Diário da Região

08/10/2012 - 09h24min

São Paulo

Câmara paulistana troca 40% dos atuais vereadores

São Paulo

A Câmara Municipal de São Paulo terá, a partir de 1.º de janeiro, 22 novos vereadores em relação aos atuais 55. O índice de renovação é de 40% - na eleição passada, essa taxa foi de 29%.

Embora o tucano José Serra tenha sido o mais votado entre os candidatos a prefeito, foi o PT de Fernando Haddad quem fez a maior bancada, mantendo as atuais 11 cadeiras. O PSDB caiu de 13 na eleição passada para 9. Estreante nas urnas, o PSD, do prefeito Gilberto Kassab, fez a terceira maior bancada, com sete eleitos.

A nova composição da Câmara ainda devolve força ao PMDB, que conseguiu quatro cadeiras, "puxadas" pela votação do candidato a prefeito Gabriel Chalita. O PV, liderado pelo campeão de votos Roberto Tripoli, alcançou o mesmo número de representantes, com um diferencial: dos quatro eleitos, três deixaram o PSDB no ano passado. O PTB também surge com quatro parlamentares. Os demais partidos alcançaram de um a três vereadores.

O cenário atual projeta boas perspectivas ao próximo prefeito, seja Serra ou Haddad. Com as maiores bancadas na Câmara, os dois partidos em tese poderão contar com o apoio do PSD de Kassab. Embora esteja na aliança do tucano, o prefeito se aproximou do PT no nível nacional e não teria problemas em aderir à base do petista - ou pelo menos não fazer oposição radical.

Mas, se o resultado das urnas não coloca em risco o novo governo, a votação surpreende pela quantidade de novatos e pela saída de nomes como o atual decano da Casa, Wadih Mutran (PP). O vereador de 78 anos não conseguiu seu oitavo mandato.

Entre os estreantes, estão dois ex-policiais "linha-dura" da Rota: coronel Telhada (PSDB) e Conte Lopes (PTB). A lista de novatos ainda inclui os tucanos Andrea Matarazzo (PSDB) que, com 117,5 mil votos, é o segundo mais votado, e Mario Covas Neto.

O atual presidente da Câmara, Police Neto (PSD), por pouco não ficou de fora. Com 28 mil votos, entrou na última vaga da coligação encabeçada por PSDB-PSD. Já a bancada evangélica ganhou mais força. Passou de cinco nomes para oito. Entre os novatos, estão representantes das igrejas Universal, Mundial e da Graça de Deus. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso