X
X

Diário da Região

18/02/2015 - 12h24min

Cabul, Afeganistão

Relatório da ONU mostra alta de 22% no número de vítimas civis no Afeganistão

Cabul, Afeganistão


O número de civis mortos ou feridos em confrontos no Afeganistão subiu 22% em 2014 e atingiu o nível mais alto em cinco anos, na medida em que tropas estrangeiras encerraram sua missão de combate no país, informou a Organização das Nações Unidas (ONU) em relatório anual publicado nesta quarta-feira.

A Missão de Assistência da ONU no Afeganistão (Unama, na sigla em inglês) documentou 10.548 vítimas civis em 2014, o mais alto número num único ano desde 2009. Os números incluem 3.699 civis mortos, elevação de 25% em relação a 2013.

Segundo a ONU, o Taleban e outros insurgentes foram responsáveis por 72% de todas as vítimas civis, enquanto forças do governo e tropas estrangeiras provocaram 14% dos incidentes.

O "Taleban não aceita realmente a veracidade das informações no relatório", disse o chefe da missão da ONU Nicholas Haysom aos jornalistas nesta quarta-feira. "Eles aceitaram, em compromissos conosco, que a proteção de civis é importante e prometeram adotar certas medidas para erradicar a existência de vítimas civis."

O Taleban não havia comentado o documento.

Tropas dos Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) se retiraram e áreas voláteis no ano passado, entregando a responsabilidade pela segurança para forças afegãs e encerrando oficialmente suas missões de combate no final do ano. Pelo menos 2.213 soldados morreram no Afeganistão desde a invasão para derrubar o governo do Taleban, depois dos ataques de 11 de Setembro de 2001, segundo contagem da Associated Press.

O relatório da ONU atribui o aumento no número de vítimas à intensificação dos combates em solo, durante os quais armas como morteiros, foguetes e granadas são usados em áreas povoados, às vezes de forma indiscriminada.

Pela primeira vez desde 2009, mais civis afegãos foram mortos e ficaram feridos em combates em solo do que em razão de outras táticas de guerra, dentre elas bombas instaladas em vias de circulação.

De acordo com o documento, o número de civis mortos ou feridos em ações em solo aumentou 54%, o que tornou esse tipo de ofensiva "a maior assassina de mulheres e crianças afegãs em 2014".

Na província de Kandahar, sul do país, um suicida detonou os explosivos que levava junto ao corpo nas proximidades de uma delegacia de polícia nesta quarta-feira, matando uma mulher afegã e uma criança pequena, segundo Samim
Elham, porta-voz do governo provincial. O ataque, que aconteceu na cidade de Kandahar, também deixou três civis feridos, disse Elham.

Na noite de terça-feira, uma bomba instalada numa via explodiu nas proximidades de Cabul, matando quatro membros de uma mesma família. Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso