X
X

Diário da Região

11/02/2015 - 10h14min

Sanaa

EUA, França e Reino Unido fecham embaixadas no Iêmen após rebeldes tomarem poder

Sanaa


Os Estados Unidos, o Reino Unido e a França informaram nesta quarta-feira que fecharão suas embaixadas no Iêmen depois de rebeldes xiitas terem tomado o poder no país.

O fechamento das embaixadas foi anunciado num momento em que rebeldes houthis, armados com rifles de assalto Kalashnikov e vestindo uniformes policiais e roupas civis, patrulhavam as principais avenidas da capital, Sanaa, alguns em picapes com armamento antiaéreo.

Protestos difusos podiam ser vistos na cidade, com manifestantes criticando os houtis por terem tomado o poder e dissolvido o Parlamento. Lojas fecharam mais cedo e helicóptero sobrevoavam a cidade.

Os houthis atacaram um desses protestos, esfaqueando e espancando manifestantes que tentavam chegar ao escritório local da Organização das Nações Unidas, informaram testemunhas. Os rebeldes detiveram várias pessoas, disseram as fontes.

Na cidade de Bayda, região central do país, também controlada pelos houthis, os rebeldes dispersaram outro protesto, ferindo um coordenador do movimento contrário ao grupo, afirmaram testemunhas.

Em Taiz, a cidade mais populosa do Iêmen, mas que não foi tomada pelos houthis, milhares de pessoas saíram às ruas para protestar contra o grupo.

Na manhã desta quarta-feira, o ministro britânico para o Oriente Médio, Tobias Ellwood, pediu aos cidadãos do Reino Unido que ainda estiverem no Iêmen que "saiam imediatamente", enquanto a embaixada retirava seus funcionários do país. A medida foi anunciada depois de o Departamento de Estado norte-americano confirmar o fechamento da embaixada dos Estados Unidos em Sanaa e a retirada de seu pessoal. A embaixada francesa vai fechar na sexta-feira.

"A situação de segurança no Iêmen continua a se deteriorar nos últimos dias", declarou Ellwood. "Infelizmente, julgamos que os funcionários e as instalações de nossa embaixada estão em risco crescente."

As missões diplomáticas de muitos países do Golfo Pérsico que se opõem aos houthis já retiraram seus funcionários do país. O Iêmen está em crise há meses, desde que os rebeldes xiitas iniciaram sua ofensiva, em setembro.

Autoridades norte-americanas disseram que o fechamento da embaixada no país não afetará as operações de contraterrorismo contra o ramo iemenita da Al-Qaeda, que é considerada pelos Estados Unidos o braço mais perigoso do grupo terrorista.

Na terça-feira, Abdel-Malek al-Houthi, líder dos rebeldes xiitas, advertiu seus inimigos a não ficar no caminho de seu movimento e criticou governos estrangeiros por retirar seus diplomatas do país.

"Não aceitaremos pressões. Elas não têm utilidade", disse al-Houthi em discurso divulgado pela rede de TV dos rebeldes, a al-Masseria. "Quem quer que prejudique os interesses deste país verá que seus interesses neste país também serão prejudicados." Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso