Diária em quarto duplo a US$ 90. hostaldelbosque.com.ar
 

PASSEIOS

:: Sobrevoo de helicóptero: a HeliUshuaia cobra US$ 320 por pessoa por meia hora de voo.
heliushuaia.com.ar

:: Canal Beagle: na Tolkeyen Patagonia, a navegação sai a US$ 58 (incluída a taxa portuária). tolkeyenpatagonia.com

:: Pinguineira: o tour pela Piratour custa US$ 150, por pessoa, incluindo ingresso à estância. piratour.net

:: Trekkings e 4x4: Trekking e passeios em 4x4 pelo Parque Nacional Tierra del Fuego, pela Tierra Turismo custa US$ 125 por pessoa, mais a entrada no parque a US$ 70. tierraturismo.com
 

OUTRAS OPERADORAS

:: RumboSur (rumbosur.com.ar), Comapa (compa.tur.ar) e Canal Fun (canalfun.com)

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso