Diário da Região

08/10/2012 - 09h07min

São Paulo

Contra rejeição, Serra focará ?compromisso? e biografia

São Paulo

Com o maior índice de rejeição entre os candidatos a prefeito de São Paulo, o comando da campanha do candidato do PSDB, José Serra, pretende trabalhar a biografia do tucano e o seu histórico de realizações na capital paulista para tentar reverter a resistência existente em alguns setores do eleitorado. Além disso, insistirá na tese de que Serra tem "compromisso" com a cidade de São Paulo e que cumprirá os quatro anos de mandato.

Aos seus interlocutores, Serra tem falado que sua rejeição está ligada diretamente ao fato de ter renunciado em 2006 - um ano e três meses depois de ter assumido a Prefeitura, para disputar o governo do Estado de São Paulo. Também afirmou que, caso sua rejeição fosse mesmo uma tão questão determinante, ele não teria passado para o segundo turno em primeiro lugar.

Os tucanos avaliam que os adversários deverão insistir na tese da renúncia de 2006. Por isso mesmo, Serra tende a reafirmar sua decisão de permanecer no cargo de prefeito, na hipótese de se eleger, até 2016.

A campanha de Serra tem o intuito ainda de promover um embate comparativo com o PT e explorar o antipetismo da capital paulista. Primeiro, pretende mostrar aquilo que os tucanos chamam de "dimensão política" da figura de Serra e comparar o que ele fez pelo País com o que o adversário petista, Fernando Haddad, já teria realizado. Os tucanos também vão fazer análises comparativas das gestões José Serra/Gilberto Kassab (PSD) com as administrações de Marta Suplicy (2001-2004) e Luiza Erundina (1989-1992) - hoje deputada pelo PSB, mas que foi prefeita da cidade pelo PT.

A ideia é mostrar que o modelo tucano de governar rendeu mais para a cidade que o petista. Serão mostrados números favoráveis ao tucano e imagens de greves e problemas na cidade nas áreas de saúde, por exemplo, quando a capital era administrada pelo PT.

Os coordenadores da campanha consideram que o segundo turno é uma nova fase da disputa e que "o jogo começará do zero". Além de intensificar o debate sobre ética para buscar derrotar a candidatura petista, os tucanos entendem que o principal aliado nesta fase da eleição será o antipetismo da cidade de São Paulo e a discussão no País sobre corrupção. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso