X
X

Diário da Região

22/07/2015 - 14h49min

Istambul

Grupo separatista curdo mata policial e membro do governo na Turquia

Istambul

Um grupo separatista curdo proscrito na Turquia assumiu a responsabilidade do disparo que causou a morte nesta quarta-feira de um policial turco e de um membro de uma unidade contra terrorismo do governo, aumentando ainda mais as tensões em um país que já sofre com o atentado suicida que matou 32 pessoas e feriu outras 100 na segunda-feira. O Partido dos Trabalhadores do Curdistão, ou PKK, disse que as mortes na província de Sanliurfa, no sul da Turquia, foram em retaliação ao ataque suicida na segunda-feira, na cidade fronteiriça de Suruc. As autoridades turcas culparam o grupo Estado Islâmico pelo bombardeio. O PKK, que tem lutado pela autonomia curda no sudeste da Turquia desde 1984 e é designado uma organização terrorista por Ancara, Washington e pela União Europeia, disse que os homens alvejados nos tiroteios desta quarta-feira tinham ajudado o Estado Islâmico. Uma autoridade de Sanliurfa não quis comentar o assunto imediatamente. O derramamento de sangue tem aumentado a pressão sobre o governo do primeiro-ministro, Ahmet Davutoglu, que é mais preocupado com o impacto da influência internacional crescente de militantes curdos que querem derrubar o presidente sírio, Bashar al-Assad, do que com a luta contra o Estado Islâmico. Diante da crítica pública crescente em cima do governo, Davutoglu se reuniu com o chefe de espionagem da Turquia, Hakan Fidan, e convocou seu gabinete para discutir o ataque, a segurança das fronteiras e a situação na vizinha Síria, disse uma autoridade do governo. Ele prometeu melhorar a segurança ao longo da fronteira da Turquia com a Síria e de erradicar todos os atos de terrorismo, sejam eles cometidos por Estado Islâmico ou peloo PKK. Autoridades turcas identificaram Seyh Abdurrahman Alagoz como o homem-bomba do ataque de segunda-feira, um nativo de 20 anos da província de Adiyaman, que faz fronteira com Sanliurfa. A Turquia faz parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos contra o Estado islâmico, mas as dúvidas persistem sobre a dedicação de Ankara para reprimir o grupo extremista, que se opõe ao envio por curdos sírios e considera o regime de Damasco seu inimigo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso