X
X

Diário da Região

11/09/2015 - 08h58min

São Paulo

Nova espécie de hominídeo é descoberta

São Paulo

Um grupo internacional de cientistas anunciou na quinta-feira, 10, a descoberta de uma espécie extinta do gênero Homo, linhagem de hominídeos que culminou com o aparecimento dos humanos modernos. Os fósseis da nova espécie, batizada de Homo naledi, foram descobertos em 2013 na caverna Rising Star, na África do Sul, em um sítio paleontológico a 50 quilômetros de Johannesburgo. Foram encontrados mais de 1.550 fragmentos fósseis de 15 indivíduos, o que corresponde à maior descoberta de fósseis de hominídeos já realizada de uma só vez na África. Os fósseis ainda não foram datados, mas, com base na morfologia, os cientistas estimam que tenham 2,5 milhões de anos - um período intermediário entre os últimos Australopithecus e os mais antigos membros do gênero Homo. O Homo naledi foi descrito em estudo publicado ontem na eLIFE e liderado por cientistas da Universidade de Witwatersrand, da Sociedade Geográfica Nacional e do Departamento de Ciência e Tecnologia da Fundação Nacional de Pesquisa da África do Sul. De acordo com os autores, além de ajudar a esclarecer as origens e a diversidade do gênero Homo, a espécie parece ter depositado intencionalmente os corpos de seus mortos em uma câmara remota da caverna - um comportamento que os cientistas acreditavam, até agora, ser exclusivo dos humanos. "Com praticamente todos os ossos do corpo representados diversas vezes, o Homo naledi já é praticamente o membro mais bem conhecido de nossa linhagem", afirmou Lee Berger, professor de estudos evolutivos da Universidade Witwatersrand, que liderou duas expedições para a descoberta dos fósseis. Características De acordo com os cientistas, o Homo naledi tem a aparência de um dos mais primitivos membros do gênero Homo - como o Australopithecus, mas também possui características "surpreendentemente" humanas. "O Homo naledi tinha um cérebro bem pequeno, do tamanho de uma laranja e um corpo muito esguio", disse um dos autores principais do artigo, John Hawks, da Universidade Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos. De acordo com Hawks, a nova espécie tinha uma combinação de diversas características anatômicas de outras espécies de hominídeos, formando um conjunto jamais visto. Segundo o estudo, a espécie tinha em média cerca de 1,5 metro de altura e pesava 45 quilos. Seus dentes, assim como a maior parte do crânio, eram semelhantes aos do hominídeo mais antigo conhecido do gênero, o Homo Habilis. Os ombros, porém, são semelhantes aos de macacos. Para surpresa dos cientistas, o Homo naledi tinha dedos mais curvos do que os de qualquer outro hominídeo, indicando capacidade para escalar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso