X
X

Diário da Região

18/10/2014 - 08h19min

São Paulo

À meia-noite, relógios devem ser adiantados em 1h

São Paulo


O horário de verão começa a valer à meia-noite de hoje, quando os relógios devem ser adiantados em uma hora nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, incluindo o Distrito Federal.

Os moradores dessas regiões precisam ficar atentos, porque a antecipação da rotina em uma hora pode levar a indisposições e sonolência. A alteração na quantidade de luz diária provoca alterações hormonais, o que pode criar mal-estar, diz a endocrinologista Jane Feudman.

Segundo ela, o corpo tem hormônios cuja concentração varia de acordo com os horários e a luz do dia. "Quando há alteração da rotina, você sofre um estresse, pois muda o momento do pico desses hormônios", diz.

O sono desregulado pode provocar irritabilidade, estresse e baixa produtividade, até o aumento da instabilidade vascular. Para evitar o problema, especialistas recomendam dormir de 15 a 20 minutos mais cedo nos dias que antecedem a mudança de horário.

Para as crianças, que sentem mais a diferença, a recomendação é ir para a cama mais cedo. Elas também podem amenizar a irritabilidade tirando pequenos cochilos durante o dia.

Sem consenso

"Eu e meu filho ( de 8 anos) detestamos o horário de verão. Sinto que roubaram uma hora do meu dia, fico completamente atordoada", afirma a publicitária Tatiana Dolacio, de 39 anos. "Já eu, adoro. Gosto muito do verão", rebate o marido dela, o engenheiro Antônio Dolacio, de 43 anos.

Já o casal Ana Luiza Oliveira, de 36 anos, e André Pannunzio, de 43, está sintonizado: "Nós adoramos quando chega esta época. Somos conscientes do consumo de energia dentro de casa e esse horário ajuda a economizar ainda mais", explica Pannunzio.

Neste ano, a medida terá uma semana a mais de duração, por causa do carnaval - o horário especial acaba no dia 22 de fevereiro. Apesar disso, a previsão do Ministério de Minas e Energia é de que a economia por causa do horário de verão seja de R$ 278 milhões em eletricidade, bem menor do que os R$ 405 milhões do verão passado. Isso se deve principalmente ao uso mais intenso das termelétricas em 2014. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso