Diário da Região

08/10/2012 - 09h11min

São Paulo

Haddad diz que projeto é nacional e busca PRB

São Paulo

A campanha do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vai adquirir contornos nacionais no 2.º turno contra José Serra (PSDB). Minutos após ser confirmado na segunda rodada da disputa, o petista disse que buscará aliança com Celso Russomanno (PRB), que terminou em terceiro lugar, e com todos os partidos da base de sustentação do governo Dilma Rousseff.

A estratégia conta com a ajuda do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da própria Dilma. A presidente vai cobrar o apoio de Russomanno porque atualmente o PRB controla o Ministério da Pesca, comandado por Marcelo Crivella, bispo licenciado da Igreja Universal. A cúpula da campanha de Haddad espera o apoio do ex-deputado, mas pediu auxílio do Palácio do Planalto porque avalia que ele está "magoado" com o PT.

"Nós vamos buscar o apoio de todos os partidos da base aliada do governo Dilma, sem nenhum veto, nenhuma restrição. Nós entendemos que se os partidos apoiam o projeto nacional, e se queremos que esse projeto tenha expressão forte em São Paulo, precisamos do apoio de todos", afirmou Haddad. "São Paulo tem importância para o projeto nacional."

O candidato do PT disse não ver razão para que as críticas feitas por ele à proposta de Russomanno, prevendo uma tarifa de ônibus proporcional, sejam obstáculo para a aliança no 2.º turno. "Eu, ao contrário de alguns, não faço política atacando pessoas, reputação, ninguém. Faço política discutindo ideias", insistiu Haddad, numa referência indireta a Serra.

Emocionado, Haddad contou que Dilma e Lula telefonaram para ele neste domingo (7) e o cumprimentaram pela passagem para o 2.º turno. Nos bastidores do PT, a chegada do ex-ministro da Educação como finalista foi atribuída a uma vitória pessoal de Lula, que comprou briga no partido para bancar sua candidatura e nos últimos dias não saía das ruas, pedindo votos.

Mensalão

O desafio de Haddad é se livrar no 2.º turno da exploração do julgamento dos réus petistas do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal. "O eleitor sabe discernir entre o julgamento do mensalão e o pleito municipal", afirmou Haddad, neste domingo (7). "Eu nunca fui arguido nas ruas sobre isso."

O comando da campanha petista já prepara o contra-ataque. Com o ex-chefe da Casa Civil José Dirceu na iminência de ser condenado pelo STF como "mandante" do esquema de compra de votos, em 2005, o PT vai voltar a artilharia para o "mensalão tucano", que teria começado em Belo Horizonte.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso