X
X

Diário da Região

05/06/2016 - 00h00min

Copa América Centenário

Juiz ajuda, mas Brasil só empata

Copa América Centenário

Lucas Figueiredo/MowaPress Destaque do time brasileiro, o atacante Willian tenta se livrar da marcação do zagueiro equatoriano Mina durante a partida encerrada na madrugada de hoje
Destaque do time brasileiro, o atacante Willian tenta se livrar da marcação do zagueiro equatoriano Mina durante a partida encerrada na madrugada de hoje

A mística do estádio Rose Bowl, palco do tetracampeonato mundial da seleção brasileira, não foi suficiente para levar o Brasil à primeira vitória na Copa América Centenário, em jogo encerrado na madrugada deste domingo, pela primeira rodada do Grupo B. No empate por 0 a 0 diante do Equador, a equipe jogou bem e criou boas chances, principalmente no primeiro tempo, mas acabou beneficiada por um erro da arbitragem.

Aos 21 minutos do segundo tempo, Bolaños cruzou, Alisson falhou feio e empurrou a bola para dentro do próprio gol. O auxiliar Carlos Astroza marcou saída de bola, mas as câmeras de TV mostraram que a bola não saiu totalmente. A torcida não perdoou a igualdade e vaiou as duas equipes. Willian reafirmou a condição de principal referência técnica. Foram dele os passes para as melhores primeiras chances do Brasil, a principal delas aos cinco minutos, quando Phillippe Coutinho chutou em cima do goleiro Dreller, que fez uma defesa de cair o queixo.

Nome de destaque em todas as convocações de Dunga desde 2014, Willian mostrou ser eficiente na frente, para pensar o jogo, e também para organizar a saída da defesa. Ia e voltava. Ele tem um estilo discreto, simples, que destoa de sua cabeleira black, mas funciona como o centro da engrenagem. No final da etapa inicial, sofreu uma falta duríssima do volante Noboa, perdeu o vigor físico e acabou substituído no segundo tempo por Lucas Moura, que manteve o dinamismo da equipe.

Neymar, fora do torneio para tirar férias e jogar apenas a Olimpíada, estava nas arquibancadas do estádio. Acompanhado pelo ator norte-americano Jamie Foxx, o cantor Justin Bieber e o piloto inglês Lewis Hamilton, o brasileiro vibrou em alguns lances e arrancou aplausos quando apareceu no telão. Realmente foram poucos os motivos para os 53 mil torcedores se exaltarem.

Willian foi o símbolo da evolução tática da equipe. Apesar de perder seis jogadores durante a preparação, Dunga aproveitou bem os dez dias de treinamento nos Estados Unidos. Mais leve com Casemiro à frente dos zagueiros e mais móvel do meio para frente, a seleção errou poucos passes e, além de tudo, mostrou jogadas ensaiadas, principalmente nas cobranças de escanteio. Willian (ele de novo) sempre levantava a mão para indicar a jogada a ser executada, como no vôlei.

O Brasil também mostrou que sabe sair de uma pressão na defesa. Os rápidos equatorianos vinham babando para roubar a bola, mas, em dois ou três lances, os zagueiros mostraram sangue frio e entrosamento para fugir das fungadas no cangote. As tabelas feitas na defesa, para sair do sufoco, também têm lá o seu charme e arrancaram aplausos da comportada torcida brasileira no Rose Bowl. Nesse aspecto, Alisson teve também destaque antes de cometer a falha que comprometeu sua atuação. Ele atuou mais adiantado, quase como um líbero, com habilidade para começar o jogo. Da mesma forma.

Por outro lado, o sistema se mostrou vulnerável aos contra-ataques. Em três momentos, o técnico Gustavo Quinteros pulou de raiva porque o time não conseguiu acertar o último passe. Líder das Eliminatórias sul-americanas para a Copa de 2018, o Equador tem uma ideia de jogo definida, mas peca pela falta de objetividade. O time poderia ter aproveitado os espaços deixados por Elias e a atuação apagada de Renato Augusto.

Brasil 0 X 0 Equador

Ficha técnica:

Brasil

Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Gil e Filipe Luís; Casemiro, Elias (Lucas Lima), Renato Augusto, Philippe Coutinho e Willian (Lucas Moura); Jonas (Gabriel). Técnico: Dunga.

Equador

Dreer; Paredes, Achilier, Arturo Mina e Walter Ayovi; Gruezo, Noboa, Montero (Martínez) e Antonio Valencia; Enner Valencia (Jaime Ayovi) e Bolaños (Galboa). Técnico: Gustavo Quinteros.

Árbitro: Julio Bascuñan (Chile). Renda: não divulgada. Público: 53.158 pagantes. Local: estádio Rose Bowl, em Pesadena,
na Califórnia (Estados Unidos), neste sábado à noite.

 

Haiti x Peru

Faz tempo que Guerrero é a principal esperança de gols do Peru. E, neste sábado, na estreia do time na Copa América, o atacante do Flamengo voltou a mostrar a importância para a sua seleção ao marcar o único gol da vitória por 1 a 0 sobre o Haiti, em Seattle.

CBF luta paramanter receita

Um ano depois da operação conjunta entre a polícia da Suíça e o FBI, que levou à prisão alguns dos principais dirigentes do futebol mundial, entre eles o ex-presidente da CBF José Maria Marin, e colocou suspeitas sobre o atual mandatário Marco Polo Del Nero, a Confederação Brasileira de Futebol se empenha para manter seus patrocínios. Para isso, procura um novo modelo de governança e acena para o mercado com maior transparência.

Os parceiros mostram cautela. “Apoiamos as investigações em prol da transparência e da ética na gestão do esporte. É fundamental que a CBF adote modelo de governança que demonstre o seu compromisso com esses alicerces”, diz nota do Banco Itaú. Já a Seguros Unimed aguarda a “completa apuração dos fatos e o pronunciamento final da Justiça”. A Vivo “repudia qualquer comportamento ilícito e/ou que não esteja adequado aos princípios de atuação da empresa”.

O Grupo Cimed, patrocinador que fechou contrato em maio, afirma que os escândalos não são exclusividade da América do Sul. “Os fatos devem ser apurados e as pessoas envolvidas, punidas. Temos uma relação comercial com a CBF e não com dirigentes”, afirma o diretor de marketing Hélio Melo. No início de 2016, a CBF perdeu os patrocínios da Volkswagen, Michelin e P&G, que geravam R$ 5 milhões/ano, e a Sadia (R$ 100 milhões entre 2013 e 2022). A receita caiu de R$ 359.604 milhões em 2014 para R$ 339.604 milhões no ano passado. 

 

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Diário da Região. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Diário da Região poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!
É assinante mais quer redefinir sua senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso