X
X

Diário da Região

31/07/2016 - 00h00min

TRINCA OLÍMPICA

Veja quem são os atletas da região que estão nos Jogos Olímpicos

TRINCA OLÍMPICA

NULL Luan, Evandro e Altobeli estarão na Olimpíada
Luan, Evandro e Altobeli estarão na Olimpíada

A região conta com três representantes nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, que começam nesta semana. O atacante Luan, de Rio Preto e que defende o Grêmio de Porto Alegre, tentará ajudar o futebol a conquistar o inédito ouro. O oposto Evandro Guerra, de Ibirá, que joga no Cruzeiro, está no vôlei masculino. E o corredor Altobeli da Silva, de Catanduva, disputará os 3 mil metros com obstáculos do atletismo. Conheça um pouco mais de cada um:

Luan

Criado no bairro São Jorge, na zona norte de Rio Preto, Luan iniciou a carreira no Tanabi, passou por América e Catanduvense até chegar ao Grêmio de Porto Alegre e, hoje, luta por espaço na seleção olímpica do Brasil. Neymar, Gabriel Jesus e Gabriel começarão como titulares a partir da estreia contra a África do Sul na quinta-feira, às 16 horas. Fora de campo, há boatos de que o rio-pretense tem proposta da China e da Inglaterra.

Na Seleção, Luan tem conversado com outro craque sobre o futebol europeu. “O Neymar falou que esse não era o momento certo de ir para o futebol do exterior”, disse. “Procuramos ouvir e assimilar sobre sair tão cedo e construir alguma coisa nos nossos clubes.”

luan 31072016

Para evitar o assédio, o Grêmio renovou o seu contrato até setembro de 2018 e aumentou o seu salário para R$ 170 mil mensais. A multa rescisória chega a R$ 246,6 milhões. Mas para chegar onde chegou, Luan enfrentou a desconfiança nas categorias de base. A mãe de Luan, Márcia, recorda o dia em que encontrou o filho cabisbaixo. Em um jogo, no Centro de Treinamento Cleber Arado, ele ouviu de um ex-jogador que não tinha porte físico para o futebol. “Meu filho chegou em casa chateado, por isso sempre falo que não podemos julgar”, disse. Luan perdeu o pai em acidente de moto, quando tinha dois anos. Márcia persistiu, fez faxina e motivou o filho a seguir para os treinos.

 

 

 

evandro 31072016

Evandro

Evandro Guerra é de Ibirá, mora em Rio Preto e atualmente joga no Cruzeiro, de Belo Horizonte. O oposto vive suas últimas temporadas no vôlei e, aos 34 anos, vai realizar o sonho de adolescência: disputar uma Olimpíada. “Ao longo da carreira tive contusões que me atrapalharam para ser convocado.” Evandro tem a possibilidade de garantir uma medalha de ouro com a seleção de vôlei, comandada pelo técnico Bernardinho. Bicampeã olímpica (Barcelona 1992 e Atenas 2004), a Seleção Brasileira estreia no dia 7 de agosto contra o México.

Desde a infância, Evandro, de 2,07 metros, chamava a atenção pela altura. “Com 13 anos, já tinha 2 metros e andava até torto. Tentei o vôlei. Não posso falar que foi pensado, porque meus pais não queriam, mas souberam que eu tinha muita vontade e me deram muito suporte”, recorda.

Aos 13 anos, Evandro foi aprovado em um teste do Banespa e trocou o Interior para morar, sem os pais, na capital paulista. “Morávamos em dez e tinha um responsável por nós. Aprendi muito e treinei em todas as posições. Não era um bom jogador, aprendi a jogar no Banespa.”

Evandro se apresentou segunda-feira, 25. Passou seus últimos dias de folga em Rio Preto planejando o futuro. Ainda não sabe quando encerrará a carreira. “Vou jogar até o momento em que puder fazer diferença.” Quando isso acontecer, já sabe o que fará. “Pretendo montar um time de vôlei em Rio Preto”, disse Evandro.

 

altobeli 31072016

Altobeli

Atleta da Associação Riopretense Pró Atletismo (Arpa), Altobeli Santos da Silva define a convocação para a sua primeira Olimpíada como o maior presente que podia dar à sua mãe, Eliene. “Em 2012, durante os Jogos de Londres, eu ainda engatinhava no esporte”, recorda. “Comecei a minha carreira tarde, aos 18 anos”, acrescenta.

Apesar da falta de incentivos - recebe bolsa-atleta de R$ 1 mil por mês do governo federal e treina sem técnico desde janeiro -, o catanduvense vive dias de “astro de cinema”. No último dia 27, postou fotos nas redes sociais com o uniforme que usará na cerimônia de abertura. Ele recebeu esse nome em homenagem ao atacante Alessandro Altobeli, autor do 3º gol da Itália na final da Copa do Mundo de futebol de 1982 contra a Alemanha.

Ele conquistou o índice para a Olimpíada ao completar os 3 mil metros com obstáculos no Campeonato Paulista, em São Bernardo do Campo, em 8m28s56. Após o feito, o ex-entregador de panfletos recordou os dias de trabalho nas ruas de Catanduva. Começou no esporte ao ver um outdoor. “Era a propaganda de uma corrida. O campeão levaria uma moto. Como já andava o dia inteiro, achei que valeria tentar”, disse. “Fiquei em 5º, mas o principal é que um treinador (Guilherme Salgado) resolveu apostar em mim.” Altobeli disputará a classificatória no dia 13 para tentar vaga na final, que acontecerá dia 15.

Voluntários

Além dos atletas, há quem tenha ido ao Rio de Janeiro para trabalhar, como voluntário durante as Olimpíadas, e quem apenas garantiu ingressos para assistir os jogos. Veja algumas histórias:

 

rodolfo 31072016

‘Vou ver a história acontecer’

“Cheguei ao Rio neste sábado e trabalho de hoje (domingo, 31) até o dia 21 de agosto. Vai ser inesquecível, é o maior evento do mundo e poder fazer parte dele era um sonho que está virando realidade. Tenho certeza que vou ver a história acontecer e vou participar dela. Não vejo a hora de começar. Vou atuar no MPC, que é o Centro Principal de Imprensa e fica no Parque Olímpico. Meu cargo será relacionamento com a mídia. São 25 mil jornalistas credenciados. Tenho certeza que vou aprender muito, espero por isso há dois anos, quando iniciei o processo seletivo.”

Rodolfo Nobre, 36 anos, jornalista de Rio Preto, que vai ser voluntário

 

 

eunorio 31072016

Do Itaquerão ao Rio de Janeiro

"Habituado a assistir aos jogos do Corinthians, em Itaquera, São Paulo, o cabeleireiro Adriano Fernandes, 42 anos, garantiu ingressos para o Rio 2016. Vai ver a final do 100 metros rasos masculino, prova que tem o jamaicano Usain Bolt como favorito. “Foi meu maior prêmio. É o evento mais procurado”. Também vai estar presente em dois jogos do vôlei masculino (Argentina x Egito e EUA x México) e em um das quartas de final do basquete masculino. “Decidi ir assim que o Brasil foi confirmado como sede. Minha maior expectativa é ver as competições e o choque cultural das nações.”

Adriano Fernandes, 42 anos, cabeleireiro, morador de Uchoa

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso