X
X

Diário da Região

19/02/2015 - 16h50min

São Paulo

Barbosa diz que recebia centenas de advogados, 'mas nunca às escondidas'

São Paulo


O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa usou novamente a rede de microblog Twitter para se posicionar em relação à polêmica com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Barbosa escreveu que recebia, sim, advogados. "Mas informava a parte contrária, para que ela pudesse estar presente, se quisesse", completou.

Segundo o ex-presidente do STF, "o processo judicial cuida de interesses ferrenhamente contrapostos". "Tem de ser transparente, dar igualdade de chances às partes", escreveu. Ele afirmou ainda que em processos judiciais "não devem existir encontros "en catimini", às escondidas, entre o juiz e uma das partes.

"Igualdade de armas é o lema", completou. Barbosa cita "o saudoso" ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos, que defendeu o ex-executivo do Banco Rural José Roberto Salgado no processo do mensalão e diz que atendeu ao pedido do defensor de ser recebido "no meio do julgamento da AP 470". "Recebi-o, na presença do PGR (procurador-geral da República)", afirmou.

O ex-presidente do STF afirmou também que suas palavras são "torcidas" e "retorcidas". "Incrível como torcem e retorcem o que eu digo! O objetivo é claro: desviar a atenção da essência daquilo que foi objeto do meu comentário", escreveu o ex-ministro. Após a divulgação de notícias sobre reuniões do ministro da Justiça com advogados de empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato, Barbosa usou, recentemente, a rede social para pedir a pediu a demissão de Cardozo e continuou a opinar sobre o caso. "Se você é advogado num processo criminal e entende que a polícia cometeu excessos/deslizes, você recorre ao juiz. Nunca a políticos!", escreveu.

Hoje, em suas postagens, o ex-presidente do Supremo explica que falou na ocasião apenas sobre uma reportagem "em que se relatava uma tentativa de interferência da política em assunto 'jurisdicionalizado'. Só". Segundo Barbosa, há uma tentativa de desvirtuar suas críticas. "Desvirtuamento: passou-se a falar sem parar sobre direito de advogado ser recebido por autoridades; que eu não recebia advogados!", escreveu.

Outro lado

Após as críticas de Barbosa, o ministro recebeu mensagens de solidariedade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A entidade alega que o diálogo de Cardozo com os advogados das empreiteiras é uma prerrogativa constitucional é que "não é admissível criminalizar o exercício da profissão".

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso