X
X

Diário da Região

10/09/2017 - 00h00min

DISTRITÃO

Voto ‘distrital’ já turbina eleição de deputados da região

DISTRITÃO

Fábio Rodrigues Pozzebom/Arquivo Agência Brasil Solenidade de abertura do ano legislativo do Congresso Nacional
Solenidade de abertura do ano legislativo do Congresso Nacional

Motivo de longas discussões dentro da reforma política no Congresso, a eleição distrital, na qual candidatos ao parlamento disputariam os votos apenas da região da qual fazem parte, já ocorre na prática na área de influência de Rio Preto. Oito dos 11 deputados estaduais e federais que representam a região tiveram a maioria dos votos em seus próprios domicílios eleitorais e cidades vizinhas.

Levantamento do Diário, com base em dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) da origem dos votos desses 11 políticos em 2014 revelam que sem a região eles não alcançariam cadeira no legislativo. Os deputados estaduais Orlando Bolçone (PSB) e João Paulo Rillo (PT) são exemplos de como o voto regionalizado faz a diferença. Na última eleição, eles tiveram 90% dos votos concentrados na região, principalmente, em Rio Preto, maior eleitorado do Noroeste paulista e domicílio eleitoral de ambos.

No caso de Bolçone, só em Rio Preto ele recebeu mais de 44 mil votos de um total de 69 mil. “O modelo de voto distrital, regionalizado, é importante. As pessoas da cidade, região conhecem sua vida, o modo que você trabalha. O voto regionalizado é mais fácil até para eleitor fiscalizar a atuação dos deputados”, afirma Bolçone.

No caso do petista, de 65.323 votos que ele obteve na eleição de 2014, mais de 60% foram concentrados apenas em Rio Preto, onde ele já foi vereador e o pai, Marco Rillo, ainda é. A distritalização do voto, no entanto, precisa de consenso em Brasília, a começar de como se daria a divisão do Estado, e se vai ser distrital puro ou misto. De qualquer forma, os resultado da eleição de 2014, a última para deputado, mostra que os eleitos na região saem com votação turbinda em seus redutos.

O deputado estadual Carlão Pignatari (PSDB), de Votuporanga, recebeu 84 mil votos na eleição realizada há quatro anos. Apenas em Votuporanga, quem cerca de 68 mil eleitores, o tucano saiu com 44 mil votos, mais da metade de toda a votação que teve. A cena se repete, salvo exceções, na eleição para deputados federais. Hoje prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (PMDB), foi eleito em 2014 também impulsionado pelos votos na região, quase 100 mil de um total de 112 mil.

Outro exemplo de força na região é o caso do deputado federal licenciado Rodrigo Garcia (DEM), atual secretário estadual de Habitação de São Paulo. Mesmo tendo domicílio eleitoral na Capital, Rodrigo, cujos os pais moram em Rio Preto, faturou 40% de seus mais de 300 mil votos em cidades da região. Itamar Borges (PMDB), de Santa Fé do Sul, é outro que concentra votos na região, mais de 50% do total da votação que recebeu em 2014.

Segundo políticos e especialistas consultados pelo Diário durante a semana que passou, a discussão do voto distrital é próximo passo da reforma. “Num primeiro momento acredito que irá passar o distritão. Depois o caminho natural é adotar o distrital. Caminha para isso”, afirma o deputado federal Fausto Pinato (PP). O deputado com base eleitoral em Fernandópolis teve mais de 80% dos votos em 2014 em seu reduto eleitoral. No entanto, no modelo distritão - que acaba com a eleição proporcional- e no qual os mais votados são eleitos - o deixaria de fora da Câmara se já tivesse sido implantado na última eleição.

Pinato teve apenas 22 mil votos na campanha passada e graças ao modelo proporcional foi eleito ajudado pela expressiva votação do colega de chapa Celso Russomano, que teve 1,5 milhão de votos. “Falam muito que os votos dele me puxaram, mas agora já tenho um trabalho estabelecido. Consegui muitas emendas para a região. O distritão deve passar, acho”, diz Pinato, que integrou a comitiva oficial do presidente Michel Temer (PMDB) na China, confiante de que terá mais votos em 2018.

Diferentemente dos demais, o deputado estadual Sebastião Santos (PRB), não dependeu da votação da região para ser eleito em 2014. Com 95 mil votos, apenas 15% foram concentrados na região. Ele teria sérias dificuldade no modelo distrital. Pastor da Igreja Universal, Santos, teve votação pulverizada. Sua maior votação, por cidade, em São Bernardo da Campo, foi 6,3 mil. No distritão, no entanto, o deputado não teria problemas para ser eleito se a regra já valesse na última eleição. Outro deputado da região que tem votação espalhada no Estado é Vaz de Lima (PSDB). Ainda assim, teve mais de 44 mil votos na região.

Fim de coligações avança na Câmara

Em meio a muita discussão, a Câmara dos Deputados aprovou na última semana o fim das coligações proporcionais para eleição do ano que vem. A discussão da reforma será retomada na quarta, 13. Um dos temas que ainda precisam ser definidos é o financiamento das campanhas. O deputado Vicente Candido (PT-SP), relator do texto da reforma, chegou a propor criação de um fundo que somaria R$ 3,6 bilhões financiado pelo governo. Duramente criticada, a proposta acabou descartada.

“Reclamam que não pode financiamento público de campanha nem privado. Então como vai fazer? Sou a favor de doações de empresas”, afirma Fausto Pinato (PP). Os deputados também irão decidir se o distritão entra em vigor na eleição do ano que vem - o debate sobre a implantação do voto distrital também entra no bolo. Parte dos deputados da região avalia que o distritão - que privilegia os mais votados, independentemente de partidos - deve ser aprovado, com críticas de que vem para favorecer que já tem mandato, por ser mais conhecido do eleitorado. Há quem defenda o distrital misto, com metade dos eleitos mais votados e outra metade com base na votação de partidos.

Distritão mudaria cenário na região

O modelo de votação chamado de distritão, no qual apenas os mais votados são eleitos, teria mudado o quadro de representantes da região caso estivesse em vigor na eleição passada. Entre os 94 deputados estaduais, a principal mudança seria a inclusão de mais dois parlamentares da região. Marco Vinholi (PSDB), de Catanduva, teria seria eleito. Ele foi o 80º mais votado entre os candidatos a cadeira na Assembleia Legislativa. Suplente, ele só assumiu o mandato neste ano com a renuncia de deputados que se elegeram prefeitos na eleição do ano passado.

Gilmar Gimenes (PP), de Fernandópolis, 84º mais votado a deputado estadual em 2014, é outro que teria sido eleito no distritão. Assim como Vinholi, assumiu só neste ano. Já no caso da votação para deputado federal, o distritão deixaria a região com menor representatividade. Sinval Malheiros (PV), por exemplo, não seria eleito. Em 2014, o catanduvense foi 95º mais votado e não teria lugar entre as 70 cadeiras reservadas a São Paulo. Assim como Fausto Pinato (PP), de Fernandópolis, o 163º mais votado. Ambos foram beneficiados pelo sistema proporcional, que leva em conta a votação total dos partidos e não dos candidatos, individualmente.

Com base nos votos das eleições de 2014, como seria o desempenho dos deputados da região

Deputados Federais

 

politica_pinato - 10092017

 

Fausto Pinato (PRB)

  • Domicílio eleitoral: Fernandópolis
  • Total de votos: 22.097 
  • Votação na região: 13.386 (89%)
  • Cidade com mais votos: Fernandópolis 18.3912 com voto distrital
  • Desfavorável, votação pequena e concentrada em praticamente uma cidade
  • No distritãoNÃO ELEITO

 

 

politica_rodrigogarcia - 10092017

 

Rodrigo Garcia (DEM)

  • Domicílio eleitoral: São Paulo
  • Total de votos: 336.351
  • Votação na região: 140.643 (41%)
  • Cidade com mais votos: São Paulo 37.325 com voto distrital
  • Favorável. Embora tenha votos em todo o Estado, foi o candidato mais votado na região 
  • No distritãoELEITO

 

 

politica_edinho - 10092017

 

Edinho Araújo (PMDB), que renunciou para ser prefeito de Rio Preto

  • Domicílio eleitoral: Rio Preto 
  • Total de votos: 112.780 
  • Votação na região: 99.838  (87%)
  • Cidade com mais votos: Rio Preto 59.172 com voto distrital
  • Favorável. Votação expressiva na região
  • No distritãoELEITO

 

 

politica_sinvalmalheiros - 10092017

 

Sinval Malheiros (PV)

  • Domicílio eleitoral: Catanduva 
  • Total de votos: 59.362 
  • Votação na região: 50.860 (85%)
  • Cidade com mais votos: Catanduva 28.096 com voto distrital
  • Favorece, pois concentra votos na região
  • No distritãoNÃO ELEITO

 

 

Deputados Estaduais

 

politica_bolçone - 10092017

 

Orlando Bolçone (PSB)

  • Domicílio eleitoral: Rio Preto
  • Total de votos: 76.909
  • Votação na região: 62.228 (87% dos votos)
  • Cidade com mais votos: Rio Preto 44.358 Com voto distrital
  • Favorece, pois concentra votos na região
  • No distritãoELEITO

 

 

 

politica_carlao_pignatari - 10092017

 

Carlão Pignatari (PSDB)

  • Domicílio eleitoral: Votuporanga
  • Total de votos: 97.444
  • Votação na região: 84.206 (86,6% dos votos) 
  • Cidade com mais votos: Votuporanga 44.358 com voto distrital
  • Favorece, pois concentra votos na região
  • No distritãoELEITO

 

 

 

politica_joaopaulorillo - 10092017

 

João Paulo Rillo (PT)

  • Domicílio eleitoral: Rio Preto
  • Total de votos: 72.884
  • Votação na região: 65.323 (89,7%)
  • Cidade com mais votos: Rio Preto 43.854 com voto distrital
  • Favorece, pois concentra votos na região
  • No distritãoELEITO

 

 

 

politica_ItamarBorges - 10092017

 

Itamar Borges (PMDB)

  • Domicílio eleitoral: Santa Fé do Sul 
  • Total de votos: 99.558
  • Votação na região: 56.161(57%)
  • Cidade com mais votos: Santa Fé do Sul 12.292 com voto distrital 
  • Desfavorável, tem votos na região, mas menos que os concorrentes diretos
  • No distritãoELEITO

 

 

politica_BethSahão - 10092017

 

Beth Sahão (PT)

  • Domicílio Eleitoral: Catanduva
  • Total de votos: 63.172
  • Votação na região: 31.543 (50%)
  • Cidade com mais votos: Catanduva 17.925 com voto distrital 
  • Favorável. Candidata tem metade de seus votos na região
  • No distritãoELEITA

 

 

 

politica_VazdeLima - 10092017

 

Vaz de Lima (PSDB)

  • Domicílio eleitoral: Rio Preto 
  • Total de votos: 113.422
  • Votação na região: 44.930 (40%)
  • Cidade com mais votos: Rio Preto 29.746 com voto distrital 
  • Embora tenha votação espalhada em todo o Estado, tem expressiva votação na região 
  • No distritãoELEITO

 

 

politica_SebastiãoSantos - 10092017

 

Sebastião Santos (PRB)

  • Domicílio eleitoral: Barretos
  • Total de votos: 95.325
  • Votação na região: 14.072 (15%)
  • Cidade com mais votos: São Bernardo do Campo 6.365 com voto distrital
  • Desfavorável. Foi o eleito com menor quantidade de votos na região, apesar de votação expressiva no Estado
  • No distritãoELEITO

 

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso