X
X

Diário da Região

26/03/2015 - 11h40min

São Paulo

Diadema cria força-tarefa para lidar com greve de garis

São Paulo

A Prefeitura de Diadema, na região do ABC, lançou uma força-tarefa para tentar reduzir os impactos da greve de garis que atinge 130 municípios do Estado desde o início da semana. O município está utilizando três caminhões para fazer a coleta de lixo domiciliar nos bairros de Piraporinha, Nogueira e Serraria e também no centro. Somente nesta quarta-feira, 25, foram recolhidas 8,4 toneladas de lixo domiciliar. A quantidade, no entanto, é muito inferior ao que a cidade produz diariamente de lixo domiciliar: 230 toneladas. Além dos bairros mencionados, o governo municipal também informou estar coletando o lixo gerado por unidades de saúde, como o Hospital Municipal de Diadema e o Hospital Estadual de Serraria. Na noite de quarta-feira, 25, moradores da Rua Afonso Pena, no Jardim Promissão, protestaram contra a situação jogando sacos de lixo na via pública. A Prefeitura informou que o material já foi recolhido na manhã desta quinta-feira, 26. A Prefeitura de Diadema informou que nenhum profissional de limpeza urbana estaria trabalhando na cidade, em decorrência da greve. Mas a Federação dos Trabalhadores em Serviços, Asseio e Conservação Ambiental, Urbana e Áreas Verdes do Estado de São Paulo (Femaco) nega essa informação e indica que 70% dos profissionais estão trabalhando, conforme determinação da Justiça. O taxista Josimar Silva, de 45 anos, trabalha em um ponto no centro da cidade. Ele diz que os montes de sacos de lixo ainda estão organizados, mas vêm crescendo a cada dia. "Só aqui no miolinho do centro, na Praça Padre Agostinho Bertoli, tem quatro volumes grandes de sacos pretos. Em quase toda a esquina tem algo assim. Existe um bem próximo do nosso abrigo que já está com mau cheiro. Ele tem uns três metros quadrados." Greve Cerca de 30 mil trabalhadores de coleta urbana de lixo estão em greve há quatro dias em 130 cidades de todo o Estado. Algumas das cidades afetadas são Guarulhos, Osasco, além de municípios do ABC, na Grande São Paulo, como Diadema. Os garis lutam por reajuste salarial de 11,73%, ao passo que a entidade patronal que representa as empresas de coleta, o Sindicato das Empresas Urbanas de São Paulo (Selur), quer dar um amento de apenas 7,68%. A Femaco informou que uma audiência de conciliação entre as partes no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na terça-feira, 24, terminou sem avanços. "Sem acordo, os trabalhadores seguem para o terceiro dia de greve", informa nota da entidade.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso