X
X

Diário da Região

26/07/2016 - 18h26min

São Paulo

Comitê internacional considera que País está livre de sarampo

São Paulo

O Brasil foi considerado, nesta terça-feira, 26, um país livre de sarampo. O reconhecimento foi feito pelo Comitê Internacional de Especialistas de Avaliação e Documentação da Sustentabilidade do Sarampo nas Américas (CIE), que levou em conta que o último caso da doença foi registrado no País em julho do ano passado, no Ceará. Desde 2000, o Brasil não registrava casos de sarampo autóctones (quando a contaminação acontece dentro do País). Em 2013, houve surtos em Pernambuco e no Ceará, o que fez o Brasil passar de dois casos em 2012 para 732 em 2014. De acordo com o Ministério da Saúde, entre 2013 a 2015, foram registrados 1.310 casos da doença no País, dos quais 1.278 ocorreram nos dois Estados. A situação foi considerada controlada pela pasta em setembro do ano passado. O reconhecimento foi anunciado por Merceline Dahl-Regis, presidente do CIE, em visita nesta terça ao Brasil. A expectativa do governo federal é que até o final do ano a Organização Mundial da Saúde conceda um certificado de eliminação do sarampo no País. Com isso, todo o continente americano será considerado livre de transmissão local da doença. O que significa que pessoas ainda podem se contaminar viajando para outros lugares do mundo que continuam com o vírus circulante. Por isso, alertam tanto o Ministério da Saúde quanto a OMS, é preciso continuar tomando a vacina que previne contra a infecção por sarampo. Foi essa transmissão internacional que ainda não tinha permitido livrar o País da circulação do vírus. Segundo o Ministério da Saúde, no ano 2000 foram confirmados os últimos surtos autóctones, ou seja, originados localmente. Eles ocorreram no Acre e no Mato Grosso do Sul. Mas depois disso ainda continuaram sendo registrados casos importados, considerados, em geral, de pequena magnitude e controláveis com ações de prevenção. Até ocorrerem os surtos do Nordeste nos últimos anos, que pediram uma intervenção mais pesada nas campanhas de vacinação. É a imunização de toda a população que garante que mesmo se uma pessoa tiver contato com outro país ela não vai se contaminar nem trazer o vírus para cá. Mecanismos de monitoramento também são importantes para controlar eventuais casos importados e evitar a transmissão.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso