X

Diário da Região

19/06/2015 - 07h11min

São Paulo

Prefeitura de São Paulo espera chegada de 920 haitianos em 60 dias

São Paulo

Após um mês suspenso, o transporte de haitianos do Acre para a capital paulista foi retomado. A Prefeitura de São Paulo aguarda a chegada nesta sexta-feira, 19, do primeiro dos 23 ônibus que vão aportar no Terminal Rodoviário Barra Funda (zona oeste) nos próximos dois meses. A estimativa é de que 920 haitianos cheguem nos próximos 60 dias. Segundo a Prefeitura, há aproximadamente 8 mil imigrantes do Haiti no Município atualmente. Na sexta-feira, o governo do Acre informou a Prefeitura de que um novo acordo foi firmado e, portanto, a partir daquela data voltaria a enviar os ônibus custeados por recursos do Ministério da Justiça. O traslado ficou suspenso por um mês. A reportagem tentou contato com o governador do Acre, Tião Viana (PT), mas não obteve resposta. Segundo o secretário adjunto de Direitos Humanos de São Paulo, Rogério Sottili, desde a semana passada o Acre avisou que enviaria 43 ônibus com haitianos: 23 virão para São Paulo e 20 seguirão para Porto Alegre. "Devem chegar em média três ônibus por dia. Estamos nos preparando para receber essas pessoas, com acolhimento. Se nas duas primeiras semanas tiver um descontrole ou uma dificuldade, nós podemos ter de renegociar", afirmou Sottili. A novidade é que um haitiano e um brasileiro, com domínio de creole e francês, estarão na Barra Funda, a partir desta sexta, para orientar os recém-chegados. Em 15 dias, a Prefeitura terá um quiosque de informações para imigrantes no Terminal. Busca A reportagem apurou que a gestão Haddad procurou apoio do cardeal de São Paulo, d. Odilo Pedro Scherer, para indicar locais de abrigo de ordem católica. O religioso teria sugerido um endereço na Armênia. A Prefeitura confirmou que articula um abrigo emergencial no bairro, com capacidade para até 60 imigrantes. De acordo com o coordenador de políticas para migrantes da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Paulo Illes, até o fim de agosto deve ser fechado um abrigo na Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu (Scalabrinianas), na região do Pari, com capacidade para 150 pessoas (30 mulheres e 120 homens). Por enquanto, a Prefeitura dispõe de um espaço novo de acolhida para imigrantes, aberto há uma semana, na Penha, zona leste. O local pode receber 80 mulheres e crianças - nesta quinta-feira, 18, havia 60 abrigados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso