X
X

Diário da Região

19/01/2015 - 15h32min

Sanaa

Governo iemenita e rebeldes houthis chegam a cessar-fogo em Sanaa

Sanaa


Um cessar-fogo interrompeu intensos confrontos nas proximidades do palácio presidencial na capital do Iêmen, Sanaa, nesta segunda-feira, depois de os rebeldes xiitas terem tomado o controle da agência de notícias e da televisão estatal.

Os combates, concentrados na região do palácio e na área ao sul da residência presidencial, representa o maior desafio já e
enfrentado pelo presidente Abed Rabbo Mansour Hadi em relação aos rebeldes, conhecidos como houthis, que deixaram seus redutos no ano passado para tomar a capital em setembro.

A violência levou o mais pobre país árabe da África a um caos ainda maior e pode complicar os esforços dos Estados Unidos no combate ao braço iemenita da Al-Qaeda, que assumiu a responsabilidade pelos ataques ao jornal satírico Charlie Hebdo e é considerado por Washington o ramo mais perigoso da rede terrorista.

Os houthis são vistos por seus críticos como representantes do Irã xiita, acusação negada pelo grupo. Acredita-se também que tenham ligação com o ex-presidente iemenita Ali Abdullah Saleh, derrubado em 2012 após protestos da Primavera Árabe. Eles prometeram erradicar a Al-Qaeda, mas também são hostis aos Estados Unidos. Seu slogan é "morte a Israel. Morte à América".

Os houthis e forças leais a Hadi estão num impasse há meses na capital. Cada lado culpava o outro pela explosão de violência na manhã desta segunda-feira. Testemunhas disseram que tiros de metralhadora podiam ser ouvidos, enquanto disparos de artilharia atingiram áreas próximas ao palácio presidencial.

Hadi não vive no palácio, mas uma quantidade extra de soldados e tanques foram enviados para proteger sua residência privada, que fica próxima da área dos ataques.

Um cessar-fogo foi negociado por um comitê presidencial que incluiu os ministros do Interior e da Defesa, um auxiliar presidencial e um xeque de uma tribo que é próximo aos houthis.

A mais recente explosão de violência parece ter ligação com a rejeição dos houthis ao esboço na nova Constituição, que divide o país em seis regiões federais. No sábado, os houthis sequestraram um dos principais auxiliares do presidente para prejudicar uma reunião sobre o assunto.

Hadi e os houthis acusam-se mutuamente pela não implementação de um acordo de paz, negociado pela Organização das Nações Unidas (ONU) que pede a Hadi que forme um novo governo de unidade nacional e reforme as agências do governo. O acordo prevê também que os houthis retirem seus combatentes das cidades. Os rebeldes exigem a integração de seus homens às forças de segurança, algo que Hadi se opõe.

A longa luta pelo poder prejudicou a capacidade do Iêmen de combater a Al-Qaeda na Península Arábica e o avanço houthi em áreas predominantemente sunitas elevou o apoio local ao grupo terrorista. Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso