X
X

Diário da Região

06/02/2015 - 12h35min

Sanaa

Rebeldes iemenitas devem concluir tomada de poder no país

Sanaa


Rebeldes xiitas do Iêmen anunciaram nesta sexta-feira que farão uma "declaração constitucional, medida que provavelmente marcará a tomada formal do governo pelo grupo. Os rebeldes, conhecidos como houthis, tomaram o controle da capital Sanaa em setembro, quando deixaram seu reduto no norte do país, dominando várias cidades no caminho.

As ações tomadas pelo grupo na capital - que incluíram um ataque contra o palácio presidencial e um cerco à casa do presidente Abed Rabbo Mansour Hadi - forçaram o presidente e todos os membros do gabinete a apresentar sua renúncia em janeiro.

Desde então, Hadi e os ministros estão em prisão domiciliar. Os rebeldes declararam um prazo final, que terminou na quarta-feira, para que os partidos políticos do país negociassem o que chamaram que uma caminho a seguir "aceitável". Caso contrário, ameaçavam agir unilateralmente.

O anúncio sobre a declaração constitucional foi transmitido pela rede de televisão dos rebeldes, a Al-Masseria. Mensagens de texto enviadas pelos rebeldes aos repórteres dizem que a declaração será divulgada a partir do Palácio Republicano, em Sanaa. A medida será contra a lei iemenita, que diz que apenas um presidente pode emitir declarações constitucionais.

Os houthis, que seriam apoiados pelo Irã, pediram a seus partidários que saiam às ruas para celebrações noturnas, que devem acontecer após a declaração. Eles também enviaram homens armados e picapes com armamento antiaéreo para as principais ruas e proximidades de instituições importantes.

A medida foi tomada após dias de fracassadas negociações patrocinadas pelo enviado da Organização das Nações Unidas (ONU) ao Iêmen, Jamal Benomar.

Segundo graduados políticos, que participaram das conversações, os houthis insistiram na formação de um conselho presidencial com representantes do norte e do sul do país. Partidos iemenitas exigiram garantias de que a formação do conselho acontecesse ao mesmo tempo que forças houthis saíssem de importantes instituições, além da libertação de Hadi e dos membros do gabinete da prisão domiciliar.

Outros partidos que participaram das negociações queriam que o Parlamento se reunisse e anunciasse eleições antecipadas, mas os houthis se mostraram contrários à proposta, afirmando que o Parlamento não tem legitimidade e que seu mandato terminou.

Mohammed al-Sabri, importante político de uma aliança multipartidária chamada Reunião Conjunta de Partidos, descreveu as ações dos houthis como "golpe", prevendo que elas levarão a um "isolamento regional e internacional do Iêmen".

No ano passado, o Conselho de Segurança da ONU colocou dois líderes houthi e o deposto ex-presidente do país, Ali Abdullah Saleh - que seria o principal apoiador dos houthis - numa lista de sanções por terem prejudicado a transição no Iêmen. Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso