X
X

Diário da Região

26/03/2015 - 13h20min

Abuja

Boko Haram já matou mais de mil civis neste ano na Nigéria

Abuja

O Human Rights Watch, principal grupo de direitos humanos do mundo, disse que o Boko Haram já matou mais de mil civis neste ano na Nigéria e forçou centenas de garotas e mulheres sequestradas a se converteram ao Islamismo e se casarem com os militantes. O grupo de direitos humanos disse que a população local está desesperada, apesar dos recentes sucessos de uma ofensiva que tomou de volta dezenas de cidades dos extremistas islâmicos. Um relatório divulgado nesta quinta-feira, com base em relatos de testemunhas e da mídia, diz que o governo da Nigéria não está fazendo o suficiente para proteger os cidadãos. A Nigéria tem se preparado para as eleições presidenciais, que ocorrem neste sábado, em meio a ameaças do Boko Haram, que se opõem à democracia. Fonte: Associated Press.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso