X
X

Diário da Região

28/10/2015 - 11h16min

Pequim

China protesta após navio dos EUA passar pelo Mar do Sul da China

Pequim

O governo chinês convocou o embaixador norte-americano no país, Max Baucus, para protestar após um navio da Marinha dos Estados Unidos navegar perto de ilhas artificiais chinesas no Mar do Sul da China, em um ato que desafiou a reivindicação de Pequim de soberania da área. O Ministério das Relações Exteriores chinês afirmou nesta quarta-feira em seu site que o vice-ministro executivo Zhang Yesui disse a Baucus que os EUA agiram em desafio às repetidas objeções chinesas e que haviam ameaçado a soberania e a segurança da China. Sem dar detalhes, Zhang afirmou que a manobra "provocativa" da terça-feira também colocou pessoas e a infraestrutura das ilhas em risco. A China mostrou sua insatisfação com as ações dos EUA, segundo o governo de Pequim. O Departamento do Estado não quis confirmar o encontro do embaixador nem comentar o assunto. O navio USS Lassen passou por uma área reivindicada pela China e pelas Filipinas. O governo filipino elogiou a ação norte-americana, dizendo que isso ajuda a manter "o equilíbrio de poder". Desde 2013, a China acelerou suas ações para garantir o controle da área, construindo ilhas artificiais. Foram também erguidos prédios, portos e pistas de pouso grandes o suficiente para receber jatos de combate, o que é visto como uma tentativa de mudar o status territorial da região. Para os EUA, a China fez as construções em águas internacionais e não pode reivindicar a área como seu território. A lei internacional permite inclusive que embarcações militares transitem pelos mares de outros países sem notificação, a chamada "passagem inocente". O governo chinês, porém, qualificou a ação dos EUA como ilegal. Os EUA dizem que não adotaram uma posição sobre a soberania do Mar do Sul da China, mas insistem que a área deve ser livre para navegação e sobrevoos aéreos. Cerca de 30% do comércio global passa pelo Mar do Sul da China, que tem também grandes reservas de peixes e potencialmente riquezas minerais. A China diz que respeita o direito de navegação, mas nunca especificou o status legal exato de suas reivindicações marítimas. O governo chinês diz que praticamente todo o Mar do Sul da China lhe pertence, enquanto Brunei, Malásia, Filipinas, Taiwan e Vietnã reivindicam partes dele. Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso